Xadrez Verbal Podcast #207 – Florencia Guarche, Equador e EUA-China

Recebemos a internacionalista Florencia Guarche diretamente da fronteira sul para uma conversa sobre os curdos na Síria e a operação turca no país. Qual o histórico breve, quais os objetivos e os principais pontos para prestarmos atenção nesse tema. Vamos até o Equador, onde o presidente Lenín Moreno, de forma provisória, alterou a capital do país, já que Quito está tomada por manifestantes; aproveitamos e também falamos de outros países da região. Finalmente, vamos até os EUA, onde as relações com a China causaram uma discussão sobre ética e dinheiro, sem falar nas últimas do impeachment de Trump. Além disso tudo, nós giramos pelo mundo, a semana na História, peões da semana e dicas culturais fecham mais um podcast do Xadrez Verbal!

Você nem sempre tem tempo, mas precisa entender o que acontece no Mundo, ainda mais porque o planeta está uma zona. Toda semana, Matias Pinto e Filipe Figueiredo trazem pra você as principais notícias da política internacional, com análises, críticas, convidados e espaço para debate. Toda sexta-feira você se atualiza e se informa.

Dicas do Sétimo Selo e links

Site da Editora Contexto

Livro Amílcar: o leão das areias (Trilogia de Cartago), de Patrick Girard

Livro Aníbal: sob as muralhas de Roma (Trilogia de Cartago), de Patrick Girard

Livro Asdrúbal: as fogueira de Mégara (Trilogia de Cartago), de Patrick Girard

Artigo Hinchas, territorios y violencia en el fútbol ecuatoriano, de Jacques Ramirez Gallegos e Juan Antonio Serrano

Livro Torcidas Organizadas na América Latina: estudos contemporâneos, de Bernardo Borges Buarque de Hollanda, Onésimo Rodríguez Aguilar

Documentário ‘Sex for grades’: Undercover in West African universities

Livro A Revolução Ignorada: liberação da mulher, democracia direta e pluralismo radical no Oriente Médio, de Dilar Dirik, David Graeber, Comite de Resistência Curda, entre outros

Livro Şoreşa Rojavayê: Revolução, uma palavra feminina

Lista de documentários sobre a resistência curda

Reportagem O fim de Rojava?, por Djene Bajalan e Michael Brooks

Thread com episódios de podcasts sobre Rojava

Site Kurdistan América Latina

Reportagem Turkey plans a Syrian ‘safe zone’. Advocates fear a ‘death trap’.

Xadrez Verbal #149 – OTAN, Ásia e paz entre Etiópia e Eritreia

Xadrez Verbal #126 – Rio Nilo, Oriente Médio e América Latina

Fronteiras Invisíveis do Futebol #36 – Equador

Declaração de apoio ao Equador

Coluna Lenín Moreno entre gregos e troianos e os protestos no Equador

Fronteiras Invisíveis do Futebol #81 – Peru

Reportagem Pesquisadores acreditam ter descoberto origem de caixas que têm aparecido em praias do Nordeste

Entrevista com Mario Vargas Llosa: “Em nome da autodefesa se destrói a democracia”, por Jesús Ceberio

Perfil do twitter Proposições que vão mudar sua vida

Na Era do Garrafão #31 – Mundial de 1963

Livro Era de Gigantes: a história do basquete profissional norte-americano no século XX, de Vitor Luis Camargo

Thread do Red Nation BR

Livro The Triumph of Injustice: How the Rich Dodge Taxes and How to Make Them Pay, de Emmanuel Saez e Gabriel Zucman

Matéria Vítimas do genocídio de Srebrenica pedem que se retire o Nobel a Peter Handke

Música de Encerramento Tiwa (It’s Our Own), Ginger Baker e Fela Kuti

Playlist das músicas de encerramento do Xadrez Verbal no Spotify

Canal do Xadrez Verbal no Telegram

Minutagem dos blocos, cortesia dos financiadores do Xadrez Verbal

  • 00:07:20 – Giro de Notícias #01
  • 00:31:05 – Coluna Aberta: Resistência Curda, com Florência Guarche
  • 01:12:10 – Efemérides: A Semana na História
  • 01:18:10 – Match: Equador e América Latina
  • 02:09:30 – Xeque: Guerra Comercial China x EUA
  • 02:40:15 – Giro de Notícias #02
  • 02:58:00 – Peões da Semana
  • 02:59:30 – Sétimo Selo
  • 03:09:15 – Música de Encerramento

Ouça o podcast aqui ou baixe o programa. (clique com o botão direito do mouse e use a opção “Salvar como” para baixar)

Você também pode assinar o podcast via RSS ou no iTunes, além, é claro, de acompanhar o blog.

A revista de política internacional do Xadrez Verbal é feita na Central 3, que está no Apoia-se

Filipe Figueiredo é tradutor, estudante, leciona e (ir)responsável pelo Xadrez Verbal. Graduado em História pela Universidade de São Paulo, sem a pretensão de se rotular como historiador. Interessado em política, atualidades, esportes, comida, música e Batman.
Como sempre, comentários são bem vindos. Leitor, não esqueça de visitar o canal do XadrezVerbal no Youtube e se inscrever.

Caso tenha gostado, que tal compartilhar o link ou seguir o blog?

Acompanhe o blog no Twitter ou assine as atualizações por email do blog, na barra lateral direita (sem spam!)

E veja esse importante aviso sobre as redes sociais.

Caros leitores, a participação de vocês é muito importante na nova empreitada: Xadrez Verbal Cursos, deem uma olhada na página.

43 Comentários

  • Com base na análise do Filipe, concluo que Lenin Moreno é o Temer equatoriano, rs.

  • Ola Matias e Filipe, saudações da China

    Sobre o pessoal do instituto tsinghua que o Mathias as vezes cita (pela pronuncia acho que ele ta falando da Tsinghua) se for, eu nao sei se voce entende o peso que a universidade tem dentro da China, é a universidade número 1 da China, eles e o pessoal da Pequim University meio que dividem o titulo aqui, e que como curiosidade são vizinhas uma do lado da outra, literalmente. Enfim, o pessoal da Tsinghua tem um peso gigante na China e também ja se encontram nas melhores do mundo tem centro de pesquisa com ex secretario de estado americano, tem muito estrangeiro de altissimo nível e como o rapaz sugeriu também queria um fronteiras invisíveis sobre a China, to ansioso.

    Sobre os outros tópicos que vocês falaram, eu sigo os conselhos dos pinguins de Madagascar (olhem a referência ) apenas sorrio e aceno.

    E tal como Rafael forte fico feliz que posso acessar vocês aqui sem VPN (que nem uso rsrs nem sei o que é)

    1-P.S:Peguei a referencia da sandália da humildade haha e sugiro a existência de um quadro sandália da humildade ao redor do mundo. ( chuto que um certo presidente mais belo e cool del mundo mundial ,bateria ponto toda semana )

    2-P.S:Esses dias conversando com uma amiga russa católica ortodoxa, perguntei se ela ja tinha ouvido na Russia sobre o fato de algumas pessoas acreditarem que o Putin, é o novo “Cesar” da nova Constantinopla/ Moscou e que tem ate em parte relação com alguns fatores da igreja ortodoxa na Russia. Ela começou debochando, rindo muito e dizendo que ninguém na russia diz isso e jamais diria isso, terminou chocada quando mandei as matérias em inglês e as fotos, desconto so porque ela é da Siberia.

    Grande abraço aos dois e como curiosidade desse seguidor de tempos, quero saber como anda essa missão Russia 2020 do Filipe? ahah

  • Entrevista com uma criança bobinha que acredita na revolução comunista, quantos anos essa jovem tem? Já está na hr de crescer. A “nova forma” é mais velha que andar pra frente e já fracassou, essa gente não estuda história?

  • Ué, se os curdos são contra o livre mercado, a livre iniciativa, as trocas voluntárias, eles são piores que o próprio erdogan.
    Só há um jeito de impedir o livre comércio, que é sendo uma ditadura.

  • Igor Coura de Mendonça

    Primeiramente, falou em mineiros, faço o lembrete:
    Doce de leite de Viçosa > uruguaio
    Aqui é #teamviçosa!

    Segundamente,

    Um pouco off-topic, mas se alguém quiser se manifestar e comentar o assunto abaixo eu agradeço!

    Vocês falaram de Burquina Faso, e eu estou nesse momento terminando o livro “The Fortunes of Africa: A 5,000-Year History of Wealth, Greed, and Endeavor”. É um livro com um resumão da história da África para leigos, que apesar de ser mal organizado, pelo menos para mim, que estou ouvindo o livro e não lendo, traz uma visão muito mais clara sobre quem são os povos africanos, como foram os contatos com os europeus, as formas de escravização e etc. Nesse momento estou na reta final do livro, 85%, e o autor chegou na fase pós independências, com as ditaduras e golpes de estado tomando conta do continente inteiro.

    Eu não sou um historiador, o mais perto disso que chego é estudar demografia histórica que traz conhecimentos fantásticos sobre a vida das pessoas no passado, mas não sobre eventos e etc. E como um leigo achei fantástico o quanto pude ter uma melhor noção geográfica e histórica. Não posso julgar se o livro é que qualidade em termos históricos: se eu estiver lendo um Narloch gringo, não posso julgar sozinho. Eu tenho minhas defesas naturais contra livros e artigos perigosos que é a desconfiança em aceitar o que estou aprendendo pelo valor de face, ou seja, até eu eventualmente encontrar com outras fontes, mesmo sendo leigo, eu não vou chegar e falar com ninguém que eu tenho certeza disso ou daquilo sobre a história do continente.

    Mas uma coisa que vou refazer agora é ouvir os Fronteiras Invisíveis sobre os países africanos. Acredito que vou ter mil vezes mais condições de entender os programas a partir desse livro.

    E nesse ponto até um guia politicamente incorreto pode ser bom! Foi o primeiro “livro de história” que eu li foi o famigerado “Guia politicamente incorreto da história do Brasil”. Eu o fiz porque Narloch era da Superinteressante, uma revista que eu lia desde os 8 anos de idade (a definição de “ler” aqui está meio ampla). Quando eu li o Guia, eu não tinha a menor noção de toda a polêmica ao redor dele, e do risco que eu corri de me entortar tremendamente para a direita…

    Mas aqui que cabe um ponto de reflexão: para quem tem disposição em aprender, mesmo livros que desinformam podem ajudar bastante. No caso da minha leitura do Narloch:

    (a) Eu tinha consciência de que estava entrando em um tema que eu sou leigo, a história do Brasil, que até então sempre foi meu ponto fraco no ensino médio, já que eu detestava aquilo (mal sabia que o que eu estava detestando era a abordagem).

    (b) Seu livro foi um ponto de partida que me fez ir atrás de muito mais informações, ainda leigas porque nunca li historiografias acadêmicas, sobre o Brasil. Eu li Eduardo Bueno, Laurentino Gomes, Lílian Schwartz, Michael Reid, textos, vídeos e podcasts sobre história brasileira, etc. Foi assim que eu conheci primeiro o canal de Youtube e depois o Podcast do Xadrez Verbal, aliás.

    (c) No prefácio do livro ele deixa claro que não era um historiador, que aquele livro não é equilibrado, que ele seria pesadamente enviesado e sarcástico. Quem leu esse livro e aceitou tudo como verdade foi idiota consigo mesmo, porque o próprio autor alerta para os cuidados na leitura (e aqui cabe uma enorme discussão sobre leitura e aprendizado).

    (d) Narloch também traz uma narrativa no livro: trata-se de uma antipatia aos professores de Ensino Médio excessivamente revisionistas (o que eu me identifiquei muito…), que exigem que o aluno registre em suas provas frases de conteúdo altamente normativo em vez de positivo. Outro ponto relevante sobre a qualidade do ensino, viés e impacto na aprendizagem, sem precisar descambar pra papo furado sobre doutrinação e ideologia.

    (e) Os assuntos abordados possuem uma coerência: a provocação. Pra mim não foi um livro para “aprender que Zumbi tinha escravos” e ponto final. É um livro que provoca a desconfiança: será que o que eu aprendi sobre o heroi dos Palmares é tudo que se tem para saber sobre ele? E se eu estou lendo um livro que explicitamente se chama de provocador, eu jamais vou simplesmente acreditar nele. O autor afirma que Zumbi teve escravos, mas ele o faz usando fontes pontuais e conclusões especulativas. Eu tive a capacidade de entender que as conclusões dele não são as minhas, justamente porque ele me mandou tomar cuidado com isso desde o início do livro? Se eu vou desconfiar do meu professor, por que eu não desconfiaria dele? Resultado é que eu NÃO posso afirmar que Zumbi teve escravos, mas eu agora eu posso COGITAR essa hipótese e se tiver disposição correr atrás dessa história a fundo (o que eu não vou fazer, então não vai caber a mim dizer sobre escravização em Palmares). Aliás, se algum humano aprender que negros escravizaram negros, e com isso CONCLUIR que a escravização atlântica pode ser “suavizada”, precisa aprender mais sobre ser humano também.

    Enfim, eu fui lá no fundo altamente tergiversado porque eu queria falar sobre ler história de forma leiga, tirar conclusões precipitadas, e ouvir ideias sobre aprendizado:

    (1) O que eu sei sobre a África hoje?
    (2) Como aprender mais sem precisar cursar disciplinas sobre o assunto?
    (3) Como tomar cuidado com conclusões precipitadas, tanto as dos autores quanto as minhas próprias?
    (4) Como lidar com autores e fontes de difícil acesso (difícil no sentido de que eu teria que ir para a biblioteca da UFMG ou comprar tomos enormes sobre o assunto para poder julgar a fonte)?

    Isso tá muito na minha cabeça porque o Átila do Nerdologia fez um vídeo essa semana sobre como ele estuda os conteúdos que produz no Nerdologia. Achei fantástico e queria saber também como vocês estudam para fazer o conteúdo do Fronteiras Invisíveis e do Xadrez Verbal, se puderem gastar um mintutinho para falar sobre isso. É um podcast curtinho mesmo!

  • Igor Coura de Mendonça

    Assuntos rápidos e menores.

    (1) Provoquem os comentaristas a conversarem entre si aqui! É uma galera muito boa que comenta, queria ver mais interação.

    (2) Não existe a possibilidade de que os quadros que foram separados no Youtube também sejam disponíveis só em áudio? Quero mandar pra uma tia mais velha alguns temas, mas no Youtube ela acha ruim pq come a bateria do celular, e o podcast é um arquivo grande, ela perde a paciência muito rápido com tecnologia pra aprender a gerenciar os minutos.

    Preciso MUITO dessa ajuda. Minha tia é uma pessoa extremamente inteligente, com curso superior e acompanhava muita política e economia, via jornais impressos e Globo News. Agora o Whatsapp e o Facebook ENVENERARAM a pessoa. Sério! Ela já acha que a Globo é uma conspiradora de esquerda, que a Folha e a Veja são propagandas orquestradas anti Bolsonaro, começou a atacar a Greta por ter se cercado de comentários e memes atacando-a…

    Eu preciso desviar um pouco a atenção intelectual dela da política brasileira, pra ver se acalma os ânimos, e preciso muito que ela volte a escutar pessoas que tomam cuidado com a forma como repercutem fatos e fazem análises. Acho o Xadrez Verbal um ótimo ponto de partida, mas existem essas pequenas barreiras geracionais da tecnologia e da linguagem que preciso superar.

    Até mais ver!

    • Igor, se me permite responder sua questão 2, na descrição do vídeo do youtube tem um link que cai direto no download do MP3, eu sempre baixo para ouvir em viagens. Abraços

  • Quando finalmente os sempais me notam já percebem minha dificuldade de levar as coisas na esportiva. Mas fico feliz por finalmente terem me visto, vou comentar mais aqui e menos no twitter. Agora vou terminar de jogar meu Civilization ouvindo Fronteiras sobre o México pois acabou de nascer Giovanni de Medici em Tenochtitlán…

  • As medidas econômicas anunciadas por Lenin Moreno não se resumem a retirada dos subsídios dos combustíveis. É importante deixar claro isso. Até agora, não vi ninguém da imprensa brasileira falar isso, nem mesmo vocês. Segue a lista das medidas anunciadas, sendo a que está gerando mais revolta é a redução pela metade dos dias de férias para funcionários públicos:

    Detalle de las medidas económicas: 1. Se libera el precio del diésel y la gasolina extra y ecopaís. 2. 300 000 familias más recibirán USD 15 mensuales adicionales a través de diferentes bonos. 3. Eliminación o reducción de aranceles para maquinaria, equipos y materias primas agrícolas e industriales. 4. Eliminación de aranceles a la importación de celulares, computadoras, tabletas. 5. USD 1000 millones para créditos hipotecarios desde noviembre, a una tasa del 4,99%. 6. Contratos ocasionales se renuevan con 20% menos de remuneración. Detalle de las propuestas de reformas económicas y laborales: 1. Contribución por 3 años a empresas que perciben ingresos superiores a USD 10 millones al año. 2. Impuesto a la Renta único para el banano. 3. Devolución automática de tributos al comercio exterior. 4. Eliminación del anticipo del impuesto a la renta. 5. Reducción a la mitad del impuesto a la salida de divisas (ISD) para materias primas, insumos para bienes de capital, según un listado. 6. Reducción del impuesto a los vehículos de menos de USD 32 000 para uso productivo. 7. Vacaciones para empleados públicos bajan de 30 a 15 días al año, excepto fuerza pública y servicios sociales. 8. Trabajadores de empresas públicas aportarán cada mes con un día su salario. 9. Reformas laborales regirán para nuevos contratos, los anteriores siguen intactos. 10. Nuevas modalidades de contratos laborales para quienes inician un emprendimiento. 11. Nueva modalidad de contrato de reemplazo en caso de licencia de maternidad y paternidad y enfermedades catastróficas. 12. Facilidades para teletrabajo. 13. Nueva forma de jubilación patronal: empleadores incrementan aporte mensual en 2% para nuevos trabajadores, Ese valor podrá ser ahorrado en el IESS o en fondos privados.

    Fonte:
    https://www.elcomercio.com/actualidad/lenin-moreno-medidas-economicas-ecuador.html?fbclid=IwAR0RwwXiVG90ImSSPBKP6F9kI2QmIoWTIOsuQ9K1JR2TeeAyruNULwYTooY.

  • Um adendo sobre o caso da Blizzard com o jogador de Hong Kong: a internet, após saber desse caso, fizeram da personagem Mei de Overwatch torna-se um símbolo dos protestos de Hong Kong, spamando fanarts e photoshops da personagem caracterizada com o símbolo de Hong Kong ou então, vestida de manifestante de Hong Kong.
    (Overwatch é um dos jogos da Blizzard, no caso, um jogo de tiro em primeira pessoa em equipes, e no jogo você escolhe, na partida, um personagem para jogar. Cada personagem contém seus atributos e também suas nacionalidades, inclusive Lúcio é br. No caso de Mei, ela é a personagem chinesa no jogo)

    Confira as várias fanarts e photoshops da Mei como apoiadora de Hong Kong abaixo:






  • Gabriel Rodrigues Laurentino da Silva

    Olá, Filépé (melhor pronúncia) e Mathias, tenho 17 anos e moro em Americana, interior de Sampa, escuto os programas desde do ano passado em cima do meu camelo a caminho da minha escola onde curso ensino médio integrado ao técnico de edificações (ano que vem eu serei oficialmente um desempregado), vcs contribuíram com muito repertório e desconstruíram muitas visões errôneas sobre o universo politico e jornalistico, sou muito grato a dedicação de vcs por estarem trazendo um excelente conteúdo online e além do mais gratuito, eu vim dizer que desde do ano passado faço o cursinho online ProEnem e ver Fílépé e o Leandrinho em uma aula, foi um gozo intelectual imenso, obg por fazerem meu dia melhor! escutar vcs por fuck 3hrs não me enjoa e escutar as “ótimas” piadas do Mathias me deixam alegre e me fazem choram as vezes, e uma última coisa novembro vai ser duro pra mim, uma enorme quantidade vestibulares, por isso peço que vcs com seus poderes divinos me desejem excelentíssimas provas e façam macumba para minha aprovação! amovcs

  • O capitalismo age através do estado pra se perpetuar! 38:09, okay. Melhor ouvir outro podcast.

  • Queridos Felipe e Mathias, como eu sou da turma das referências cartunescas, gostaria de fazer uma correção: quem faz o Cristóvão Colombo nos quadrinhos da Disney é o Pateta, e não o Mickey. Os reis Clarabela e Horácio, você lembrou direitinho. Essa historinha faz parte da coleção “Pateta Faz História”, e tinha outros livros onde o Pateta fazia Galileu Galilei e Leonardo Da Vinci também.

    O Colombo do Pateta, desde criancinha queria provar que a Terra era redonda, e todos diziam que ela era plana, inclusive tem uma cena onde um cara pega uma pizza para demonstrar o formato da Terra pro Pateta criança, já que Colombo era italiano. Atenção, spoiler. No final o Pateta Colombo cai com caravela e tudo da borda da terra plana.

    Eu fiquei muito feliz por vocês terem lembrado dessas referências, me deu saudade… Vou reler, ainda tenho os livros.

    O do Galileu é impagável. O Pateta compra um monte de salames porque eles vinham em tubos de papelão e ele precisava dos tubos para fazer a luneta. Para fazer aquele experimento com a queda dos corpos, ele joga de cima da torre de Pisa o cara que faz os salames que é baixinho e a esposa dele que é gordona.

  • Sobre o Yao Ming, é curioso que, na verdade, o pé e o antebraço de uma pessoa têm o mesmo comprimento (vi isso no filme Uma linda mulher 🤪).

  • Sobre o partido português com o nome “diferente”, de forma similar a França tinha um partido até recentemente chamado “Chasse, pêche, nature et traditions” (caça, pesca, natureza e tradições). Ele mudou de nome para “Mouvement de la ruralité” (movimento rural ou movimento da ruralidade) mas segue com uma postura conservadora tanto no sentido de ser um partido à direita quanto no de querer preservar a natureza. O curioso é que eles querem proteger a floresta para ter onde caçar, como o próprio nome indica.

  • Luis Eduardo Reis da Silva

    Olá Filipe e Matias, aqui é o Luís Eduardo que falou com você (o cara da camisa com o símbolo do Asa Noturna). Eu que agradeço a simpatia de vocês, são pessoas muito legais e divertidas.

    Foi um evento bem legal e especial, pois me formei em administração no Mackenzie onde eu era bolsista ProUni, nesse primeiro semestre e em seguida comecei o curso de Marketing na Fatec Sebrae, ali perto no bairro de Campos Elíseos; sendo que, apesar de ainda ir estudar lá as vezes antes da Fatec, foi a primeira vez que entro no Rui Barbosa depois da colação no dia 04/09, para ver profissionais que admiro muito o trabalho. Aliás, não foi sua culpa o problema de som Filipe hahahahahaha, apesar de ser raro acontece de vez em quando lá na semana do CCSA, um evento da universidade (onde inclusive, há diversas palestras bem interessantes, caso se interessem ela acontece no primeiro semestre de cada ano e não-alunos podem participar, deixo aqui um link sobre a edição que ocorreu esse ano, onde fala de alguns convidados que participaram e infelizmente não pude ir por causa do TCC: [https://www.mackenzie.br/noticias/artigo/n/a/i/inscricoes-abertas-para-a-xviii-semana-do-ccsa/] ). Quando forem ao Mackenzie de novo, visitem a Bibliotece George Alexander – Prédio 2, popularmente conhecida entre alguns alunos como Biblioteca do Harry Potter pelo seu design antigo.

    Venho também indicar para o Repertório o Padre Paolo Parise da Missão Paz, que faz um trabalho de acolhimento com a Casa do Imigrante, onde são acolhidos muitos refugiados; na infância e adolescência, frequentei a Igreja Nossa Senhora da Paz e fiz parte do grupo de jovens Quo Vadis, onde me diverti, aprendi muito e mesmo depois de sair tenho muito carinho pela comunidade. A Casa do Imigrante recebeu muitos na migração de Haitianos e mais recentemente dos Venezuelanos, onde lidam com diversos casos. O Padre recentemente fez uma participação em uma novela (https://globoplay.globo.com/v/7879139/), onde falou um pouco sobre migração. Deixo a seguir alguns links de entrevistas dele:

    Por fim, peço um abraço para a Giovanna Cecchi, a qual ajudei em algumas postagens de um blog de cultura pop chamado QFaço e na correria perdemos o contato, peço muitas desculpas; ela esta com um projeto chamado Teatro da Rotina, onde estão com financiamento coletivo para uma nova sede (instagram deles caso queiram conhecer: https://www.instagram.com/teatrodarotina/?hl=pt-br).

    Desculpem o comentário extenso, mais uma vez muito obrigado pela foto, vocês são pessoas muito boas e continuem com o ótimo trabalho. Que a Força esteja com vocês!!

  • Fala Filipe e Matias, tudo certo?
    Desde Agosto estou na Armênia, fazendo voluntariado, residindo em Yerevan.
    Na sexta feira, dia da gravação, embarcarei em uma viajem de quatro dia para a República de Artsakh, em caso de qualquer relato interessante que eu venha a observar, volto aqui semana que vem.
    Caso eventualmente vocês venham a fazer um fronteiras da armênia, tenho amigos jogando pelas ligas de futebol daqui, e ainda pretendo acompanhar alguns jogos da Premier League Armênia, pude somente ver alguns jogos das eliminatórias da Euro Copa.
    No mais, queria somente mandar um grande abraços à vocês pelo excelente trabalho, agora em três programas diferentes.

  • Olá, pessoal!

    Ouço o Xadrez há vários meses e nunca comentei aqui, mas achei que seria interessante dessa vez por se tratar de um assunto que não tem a MÍNIMA importância.

    Filipe, o pé do Yao Ming é com certeza bem MAIOR do que o seu antebraço, uma vez que o SEU PRÓPRIO PÉ é que é do tamanho do seu antebraço. Fonte: Anotações do Da Vinci sobre o Homem Vitruviano (mas eu vi mesmo foi em algum filme idiota quando era criança e nunca esqueci).

    Abraços!

  • Igor Coura de Mendonça

    Hhmmm.. Faltou um peão isolado pro presidente das mãos pequenas, hein?

    Impeachment aumentando, acordo no mínimo estranho com a Turquia e repercussão negativa até entre os republicanos.

  • Igor Coura de Mendonça

    Putz! Acabei de ver o Nobel de Economia, e eu estou muito feliz.

    Eu tive a oportunidade de fazer um curso online (gratuito, via plataforma EDX) ministrado pelos professores Esther Dulflot e Abjit Abeerje, e esse curso mudou a minha forma de enxergar economia e governo.

    A premissa do curso era a seguinte: existem autores que afirmam que ajudas internacionais PREJUDICAM a capacidade dos países em desenvolvimento de evoluir e de tornarem instituições firmes. O principal é William Easterly, que trabalhou no Banco Mundial e viu de perto vários fracassos nesse sentido.

    Ja uma outra vertente, defenifa principalmente por Jeffrey Sachs, afirma que o problema é à POUCA ajuda internacional, chegando ao ponto de estimar em dólares os valores ideias de ajuda internacional.

    Dulflot e Banerjee então propõe uma ideia que parece extremamente óbvia, mas que quase nunca é implementada: por que, ao invés de focar em macro ideias, os governos não trabalham com evidências do que da certo e do que da errado?

    Então, cada aula era sobre um tema, e pesquisas e análises sobre políticas que foram executadas e onde deram errado ou certo: prevenção à Malária, pequenos produtores agrícolas, incentivos para educar os filhos, microcrédito, etc.

    Eles inclusive apresentaram um trabalho clássico brasileiro sobre a alta correlação entre a chegada do sinal da Globo em cada município e a queda da fecundidade. Como eles são realmente bons professores, tomaram o devido cuidado de lembrar que correlação não é causa (mas a minha 5a série não deixava de imaginar que quando a TV chegava as pessoas passavam a ter o que fazer em casa além de filho…).

    Eles têm um livro chamado Poor Economics, publicado em português como “A economia dos pobres: repensar de modo radical a luta contra a pobreza global”. Trata-se de uma ode ao poder da ciência aplicada diretamente para combater a pobreza.

    Foram os melhores professores que já assisti, mesmo tendo que me virar pra entender um sotaque francês e outro indiano…

    Recomendo para todos, especialmente quem se envolve com administração pública e politica internacional: BID, Banco Mundial, objetivos sustentáveis da ONU.

    Espero que eles levem um peão promovido também!

    Abraços!

    (Viçosa > Uruguai)

  • Sobre o Brexit, cada vez mais parece uma situação que saiu do controle e que ninguém sabe muito bem como sair dela.

    Acredito que não haverá uma saída sem dor de ambos os lados

    E com grande felicidade, vejo o comentário de Roger Machado que foi uma aula de sociologia em 5 minutos.

  • Não sou do Labomar, mas moro há 6 quarteirões. Vale o beijo, Felipe?

  • Fala aí, Filipe e Matias. Sobre algo que vem do penúltimo programa, uma atualização: https://diariocorreo.pe/politica/comision-de-venecia-esta-es-su-opinion-sobre-sobre-la-crisis-politica-en-el-pais-nndc-916429/

    Essa novela peruana vai durar até a próxima eleição.

    Aqui no Peru o assunto invade até as discussões dentro da universidade. O detalhe é que o Tribunal Constitucional poderia nem chegar a ver o assunto e, em caso de que vá para a análise a questão, isso seria depois das eleições dos congressistas.
    A coisa anda tão feia que já tem Ministro recentemente empossado sendo questionado: https://gestion.pe/peru/politica/ministro-jorge-melendez-influyo-en-la-contratacion-de-la-madre-de-su-hijo-en-el-congreso-noticia/

    Um abraço a todos e por favor, façam um Fronteiras Invisíveis do Rio.

  • Filipe, quando você citou a família Barca esqueceu de falar do Magão, o irmão que adicionava uma certa magia a família.
    Abraços

  • Meus caros ainda sobre a “NEP Morena”, imagino dois motivos pelos quais o Lenin tenha tomado a decisão de aumentar os preços dos combustíveis de uma vez só:
    1. A falência da abordagem gradualista do Macri pode ter servido de exemplo;
    2. O governo pode ter calculado que o efeito sobre a inflação seria maior no longo prazo com a retirada gradual do subsídio em função da adequação das expectativas.

    Abraços desde os Campos Neutrais!

  • Filipe e Matias. Não tem exatamente a ver com o episódio desta semana em particular, mas vo ves precisam acompanhar o Fernando Duclos no Twitter @periodistan_ . É um jornalista argentino fazendo a rota da seda no sentido Europa-China, na base da carona. As threads dele são ótimas e tem muito a ver com o trabalho de vocês. Hoje olhando os seguidores dele na achei vocês então achei bom deixar a dica por se ainda não conhecem. Abraços!

  • Thales Carl Lavoratti

    Olá Filipe e Matias,

    Quando o Filipe comentou que não haviam mulheres ganhadoras do prêmio Nobel neste ano me veio à mente o seguinte artigo da Nature: https://www.nature.com/articles/d41586-018-06879-z, que havia lido na semana passada. O artigo trata da questão da diversidade e igualdade de gênero nas nominações do prêmio. Neste artigo se expõe que somente 3% dos prêmios Nobéis foram dados para mulheres desde sua fundação e que, por exemplo, no campo da física fazem mais de 50 anos que não há uma mulher premiada.

    Aliás, recomendo que adicionem a Nature como uma fonte para suas notícias, uma vez que além de artigos técnicos lá são publicadas várias colunas de opinião sobre os mais diversos temas, inclusive política internacional, com uma perspectiva mais acadêmica.

    Sou ouvinte de vocês desde o começo deste ano por indicação de meu amigo Afonso Bucco que fazia filosofia na UFSC e que atualmente mora em Londres. Queria mandar um abraço pra ele e dizer que sinto falta de nossas discussões quando ele me dava carona.

    Abraço,
    Thales Carl Lavoratti.

  • Matheus de Almeida Martins

    Sou Matheus Martins, estudante de medicina na UNIFESP e estava fazendo brigadeiro com minha namorada, Débora (de mesmo curso e faculdade), quando foi dito que o pé do Yao Ming tem o tamanho do antebraço do Filipe. Foi quando ela pontuou que, na realidade, uma das variáveis de proporção corporal é justamente que o pé do indivíduo x tem aproximadamente o tamanho do antebraço do mesmo indivíduo (claro, com isso obedecendo critérios de distribuição populacional)
    (Meu primeiro reflexo obviamente foi testar)
    Com isso, para fins de ordem de grandeza, cabe mencionar que o pé do Yao Ming estaria mais para a coxa do Filipe e que esta curiosidade pode ser usada como uma surpreendente réplica quando algum desavisado surgir falando de uma outra (falsa) proporção anatômica com o pé.
    Deixo aqui um feliz dia dos professores pra geral (afinal, é principalmente uma postura política, ainda mais com nossas manchetes), um beijo no hâmulo do hamato e mando um beijo para Débora, que com seu comentário vai dar mais um substrato pra poderem quebrar o gelo quando faltar assunto;

    Obs.: para não faltarem fontes, mas por faltar força de vontade, segue um link da saudosa revista recreio pra comprovar que, caso mito, não estamos sozinhos
    http://recreio.uol.com.br/noticias/corpo-humano/voce-e-incrivel.phtml#.XaZruuhKjIU

  • Oi, Filipe e Matias,
    Quero pedir um abraço pelo meu aniversário que foi na última sexta e dizer que uma das melhores coisas que aconteceram em 2019 foi conseguir acompanhar o Xadrez Verbal regularmente.
    Abraços,
    Jéssica Chuab

  • Olá, Filipe e Matias
    Sou estudante de Ti na UFRN e acompanho o programa desde o final do ano passado, essa é a primeira vez que comento e que consigo acompanhar o programa de forma regular, lhe conheci através do nerdologia e comecei a ver a história por outro ponto de vista.
    Um abraço e mais piadas do Matias no programa.

  • Olá caros Filipe e Matias! Belíssimo programa, como sempre!
    Gostaria de deixar aqui a minha frustração pelo Cacique Raoni não ter levado o Nobel da Paz esse ano, apesar de achar também super justa e merecida a premiação pro mandatário da Etiópia. Só acho que o ano era bem propício pra entrega do Nobel pro Raoni. Talvez num futuro ele ganhe!
    Também fiquei instigado com a questão do Filipe não gostar de ser chamado de pós-moderno hahaha. Sou formado em ciências sociais e faço história agora, e acho mto interessante a diferença ideológica no geral q tem entre esses dois cursos (pelo menos na UFRGS): o pessoal das sociais é bem mais pós-moderno (amor líquido, pautas identitarias, etc), enquanto o pessoal da história é bem mais materialista e marxista hardcore. Digamos q a sociais é mais PSOL e a história mais PCB kk.

    Abraço e continuem com o belo trabalho !

  • oi Matias e Filipe, tudo bem com vocês?
    aqui é o leonardo vargas, estudo economia na unioeste (universidade estadual do oeste do paraná) e acompanho o trabalho de vocês desde dezembro do ano passado e desde então sou muito mais feliz, pois, apesar de vcs noticiarem as tragédias tudo desse nosso mundão a fora o jeito que vcs noticiam é diferente kkkkk
    brincadeiras a parte rs, mas, depois que passei acompanhar vcs fiquei muito mais exigente nas notícias que consumo e isso agregou bastante para meu desenvolvimento de personagem neste último ano.
    Porém, apesar de todo esse conhecimento e senso crítico adquirido neste último ano, me entristeci muito o fato de não ter ninguém para conversar e debater sobre os assuntos do podcast, já indiquei para uma galera, mas, ninguém começa a escutar, to pensando em trocar de amigos já (bricadeira, amo eles), só que isso pode estar preste a mudar graças uma investigação nível xerox romes que fiz e com a ajuda dos dois cupidos do amor mais eficiente deste país (vcs dois).
    tem um guri de direito aqui da faculdade que tenho um crush, só que to sem coragem de mandar um oi @ e chamar para tomar uma.
    Essa semana vi que ele estava twittando sobre os ataques do governo turco contra síria e a população curda (o que me chamou atenção é que essas noticias não tem muito destaque na mídia de massa aqui no brasil) então entrei no twitter dele, fucei os @ que ele segue e tcharam, lá estava a conta do xadrez verbal. Somei uma coisa com a outra e tenho fortes convicções que ele escuta o podcast de vocês
    Então Filipe e Matias, quebrem esse galho ai para eu e falem para o Bruno Felippi do direito da unioeste me notar e sair em um date comigo, tomar umas bera e conversar sobre o caos que está o mundo nesse fim de segunda década do século 21.

  • Bruno Leonardo Amorim

    Olá Filipe e Matias.
    Eu posso está enganado, com uma semana conturbada, acabei não pesquisando como eu gostaria, mas a Espanha não seria a união de cinco reinos, incluindo a Galiza/Galícia? Afinal, o próprio brasão atual da bandeira espanhola é uma união dos brasões das cinco coroas, com Galiza ficando no centro do brasão.
    Desde já, obrigado.
    Adoro o trabalho de vocês!

  • Oi pessoal. Aqui é o Weber de Houston, tudo bem com vcs?
    Sobre o episódio do Rockets, vale ressaltar que a princípio o próprio Adam Silver e até o Tilman Fertitta (dono do time) criticaram o daryl Morey, dizendo q ele falava só si mesmo. Mas, com o passar dos dias, não teve outro jeito a não ser defender a liberdade de expressão – pois tava ficando bem ruim a imagem da própria NBA. O próprio Fertitta disse que jamais demitiria o Daryl, mesmo pq ele é o melhor GM da liga. Até as palavras do LeBron foram a princípio de revolta com o Morey (pois ele tbm tende a perder dinheiro com isso – Space Jam 2), mas ele tbm já abafou o caso.
    No mais, a poeira vai baixando e a galera tá tentando agora contabilizar as perdas.
    O jeito é o Rockets ganhar o título esse ano, que fica tudo bem :-).
    Abraços.

  • Graças ao xadrez verbal eu pareço muito culto aos olhos dos meus colegas de trabalho rsrsrs

    Filipe, vc disse que o pé do yao ming deve ser do tamanho do seu antebraço, mas, lamento dizer, vc esta errado… Isto porquê o nós temos o antebraço em igual tamanho ao nosso pé. Logo, o pé do yao ming é maior que o seu antebraço.

    Vocês podem se perguntar: “da onde esse cara tirou isso?” Eu respondo: “deve ter sido de algum buzzfeed como: 10 coisas que você não sabia sobre p corpo humano”

    Abraço e parabéns pelo trabalho

  • Pessoal, terminei ontem de ouvir o 207º ep. Primoroso, como sempre!

    Muita gente falando do Yao Ming mas NINGUÉM se lembrou que uma foto dele sorrindo foi a origem de um meme do tipo BITCH PLEASE, eternizado para sempre nos anais das internets. (Fonte: https://knowyourmeme.com/memes/yao-ming-face-bitch-please)

    Grande Abraço pra vcs!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.