Sobre o autor e contato

gravatarChamo-me Filipe Figueiredo, sou graduado em História pela Universidade de São Paulo, sem a pretensão de me rotular como historiador. Interessado em política, atualidades, esportes, comida, música e Batman, com tendências groucho-marxistas.

Este site, inaugurado em 2013 como um blog, não tem intenção outra além de servir como uma forma de publicar o que escrevo. Não que o que eu pense vá ter alguma grande importância. Escrever pra si, porém, é quase um ato de covardia.

Além disso, pragmaticamente, me incentiva a escrever, ler, interagir. O tipo de coisa que nunca é demais.

A maioria dos posts serão sobre política ou atualidades, domésticas e internacionais. Outros podem ser sobre cultura, esportes, receita de bolo, o que der na telha.

Caso queira saber mais, você pode ler o que já foi publicado na categoria de textos sobre o autor e sobre o blog. Um ou outro texto é pessoal, até. Além disso, aqui estão os colaboradores, que contam com minha gratidão, que já escreveram aqui no Xadrez Verbal.

Fui também colaborador do site de política internacional Opera Mundi e possuo um blog na seção brasileira do jornal Huffington Post. Atualmente escrevo colunas de política internacional na Gazeta do Povo. Também faço os roteiros e a locução dos vídeos de História no canal Nerdologia, um dos maiores canais educativos e científicos do YouTube.

E deixo claro que essa página não tem vínculo nem expressam a opinião ou a postura de quaisquer pessoas ou instituições com as quais eu tenha, ou venha a ter, relação.

Como entrar em contato, seja pessoal, seja profissional, com o blog?

Email: contato@xadrezverbal.com

No Facebook: Xadrez Verbal

No Twitter: Xadrez Verbal

Além, é claro, dos comentários, que são sempre bem-vindos.

Filipe Figueiredo

Anúncios

75 Comentários

  • João Paulo Augusto Serinoli

    Olá Felipe, boa noite.
    Já escrevi sobre o que vou escrever agora, mas me sinto na obrigação de escrever novamente, pois não sei se chegou a receber a mensagem anterior.
    Apenas quero AGRADECER você e o Mathias por terem me ajudado a quebrar meu preconceito com a esquerda. Depois que descobri esse podcast e passei a ouvi-lo comecei a analisar de maneira mais madura ad relações políticas nacionais e internacionais. Hoje percebo que nenhum dos lados tem a fórmula mágica, pois o ser humano é ganancioso por dinheiro e poder, enfim.
    Hoje tenho como paradigma de idéias autores que são tão de esquerda que devem ter nascido com dois braços canhotos..rs
    Foucault, Baumam, Hobsbawn, dentre outros autores são minhas leituras obrigatórias, apesar de continuar discordando das ideias políticas e sociais da esquerda, pois acredito que seriam impraticáveis em qualquer sociedade. Enfim. Não vou me estender para não passar vergonha.
    Obrigado novamente.
    Um abraço.

  • Gabriel Arthur Militzer

    Olá. 🙂

    Se for possível mande um parabéns pra minha irmã Maria Anita (Nina <3), a quem eu recentemente apresentei o Xadrez Verbal.

    A equipe dela ficou em primeiro lugar na estadual de SC da IV Olimpíada Brasileira de Geografia e vão agora p/ a fase nacional em Brasília. Ano que vem ela faz o 3 ano e está decidida a cursar RI em Brasília.

    Ela se esforça muito e estamos todos muito orgulhosos, vai atrás do seus sonhos que tu é f*** (legal pacas) Nina.

    (Essa parte n precisa falar mas ela nem completou 17 anos e é fluente em inglês e espanhol, e está estudando alemão, ainda convenço ela a fazer prova pra diplomata, sonho.)

    Gosto muito do progama, abração Felipe e Matias ❤

  • Oi Filipe e Mathias,
    comecei recentemente a ouvir o podcast e estou gostando bastante! Os temas são relevantes e o papo muito bem embasado 🙂
    Se for possível deixar uma dica… pelo amor de Deus não comecem com agradecimentos e comentários dos posts passados. Essa fórmula pode funcionar para seus ouvintes assíduos, mas é um saco para quem está querendo conhecer o podcast pela primeira vez ou ainda pra quem ouve fora de ordem. Se não tivessem elogiado e recomendado o podcast para mim tantas vezes eu sinceramente teria desistido de ouvir. Tentei passar pra frente, pois essa parte é chata e longa, mas é difícil de saber em que momento colocar para iniciar… acho que uma mudança ajudaria a conquistar novos ouvintes…
    Um beijo e muito sucesso sempre,
    Carol

  • Caro, Filipe e Mathias., bom dia, boa tarde ou boa noite….

    Meu nome é Eder Daré, tenho 41 anos. Moro em Barreiras na Bahia, conheci O Xadrez Verbal e fiquei viciado.

    Gosto muito de correr ou me exercitar ouvindo o programa.

    Parabéns, e obrigado pelo excelente trabalho.

    Forte abraço!!

  • Buenas ao dois nobres fidalgos cavaleiros, Matias e Filipe

    Sou o João Paulo Diniz, natural de São José dos Campos São Paulo. Há 8 anos moro em Canoas, RS.
    Queria contar uma pequena história da minha vida.
    Sou um Sísifo a lá brasileiro. Muitos anos atrás não usava a cabeça pra pensar políticamente. Votava no Alckmin e Serra bem como votei no Tiririca em seu primeiro mandato para ‘protesto’. Tem a noção do que é isso? Bom, com certeza vocês têm noção pois hoje, teremos o Bolsonaro como presidente em um pouco mais de um mês. Enfim. Fiz a metade do curso de administração. Trabalhei desde fazer escavações na terra para fazer fundação para concreto, à banco e até consultoria tributária. Descobri Schopenhauer e ao mesmo tempo que comecei a ter uma epifania para minha depressão (que descobri muitos anos depois), em seguida entrei para Filosofia. Deu na louca, enfiei livros na mochila e vim para o RS, onde estou até hoje. No caso, ‘larguei‘ a filosofia (academicamente falando) e meses depois que cheguei aos pampas entrei para História na PUCRS. Constitui família e tive de trancar o curso. Quase dois anos depois dei continuidade no curso, mas fui para a UNISINOS em São Leopoldo. Onde o Karnal se formou. Faltando umas 15 disciplinas para concluir o curso, fiquei doente e tive que largar por não conseguir ler. Eu parei de estudar e trabalhar, ler e desenhar. Pois com meu quadro, as dores crônicas me impossibilita a concentração.
    Ler e desenhar são minhas paixões. Só perde pelo meu amor à minha filhinha Sofia de 6 anos 8 meses 9 dias e 5 horas e 40 minutos (que é o horário que estou escrevendo esse texto em relação ao horário que ela nasceu).
    Faz duas semanas que descobri vocês, junto do Fronteiras Invisíveis do Futebol. E queria adjetivá-los com toda palavra que tange ao conhecimento e pensamento crítico (político e social), pois como falei antes, não consigo mais ler meus livros. Faz quase 4 anos. E GRAÇAS À VOCÊS, esse pedaço que falta em mim da leitura, VOCÊS ESTÃO SUPRINDO E ME AUXILIANDO.
    De coração muito obrigado. E também gostaria de deixar um grande beijo pra minha luz que é minha Filha Sofia, minha amada amiga Vitória Pfeifer e à vocês. PS: Estou deixando de ouvir até Pink Floyd, Kansas e Raul Seixas pra ouvir vocês.
    Obrigado mesmo por vocês fazerem esse trabalho.
    Obrigado e Obrigado.

  • Caríssimos…
    Sensacional o Fronteiras Invisíveis do Futebol sobre a Finlândia.
    Se acaso ajuda tardiamente, gostaria de indicar um livro de um Nobel da Literatura que é da Finlândia, Frans Eemil Sillanpaa, sua obra é Santa Miséria.
    Acho válido essa informação e indicação.
    Grande abraço com a minha mão alcançando vossas escápulas.

  • Breno Assis de Andrade

    Olá Jovens Filipe (com I) e Matias,

    Sou ouvinte do Xadrez Verbal já tem um tempo, e acredito ter encontrado uma “barrigada” da imprensa brasileira, forte candidata ao Menino Neymar… Ei-la: .

    O pior problema está na manchete, que dá a entender que Brasil “deixará” (ou seja, denunciará) uma convenção internacional que o Brasil ainda não ratificou. Meu côté jurídico se coçou com esse grave erro de terminologia, até porquê, as implicações jurídicas de denunciar um tratado internacional de direitos humanos (algo que o Brasil nunca fez) são bem maiores do que aqueles de simplesmente não os ratificar (algo que já fizemos aos montes).

    Como recompensa pelo meu achado, gostaria que vocês pedissem a nossa internacionalista favorita (Ana Luísa Demorais Campos) que respondesse ao email que mandei em 26 de Julho deste ano, intitulado “Help Me, @ONULULU, you’re my only hope”. O email é antigo, mas o conteúdo permanece atual.

    With love,
    Breno Assis de Andrade

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.