Xadrez Verbal Podcast #182 – Sudão, caso Assange e eleições em Israel

Fim da era de Omar al-Bashir como ditador do Sudão! A trajetória do país, o que aconteceu e o que isso pode significar você vai ouvir aqui no Xadrez Verbal, ilustrado pela estudante de engenharia Alaa Salah, que se tornou um símbolo da resistência popular sudanesa. Vamos até Israel, onde Netanyahu venceu mais uma eleição e caminha para ser o premiê com mais tempo de cargo, além de um giro pelo Oriente Médio. Seguimos para Londres, onde Julian Assange foi preso após o Equador suspender seu asilo, gerando uma troca de acusações dentro do Equador, junto de outras notícias latino-americanas. Além disso tudo, nós giramos pelo mundo, a semana na História, peões da semana e dicas culturais fecham mais um podcast do Xadrez Verbal!

Você nem sempre tem tempo, mas precisa entender o que acontece no Mundo, ainda mais porque o planeta está uma zona. Toda semana, Matias Pinto e Filipe Figueiredo trazem pra você as principais notícias da política internacional, com análises, críticas, convidados e espaço para debate. Toda sexta-feira você se atualiza e se informa.

Dicas do Sétimo Selo e links

Site da Editora Contexto

Filme Estrelas Além do Tempo

Filme À Procura de Eric

Livro Viagem aos Estados Unidos, de Alexis de Tocqueville

Livro Da Democracia na América, de Alexis de Tocqueville

Livro Febre de Bola, de Nick Hornby

Livro Uma Temporada de Facões, de Jean Hatzfeld

Fronteiras Invisíveis do Futebol #77 – Padânia

Xadrez Verbal #126 – Rio Nilo, Oriente Médio e América Latina

Xadrez Verbal #164 – Bolsonaro no Brasil, Sul da Ásia e EUA (Menino Neymar especial com a profª Ana Luisa Demoraes Campos sobre embaixadas)

Texto Trinta anos depois cai o ditador do Sudão, mas algo vai mudar? na Gazeta do Povo

Texto Tradicional tinta azul antifraude é símbolo das eleições na Índia, de Flavia Mantovani

Episódio Eleições Indianas do Patriot Act with Hasan Minhaj (S02E06)

Música de Encerramento The Immigrant (Don Vitto’s theme), por Nino Rota

Playlist das músicas de encerramento do Xadrez Verbal no Spotify

Canal do Xadrez Verbal no Telegram

Minutagem dos blocos, cortesia dos financiadores do Xadrez Verbal

Ouça o podcast aqui ou baixe o programa. (clique com o botão direito do mouse e use a opção “Salvar como” para baixar)

Você também pode assinar o podcast via RSS ou no iTunes, além, é claro, de acompanhar o blog.

A revista de política internacional do Xadrez Verbal é feita na Central 3, que está no Apoia-se

Filipe Figueiredo é tradutor, estudante, leciona e (ir)responsável pelo Xadrez Verbal. Graduado em História pela Universidade de São Paulo, sem a pretensão de se rotular como historiador. Interessado em política, atualidades, esportes, comida, música e Batman.
Como sempre, comentários são bem vindos. Leitor, não esqueça de visitar o canal do XadrezVerbal no Youtube e se inscrever.

Caso tenha gostado, que tal compartilhar o link ou seguir o blog?

Acompanhe o blog no Twitter ou assine as atualizações por email do blog, na barra lateral direita (sem spam!)

E veja esse importante aviso sobre as redes sociais.

Caros leitores, a participação de vocês é muito importante na nova empreitada: Xadrez Verbal Cursos, deem uma olhada na página.

43 Comentários

  • Porque eu recebi um epi do explaining brazil? E pq falar so Lula?

  • João Carlos Yokoyama Menezes

    Filipe e Matias, digam que mandei um beijo pra minha namorada, a Carol! Adoro vocês! Um beijo no metacarpo da mão esquerda!

  • Leonardo de Miranda Ferreira

    Olá Matias e Filipe, sou Leonardo de Miranda, doutorando de Teoria Psicanalítica pela UERJ e ouvinte do programa desde 2015. Peço que mandem um salve para meu querido pai que foi o responsável (ou o culpado) por me fazer gostar de História e Geografia. Ele também é Psicólogo e Professor Universitário. Valendo 1kg de bolo de rolo, desafio vocês a pronunciarem o nome dele corretamente: Prof. MEJNOUR. Assim se chamava um personagem de um romance rosacruz que meu avô leu na década de 1940.
    Estou tentando convencer meu pai a ouvir PodCasts, mas ele não se habitua, então gravo pequenas pílulas do programa e envio por WhatsApp, principalmente as efemérides.
    PS: Antes eu gostava de ouvir o programa na hora de dormir, hoje ouço enquanto malho na academia. Prova de que o Xadrez Verbal pode ser tanto relaxante como estimulante.

  • Olá Filipe e Matias, escuto vocês há mais ou menos 6 meses, e como sempre parabéns e obrigado pelo programa, que acompanha os sábados de manhã quando arrumo as coisas da casa.

    Estava lendo “O Breve Século XX” do Hobsbawn, que é de uma envergadura impressionante, e dos vários pensamentos surgiu um. Tive que vir aqui então para jogar no coloco do Filipe a ideia dele escrever o próximo volume. Seria talvez “O Brevíssimo Século XXI”? Os detalhes e logísticas, claro, são a partir de agora problema para você resolver heheheh

    Isso à parte, um abração de um ouvinte psicólogo em São Paulo. Qualquer dia os visito no estúdio e levo um doce de leite! Falou!

  • João Vitor de Oliveira

    Olá Filipe e Matias, sou calouro de engenharia civil na UFRGS, acompanho vocês desde 2016. Estava pesquisando sobre oque ocorreu no Sudão e acabai por descobrir que os protestos invadiram a cultura popular, desde casamentos onde as pessoas gritam a plenos pulmões os lemas dos protestos, pessoas usando camisetas contra o governo por toda parte. Entretanto oque achei mais interessante foi a entrada dessa politização na música sudanesa, incluindo artistas do Sudão do Sul, (Juba by Senior Mouch) foi um exemplo de como os protestos entraram no país vizinho. Outro fato interessante que gostaria de falar é o uso do Hip Hop sudanês como uma forma de mostrar as crianças combatentes um outro modo de vida e tentar trazer a paz ao continente.
    Por fim, gostaria de agradecer por todos os ensinamentos e piadas do Matias.
    Obs.: Tenho a dúvida se o Sudão do Sul conseguiu o direito ao uso do Nilo após a separação.

  • Olá Filipe e Matias, sou Vlad Schüler, doutorando em Antropologia Social aqui na University of Manchester.
    Meu comentário é mais a respeito do que o Filipe falou sobre as eleições pro Parlamento Europeu aqui no Reino Unido, e como a situação está aqui, vista de perto. Antes de começar, é bom deixar claro que Manchester é talvez a capital trabalhista do Reino Unido, e votou majoritariamente contra o Brexit (em sua zona central urbana — os votos na Grande Manchester foram um pouco diferentes), então não será necessariamente uma visão que se aplicará a todo o país.
    Mas ao contrário do que o Filipe falou, a narrativa aqui é que caso hajam eleições europeias elas serão as eleições mais importantes de uma geração — já que muitas das pessoas contrárias ao Brexit se sentem abandonadas (“disenfranchised”), e essa eleição seria a oportunidade que elas teriam de demonstrar seu apoio à permanência do UK na União Europeia. Isso poderia demonstrar ao governo justamente que opções de Brexit que levem o país a se afastar do bloco europeu seriam bem impopulares internamente (lembrando que, afinal de contas, o referendo foi ganho por uma margem bem pequena). Algumas pessoas inclusive mencionam a possibilidade de que, caso os Membros do Parlamento Europeu (MEPs) eleitos sejam majoritariamente anti-Brexit, movimentos por um segundo referendo ou uma revogação do Artigo 50 (pela saída da UE) ganhem força.
    E um ponto importante pra se analisar é que o comparecimento às urnas para as eleições do Parlamento Europeu é historicamente baixo no UK, nunca tendo superado 40% (em eleições gerais o comparecimento gira em torno de 60% a 70%), e especialmente em eleições recentes tomou um aspecto abertamente anti-europeu (o que fazia com que o UKIP dominasse a cena política nesse nível, mas tivesse bem poucas cadeiras no parlamento britânico [embora isso também seja devido aos sistemas de votação diferentes]). Muita gente espera que caso hajam as eleições o comparecimento seja recorde, justamente pelos motivos que expliquem anteriormente.
    Além disso, tem dois (três, na verdade) pontos importantes a serem destacados:
    1) Jacob Rees-Mogg, uma figura muito importante dentro do partido conservador e da política britânica, fez uma declaração recente (via Twitter), de que o UK deveria tomar uma posição obstrusiva enquanto estivesse dentro da União Europeia (https://twitter.com/Jacob_Rees_Mogg/status/1114086264024727554), sendo “o mais difícil possível”, e muitas pessoas pró-Brexit concordam com isso e acham que a eleição de MEPs pró-Brexit é essencial para tal;
    2) o Nigel Farage, que o Filipe categorizou de “político sério” que não participaria dessas eleições, é atualmente um MEP, e sua carreira política é construída unicamente como Membro do Parlamento Europeu desde 1999. Apesar dele ser um membro fundador do UKIP, ele se afastou do partido (por motivos que não vem ao caso aqui) e agora em 2019 ele fundou um novo partido (“the Brexit Party”), e já deu uma declaração de que esse partido pretende fazer uma campanha ferrenha nessas eleições (https://www.bbc.co.uk/news/uk-politics-47907350), e quase todo mundo toma como garantido que ele próprio vá sair como candidato;
    3) a primeira pré-candidata revelada pelo Brexit Party é justamente a irmã do Jacob Rees-Mogg, a Annunziata Rees-Mogg, o que demonstra justamente uma proximidade da ala pró-Brexit dos Tories com o Brexit Party, e um interesse velado no resultado dessas eleições.
    É claro, isso não quer dizer que não é possível que figuras como Lord Buckethead ou membros do Monster Raving Loony Party surjam como candidatos e atraiam votos de protesto, o que já é extremamente tradicional na política britânica, mas a minha impressão no momento é que, caso ocorram, as eleições serão levadas bem mais a sério do que o Filipe deu a entender.
    Um abraço e se puderem me mandem um feliz aniversário atrasado (15/abril).

  • Olar , Eu moro em Londres ha cinco anos. ate tem sim “trick or treating”, mas eu nunca fui incomodado em nenhum lugar que morei. No maximo uma crianca veio pedir dinheiro num pub pra min ao inves de doce XD. No maximo eh um dia pra sair e “ver uma galera” na rua.

  • Sobre a Romênia, tem um documentário M A R A V I L H O S O sobre a rebelião popular que pôs fim ao governo Ceausescu.

    Videogramas De Uma Revolução (Videogramme einer Revolution).

    Durante cinco dias, manifestantes ocuparam a estação de televisão estatal em Bucareste e transmitiram 120 horas contínuas de programação, levando aos espectadores uma cobertura da revolução em tempo real. Os diretores Harun Farocki e Andrei Ujica combinam imagens de transmissão televisiva com o vasto material produzido por cinegrafistas amadores nas ruas da capital romena e reconstituem, numa narrativa de impacto, os eventos que culminaram com a queda e a execução do ditador. O resultado não é apenas uma história detalhada do levante popular e de suas conquistas, mas um estudo profundo sobre as relações entre mídia e poder.

  • Pheterson Hammond

    Olá Filipe e Matias! Sou Pheterson, de Porto Velho – RO.
    Ao falar sobre a foto do buraco negro o Filipe disse que foram necessários 5 terabytes de dados, porém foram 5 petabytes (mais ou menos 5120 terabytes).
    Abraços!

  • O cara ficou 7 anos encurralado na embaixada. Não era mais fácil ter sido preso em 2012 mesmo?

  • Samuel Teixeira Gomes Viana

    Olá Felipe e Matias ! Sou Samuel, de, Campos dos Goytacazes-RJ, estudante ingressante do Ensino Médio no Instituto Federal Fluminense. Venho agradecer por esse ótimo episódio. É um bom podcast que me ensina e atualiza sobre política e história. E também venho pedir um favor a vocês, se puderem coloquem um piii nas vezes em que falarem algum palavrão, porque assim poderei ouvir o programa sem precisar de fones de ouvido.

  • Salve Filipe e Matias!

    Meu nome é Matheus, de Rio Claro SP, e estudo geologia na UNESP. Comecei a ouvir o Xadrez Verbal esse ano, enquanto faço tarefas domésticas, mas acabei curtindo tanto o podcast que agora invento de lavar a louça/limpar a casa só como desculpa pra ouvi-lo. Minha mãe tem muito a agradecer vocês, pois agora eu sou uma máquina de limpeza.

    E assim eu queria aproveitar e pedir pra vocês mandarem um salve e feliz aniversário pra quem me recomendou o XV, minha querida amiga Roberta, que estuda design gráfico na UFG. Citar o nome dela num programa seria um presente de aniversário em tanto!

    É isso, abraços pra dupla!

  • Filipe e Matias,

    Suas dicas de filmes são sempre muito boas! sempre procuro os filmes que vcs comentam nos programas e gosto bastante. Sempre que vcs falam de um filme eu já anoto pra baixar. O último que vi foi Jamaica abaixo de zero e já to baixando o À procura de Eric.

    Continuem com dicas ai pq agora todo fim de semana em casa é se interar em política internacional e se divertir vendo os filmes.

    Um beijo e um abraço!

  • Tarcisio Souza de Melo

    Filipe e Matias

    Meu nome é Tarcisio, sou morador de São Paulo, Zona leste (extremo leste – Guaianases), sou recém formado em Engenharia de Controle e Automação pelo Instituto Federal de São Paulo e cursando pós graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho. Ouço vocês em minhas caminhas matutinas e não existe companhia melhor nesses momentos. Comecei a ouvir o xadrez verbal no fim de 2017 e de lá para cá junto a vocês já foram 30Kg.
    Fiquei com uma dúvida a respeito da notícia dada por vocês a respeito da sonda israelense. Vocês atribuíram a capacidade de colocar uma sonda em órbita com a capacidade de lançar um míssel intercontinental. Entretanto essa capacidade não seria ao fato de ter a capacidade principalmente do lançamento de um foguete para fora da atmosfera e neste caso de Israel o processo foi feito pela SpaceX. Caso lerem meu comentário por favor mande um abraço ao meu filho Bryan e minha noiva Bárbara esrudante de enfermagem qual estou tentando inicia-la no mundo dos podcast.

    • gnorante Pinheiro Ivan

      Olá Filipe, Matias e Tarcisio.

      Escuto o xadrez verbal faz apenas um mês e vim aqui para comentar sobre esta mesma notícia. Como o Tarcisio apontou, não é possível fazer a relação entre capacidade para lançamento de misseis intercontinentais por Israel e o lançamento da sonda lunar Beresheet. A sonda da empresa privada SpaceIL pegou carona num Falcon9 lançado pela SpaceX. Apesar de não ser possível fazer a relação no caso da sonda lunar, cabe lembrar que a Agência Espacial Israelense possui o foguete Shavit, que desde 1988 realizou dez missões de lançamento de satélites, oito delas bem sucedidas.

      Um abraço a todos.

  • Felipe sou ilustrador e não consigo trabalhar sem ouvir o seu podcast, teria como mandar um abraço pros meus amigos que trabalham comigo? Scava e Daniel
    to tentando fazer eles escutarem vcs e acho que se eles escutarem essa mensagem eu possa converte-los ao xadrez verbal kkk

  • Boas!
    Esqueci de comentar no episódio passado que o partizano que deu o tiro do fuzilamento do Mussolini era um jogador de rugby da Lazio.
    Abraço.

  • Aqui e o Seamus da Iralnda(Dublin), Thiago no brasil, James no UK, Giacomo na italia, Jacques na franca e Yakub em paises arabes, respondendo a pergunta sobre o Halloween: No UK nao sei, mas na irlanda e “BIG DEAL”. Diria que e mais esperado que o “natal”.

  • Sou professor de música e dirijo via app nas horas vagas para complementar a renda, venho aqui pra agradecer um momento maravilhoso que vivi graças a vocês, pois enquanto estava dirigindo, ouvindo o ultimo episodio, uma passageira que estava no meu carro, ficou horrorizada com a noticia do Assange, afinal, a imprensa brasileira não repercutiu que a Sandy estava passando por esse problemão internacional, e a cara de pau ainda estava vendendo ingresso pra fazer show com o irmão pelo Brasil todo esses dias hahahahhahaa… Abraço Filipe e Matias, programa sempre foda, um banho de conhecimento!

  • Olá meus caros Felipe e Matias! Me ajudem a divulgar a palavra do Xadrez Verbal para meus amigos e familiares! Mandem um abraço para o meu amigo Jonnas Walleson do curso de História na URCA – Crato CE e para os ouvintes da cidade de Juazeiro do Norte que não são poucos!

  • Bertholdo Müller Neto

    Boa tarde Filipe e Matias,
    Vocês falaram sobre jogadores sudaneses de futebol com destaque atualmente, no momento do programa estava jogando Football Manager e achei somente um, e que não é sudanês de nascimento. Taleb Tawatha, filho de beduínos com descendência sudanesa. Joga atualmente no Eintracht Frankfurt.

  • Olá senhores! Conheci o podcast graças a minha namorada e estou viciado. Ouvi os últimos 3 e atualmente estou no número 14 dos programas antigos. Vocês tem sido minha companhia nas jogatinas de Master League do PES….. Parabéns pelo grande programa!!!
    Se puderem, mandem um abraço para minha namorada, Daniela Cristo (sim, parente do homi).
    Abraço a todos!!!!

  • Olá, Filipe e Matias!

    Uma efeméride que senti falta no último programa foram os 180 anos de nascimento do cearense mais importante da história. (Bem, o mais importante até o Clodoaldo, que decretou a vitória do meu Fortaleza sobre o São Paulo, recém-campeão da Libertadores e futuro trimundial, em 2005). Esse cearense foi Francisco José do Nascimento, o Dragão do Mar, líder jangadeiro que iniciou, em 1881, uma rebelião contra o transporte de escravos na província, sob o lema “No porto do Ceará não se embarcam mais escravos!”, o que ajudou a antecipar em 4 anos a abolição da escravatura no Ceará em relação ao resto do Brasil. Esse apelido, Dragão do Mar, reza a lenda foi dada pelo grande poeta Aluísio de Azevedo.

    O nome do Dragão do Mar ainda hoje é muito celebrado e usado para homenagens. Por exemplo, a principal praça de lazer da cidade. Assim como o grupo de estudos do qual eu faço parte, o Grupo de Estudos Dragão do Mar. Inclusive, peço um abraço para os integrantes do grupo!

  • Caro Felipe e Matias,
    Sou Lucas Roberto, estudante de engenharia mecânica. Então, talvez não tenha sido a intenção de vocês ou algo do tipo, porém, a relação que o Felipe fez com a capacidade do míssil de Israel talvez tenha sido meio equivocada. Israel possui sim tecnologia na área de balística e misseis e coisas do tipo (exemplo do sistema de defesa Trophy e o Domo de Ferro), mas no caso da sonda Beresheet por alguns motivos foi lançada por um Falcon 9 da SpaceX. Inclusive o booster que o levou para órbita pousou em seguida. Enfim, gosto muito do podcast e acho o trabalho de vocês incrível.

  • Olá Filipe e Matias. Já sou ouvinte do Xadrez Verbal a mais de um ano. Achei muito legal vcs terem lembrado do Tocqueville nessa edição. Estou participando de uma dinâmica organizada por um promissor vereador daqui de BH, Gabriel Azevedo, em que cada mês lemos um livro e no último domingo do mês nós encontramos em uma praça para discuti-lo. Esse é justamente o mês do “Da democracia na América” e, embora ainda ganha esperança, não acho que consigo terminá-lo até o final do mês.
    Parabéns pela qualidade de sempre. Se puderem mandar um abraço pra mim e pra minha amiga Gabrielle Vianello que encorajo a ouvir o programa e participar comigo da dinâmica que citei ficarei agradecido.

  • ola Felipe e Matias, sou Edgard, engenheiro aeroespacial, e sempre trabalho escutando Xadrez verbal. Só por curiosidade, a missão lunar israelense nao foi lançada por meios próprios, mas sim pelo foguete da SpaceX, a empresa israelense foi responsável apenas pelo desenvolvimento da sonda, e não do lançador. Mesmo assim tendo falhado na missão foi um feito incrível, pois foi a primeira missão privada a lua.
    Saudações.

  • Olá, caros.

    Nas efemérides da semana, vocês citaram o caso de Hilssborough (e como essa tragédia mudou o futebol inglês de uma forma geral). Vocês mencionaram que os times precisam que todas as arquibancadas sejam com acentos (essa determinação é para os times da primeira e segunda divisões). Sobre isso, vale o comentário sobre o novo estádio do Tottenham (ainda sem nome), que tem uma arquibancada (no setor sul, atrás de um dos gols) que comporta 17.500 pessoas, no estilo muralha amarela, do Borussia Dortmund. Essa parte do estádio é a “safe standing”, que é um sistema que permite que o torcedor possa ficar em pé, legalmente, dentro do estádio. Mais detalhes sobre o assunto aqui na reportagem da sky sports: https://www.skysports.com/football/news/11675/11416505/tottenham-prepared-for-safe-standing-at-new-stadium Outros clubes já solicitaram que possa haver no estádio um setor em que o torcedor possa ficar em pé *West Brom fez isso recentemente).

    Um abraço e parabéns pelo trabalho.

    Thiago Araújo, de Brasília-DF.

  • Guilherme Zacarias

    O incêndio da Notre Dame me lembrou o incêndio de 1999 na Igreja Nossa Senhora do Carmo em Mariana-MG que estava em restauro, e ia ser terminado uma semana antes do Incêndio, o motivo do incêndio? Um operário derrubou uma caixa de ferramentas do andaime, que partiu um cabo elétrico e iniciou uma fagulha na madeira encharcada de mata-cupim a base de querosene.

    http://www.oocities.org/lagopaiva/tochahis.htm

    • Guilherme Zacarias

      Saída do Brasil na Unasul, Brexit e Eurocéticos podem ser explicados de maneira bem simples:

      Uma criança birrenta pede para a mãe comprar algo e quando a mãe finalmente cede, a criança diz que não quer mais.

  • Fernando Oliveira

    Olá caros,
    Sobre a Katie Bouman e a foto do buraco negro. Ela mesma explicou o seu projeto em um TED há um ano atrás.

    Lá dá pra saber como eles usaram o software para contornar o problema da limitação do tamanho do telescópio. Caso não fosse pelo algoritmo da equipe dela, precisaríamos de um telescópio do tamanho do planeta terra para conseguir tal foto.

  • Pedro Igor Carvalho

    Boa noite Filipe e Matias, me chamo Pedro e ma curiosidade que eu tenho é por que a maioria, senão todos, os partidos eurocéticos estão no espectro politico da direita e não há tantos no lado esquerdo do espectro. Até porque até onde eu sei a UE não é algo particularmente de esquerda ou direita.

  • Thales Carl Lavoratti

    Olá Felipe e Matias, aqui é o Thales. Sou estudante de engenharia mecânica na UFSC, mas atualmente estou fazendo o estágio em Dresden na Alemanha. Gostaria de mandar um abraço pro meu amigo Afonso, que faz filosofia na UFSC, porém que no momento também está fora do país agora, morando em Londres. Ele que me apresentou o programa no final do ano passado e desde então não perco um. Outra coisa interessante é que fazem três meses que estou na Alemanha, no primeiro mês morei com dois paquistaneses e agora estou morando com dois indianos e tenho mais um colega de trabalho que veio da Caxemira, logo o podcast me proporcionou um meio de interagir e ver a opinião de diversos pontos de vista do mesmo conflito. Valeu pessoal. Continuem o ótimo trabalho.

  • Oi, Matias e Filipe. Sou Pedro Shimizu, engenheiro civil, recém casado e atualmente morando em Boston, Estados Unidos. Estou no meio do processo de imigração e, por não ter ainda a permissão de trabalho por essas terras, estudo paralelamente para a revalidação do meu diploma e ouço praticamente todos os podcasts da Central 3. O Xadrez Verbal é fantástico e o utilizo muito para conversar com os demais imigrantes dos mais diversos lugares deste planeta que também moram por aqui.

    Gostaria de acrescentar na anedota sobre o Assange que a comparação futebolística ideal seria postar na conta do embaixador que fosse torcedor do Barcelona de Guayaquil “Viva Emelec”, uma vez que esses dois times são os grandes rivais da maior cidade equatoriana.

    Mandem um abraço para a minha maravilhosa esposa Michèle. Desejo muito sucesso para vocês e o podcast!

  • Sobre o episódio #182: Felipe, vc devia ficar na história, porque de internet você não entende é nada. Sim, os seus nudes vão cair na net, se você for um completo noob em internet e enviar eles pela conversa do gmail. Você não entende absolutamente nada de privacidade digital, como dá pra ver pelos botões de facebook e twitter aqui no campo de comentários.

  • Diogo Luiz Andrade

    Olá Filipe e Matias.
    Me chamo Diogo Andrade e sou mais um dos Oficiais do Exército que estou na preparação para o Concurso de Admissão ao Curso de Altos Estudos Militares da Escola de Comando e Estado Maior do Exército.
    Conheci o programa por meio do Nerdologia e hoje considero indispensável na minha preparação o combo: “Xadrez verbal, Fronteiras invisíveis, Nerdologia de História e Coluna do Filipe na Gazeta”.
    Basicamente, se quisermos alcançar postos mais altos na carreira militar e ter a chance de comandar alguma Unidade do Exército, precisamos saber a História do Brasil e do Mundo de 1500 até agora, além de dominar a Geopolítica mundial. É nisso que programas de qualidade como o de vocês nos ajuda.
    Quanto ao programa passado, me intrigou o caso do atleta australiano de rugby Israel Folau. Me pareceu que ele havia citado eu seu Tweet um trecho da bíblia que diz o seguinte na 1ª carta de Paulo aos Coríntios (Capítulo 6, versos 9,10 e 11): “Não sabeis que os injustos não hão de herdar o reino de Deus? Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus. E é o que alguns têm sido; mas haveis sido lavados, mas haveis sido santificados, mas haveis sido justificados em nome do Senhor Jesus, e pelo Espírito do nosso Deus.”
    Será que estamos vivendo em um tempo em que a liberdade de professar uma fé passará a ser limitada? Até que ponto o fato de alguém poder se sentir ofendido por uma opinião nossa limitará a nossa liberdade de expressão?
    Sigo ouvindo os programas. As provas de História e Geografia do Concurso serão nos dias 8 e 10 de maio. Torçam por mim!

  • Por favor alguém pode me dizer o nome da música que toca na hora das efemérides semanais?

  • Caros Filipe e Matias.
    Queria apenas dizer que sou ouvinte de vocês desde meados de 2016 e acho que a piada do Matías, quando vocês estavam explicando sobre o filme que havia sido barrado na Índia (“Modi, o filho da Índia” ), foi a melhor que já ouvi dele nos últimos 3 anos. Hahaha

    No mais, sobre o questionamento de um caso de “roubo de arte” ir a júri, isso acontece em vários países, de não serem apenas crimes dolosos contra a vida que vão a júri. Nos EUA, por exemplo, é comum terem crimes que vão à júri quando não há acordo entre as partes, ou quando, em casos criminais, não há acordo com a promotoria.

  • Olá pessoal, parabéns pelo podcast! Sou professor na UFABC, e quem o indicou foi meu amigo Paulo Kielwagen (também professor, em Curitiba). Tenho achado o Xadrez uma maneira muito agradável de me atualizar no noticiário internacional.
    Uma pequena correção a este episódio, sobre o tema do Assange: embora o Wikileaks tenha, em 2015, publicado mais um documento que indicava o grampo à Dilma, quem revelou originalmente as espionagens (à presidenta e à Petrobras) foi o Snowden, em 2013.
    Abraços, e continuem com o ótimo trabalho.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.