Arquivos de tags: Manifestações

Comentando os comentários: o vídeo sobre as manifestações

Fazendo um panorama geral nos comentários sobre o vídeo das manifestações. Um vídeo POLÊMICO, que teve mais desdobramentos que eu imaginava, falando tanto das manifestações de junho quanto das de março/abril. Para manter a objetividade do vídeo, sem piadinhas dessa vez. Para evitar mais confusões ou gente se sentindo ofendida, sem citar nomes ou copiar comentários na íntegra. Espero que

Ler mais

Duas características preocupantes do Movimento de 15 de Março de 2015

– Por Antonio Cesar Dominguez Duas características do movimento do dia 15 de março de 2015 são preocupantes: o uso de uniformes da seleção brasileira e o discurso “anticorrupção”. A primeira denota a apropriação de símbolos nacionais. Quando uma parte da sociedade, seja minoritária, seja majoritária, toma para si emblemas que representam a totalidade da nação, está-se, voluntariamente ou não,

Ler mais

Manifestações no Brasil e condenação de protestos: debate, legítimo?

O vídeo ficou longo dado a dificuldade do tema, dá pra assistir por partes. Nos últimos anos, tivemos enormes manifestações nas ruas brasileiras. As mais diversas pautas e os mais diversos grupos demográficos. Por qual motivo, em algumas situações, olhamos para uma manifestação, ou ouvimos um argumento político, e o deslegitimamos? Como se estivesse errado em seu príncipio, independente do

Ler mais

O paradoxo da força e Marechal Lott

O intelectual alemão Max Weber cunhou uma frase célebre. Tão célebre que, muitas vezes, sua obra inteira é reduzida a esta frase: “O Estado é o monopólio do uso legítimo da força”. Chavão ou não, esse é um fato político. A força física, “o monopólio da violência” é, mais que uma prerrogativa, um alicerce do Estado moderno. Notem que Weber

Ler mais

Política, partidarismo e politicagem

No dia quinze de Junho de 2013, o governador do estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, afirmou que os recorrentes protestos na capital, contra o aumento da tarifa do ônibus (mas não restritos à apenas ao aumento), tinham “duas marcas”: serem políticos e violentos. Sobre serem, ou não, violentos, não será discutido aqui, neste post. Mas, seriam os atos políticos?

Ler mais