Xadrez Verbal Podcast #127 – EUA, Polônia e América Latina

O podcast do Xadrez Verbal dessa semana chega com uma convidada mais que especial, com a presença da historiadora e capirotóloga Tupá Guerra no estúdio. Discutimos a questão do antissemitismo no leste europeu, no contexto da nova lei polonesa sobre o Holocausto. Também viajamos pela nossa vizinhança, do México ao Chile, incluindo casos de família no Peru.

Comentamos o primeiro discurso de Estado da União de Donald Trump, sua repercussão e a reação democrata. Giramos pelo mundo, economia com a professora Vivian Almeida, a semana na História, muitas dicas culturais e um Menino Neymar com figurões completam o programa, encerrado com uma música que o Matias odeia.

Você nem sempre tem tempo, mas precisa entender o que acontece no Mundo, ainda mais porque o planeta está uma zona. Toda semana, Matias Pinto e Filipe Figueiredo trazem pra você as principais notícias da política internacional, com análises, críticas, convidados e espaço para debate. Toda sexta-feira você se atualiza e se informa.

Dicas do Sétimo Selo e links

Quadrinhos Maus

Série Os filhos da guerra

Filme Um ato de liberdade

Filme Uma cidade sem passado

Música Crystal Night, do Masterplan

Playlist das músicas de encerramento do Xadrez Verbal no Spotify

Ouça o podcast aqui ou baixe o programa. (clique com o botão direito do mouse e use a opção “Salvar como” para baixar)

Você também pode assinar o podcast via RSS ou no iTunes, além, é claro, de acompanhar o blog.

A revista de política internacional do Xadrez Verbal é feita na Central 3, que está no Apoia-se

Filipe Figueiredo é tradutor, estudante, leciona e (ir)responsável pelo Xadrez Verbal. Graduado em História pela Universidade de São Paulo, sem a pretensão de se rotular como historiador. Interessado em política, atualidades, esportes, comida, música e Batman.
Como sempre, comentários são bem vindos. Leitor, não esqueça de visitar o canal do XadrezVerbal no Youtube e se inscrever.

Caso tenha gostado, que tal compartilhar o link ou seguir o blog?

Acompanhe o blog no Twitter ou assine as atualizações por email do blog, na barra lateral direita (sem spam!)

E veja esse importante aviso sobre as redes sociais.

Caros leitores, a participação de vocês é muito importante na nova empreitada: Xadrez Verbal Cursos, deem uma olhada na página.

Anúncios

31 Comentários

  • Oi, é aqui o podcast pra ouvir enquanto lava a louça?

  • Ouvir esse otimo podcast enquanto transporto 10 toneladas de serragem! (Estou parado em um posto pra escrever isso haha)

  • Ótimo o programa. Só faltou comentar a pior consequência de danificar as linhas de Nazca, que é atrapalhar a sinalização pra volta dos alienígenas.

  • Nuance ?
    Que porra é essa de nuance?
    Ta inventando palavra?
    Fala direito.
    Foi impossível não lembrar do choque de cultura na hora.
    PS: Faltou o Mizanzuk para ajudar na pronuncia do Polonês

  • Ola Filipe e Matias. Excelente programa como sempre. Só passei pra dizer que shipo o Filipe e a Tupa desde as participações dos dois no anticast. Sou team Figuerra. Grande abc londrino.

  • Só passando pra dizer duas coisas: 1- não sei se ficou claro mas só pra esclarecer pela emenda XXII um presidente americano só pode se reeleger uma vez e depois não pode ocupar mais nenhum cargo publico, não é apenas coisa do tipo uma lei não escrita e fizeram justamente porque Roosevelt se reelegeu 3 vezes.

    2- O Brasil exporta 4 vezes mais care bovina do que o Reino Unido. Boa sorte pros Britânicos.

    • Eu comentar exatamente isso. 😀

      Só faço um acréscimo:

      Havia, de fato, uma regra não escrita estabelecida pelo primeiro presidente deles, Washington, que decidiu, livremente, não concorrer para um terceiro mandato. E os sucessores seguiram a tradição até o Roosevelt mandá-la às favas.

  • André Felipe Mendes

    Olá, pessoal. Eu estudei um ano mandarim na Unesp e o termo em mandarim pra hashi é 筷子 (kuài zi – lê-se kuai tzu – com o “u” bem fraquinho). Sei que pode ser informação inútil, mas fica aí a curiosidade. Abração, pessoal.

  • Vou nem mentir, tava morrendo de ciume do Filipe com a Tupá…. =/ #ProntoFalei

  • Sobre irem escondidos para a Inglaterra para abortar: talvez não seja mais assim.
    Moro e trabalho em Dublin. A mulher de um colega de trabalho engravidou, ficaram sabendo numa quarta, marcaram a consulta para o aborto na sexta, ele tirou a quarta passada off, foram e voltaram no mesmo dia com o procedimento feito. Os dois são irlandeses e nunca residiram no Reino Unido, então não acho que precise ser tão escondido assim.

  • Professora Vivian errada como sempre, 2018 vem a pior crise global, e esse pessoal keynesiano nem vai saber o porque.

  • Gostei da convidada, historiadora também.

    Filipe, avisa o Matias (ou é MaTHias?) para escutar Heavy Metal. É bom abrir a mente e eu sou o maior exemplo disso: além de escutar muito Iron Maiden, Judas Priest etc, eu gosto muito de Tim Maia, Cartola e os outros grandes nomes da música brasileira.
    Música de encerramento excelente, já tinha anos que eu não ouvia Masterplan e nem lembrava mais da banda; inclusive, eu menciono outras duas que surgiram após integrantes saírem do Helloween: Iron Savior e Gamma Ray, bandas fantásticas.

    Abraços para todos.

  • Estou muito curioso para saber se a proibição do comércio de marfim terá efeito significativo na China.
    Em teoria eles também possuem altas regulamentações para coibir os abusos de ursos nas fazendas de bile de urso, mas na prática o método de tortura continua em alta. A regulamentação fica só para inglês ver…

  • Adorei o programa! Podem convidar a Tupá mais vezes, inclusive. Além do conhecimento e da simpatia, ela tem uma voz muito gostosa de se ouvir (a sua também é, Matias, não precisa ficar com ciúmes) 🙂
    Sobre o Menino Neymar da semana, queria aproveitar pra agradecer a vocês por serem uma alternativa tão bacana a essa imprensa podre e jurássica. Ter acesso a uma cobertura tão abrangente sobre lugares mal e porcamente abordados pela mídia como África (excelente a parte sobre o Nilo do programa #126, aliás) e Oriente Médio é um privilégio.
    Um abraço, meus guerreirinhos!
    Mari Z.

  • Seguindo as pessoas que agradeceram pela ajuda no vestibular queria deixar meus agradecimentos ao Filipe e ao Matias por terem constituído uma ótima fonte complementar de estudos no ano passado. Mesmo que indiretamente, vocês colaboraram pra minha aprovação em Ciências Econômicas na FEA-RP USP e em Direito na Unesp, meus sinceros agradecimentos!

  • Faltou comentar que a vocalista dos Deolinda é a belíssima Ana Bacalhau, tô falando sério. O nome dela é esse mesmo! Aliás, canta muito mais que a Anitta!

  • Fala, pessoas! Então, quero fazer um comentário sobre o “acesso universal” nas universidades do Chile.

    Com a nova lei, é estabelecida a gratuidade do ensino superior para os 60% MAIS POBRES da população (seja em universidade pública ou privada), para alunos que NÃO excedam o tempo previsto para a conclusão do curso e que ainda não tenham um diploma universitário de outra instituição chilena.

    Não é perfeito mas é muitíssimo melhor do que o modelo brasileiro, onde boa parte dos mais ricos estudam em universidade pública de graça enquanto boa parte dos mais pobres vão para privadas, muitas vezes pagando.

    http://www.gratuidad.cl/lo-que-debes-saber/

  • Fala galera!
    Excelente episódio como sempre.
    Só uma correção sobre o vazamento das bases militares dos EUA:
    O Fitbit apenas o smartwach. O app é o Strava e eles é que publicaram o mapa de calor que continha as localizações das bases.

    Segue matéria da CNBC com considerações do CEO do Strava:
    https://www.cnbc.com/2018/01/30/strava-reviewing-features-after-military-bases-were-found-on-heat-map.html

  • Adorei o programa e a influência da Tupá no Filipe! Aqui vai uma pérola pra quem sabe usar no quadro Neymar…
    https://globoesporte.globo.com/olimpiadas-de-inverno/noticia/delegacao-da-noruega-recebe-15-mil-ovos-por-erro-em-tradutor-inacreditavel.ghtml

  • Recentemente visitei o POLIN, museu da Historia dos Judeus Poloneses situado em Varsóvia, cidade aonde moro atualmente e nele existem descrições de ataques a judeus por conta de algo chamado de “Libelo de sangue”, aonde eles eram acusados de raptar crianças para roubar seu sangue e misturá-lo no pão do shabat. Esse tipo de crendice continuou sendo utilizada como justificativa desde a Idade Media e através dos seculos subsequentes, inclusive no sec XX na própria Polônia.

    https://en.wikipedia.org/wiki/Blood_libel

    https://en.wikipedia.org/wiki/Anti-Jewish_violence_in_Poland,_1944%E2%80%931946

  • Baixei mais de 10 programas (entre Fronteiras Invisíveis e podcast semanal) de vocês para escutar durante a viagem de carro rumo ao Rio de Janeiro (com parada em SC e SP), me atualizando sobre o que vem acontecendo na Política Internacional e tentando bolar uma ideia sobre o TCC para a metade do ano. Muito obrigado, vocês são demais!

  • Para complementar a dica de Generation War, vale mencionar a boa série polonesa que foca justamente na resistência e nos eventos ocorridos no país durante a ocupação nazista (e soviética, em menor escala) chamada The Time of Honor (ou Czas Honoru), além da primeira fase obra do grande e pelêmico Andrzej Wajda, que também lutou na resistência e foi militante e senador pelo Solidariedade.

  • Um abraço dos “Abinistas” ao nosso querido Mathias. Hehe

    Surgiu-me uma dúvida, caro Filipe. Não é a primeira vez que escuto “piadas” sobre a ABIN por aí (em diferentes lugares)… Seria só mais um sintoma da clássica “Síndrome do Vira-Lata” do brasileiro? Ou realmente a ABIN não tem prestígio no cenário nacional e internacional? Obrigado desde já, e parabéns pelo programa. Abraços

  • Olá pessoal, saudações Manauaras.

    Segundo o Bartek, meu amigo polonês, Szczuczyn se pronuncia “Stchútchin”.

    Segue transcrição completa do comentário dele:

    – “Caralho… escolheu uma cidade que… porra… Stchútchin, se pronuncia Stchútchin. De onde vem o interesse?”

    Grande abraço.

    Rommel Sousa
    Manaus

  • Olá Filipe, tudo bem?
    Parabéns pelo trabalho, não perco nenhum programa. Peço licença para expor uma crítica. Poxa, passo a semana toda esperando o programa na sexta para ouvir no carro, mas o programa vai ao ar sempre depois da 22h o que resulta em não conseguir ouvir, só ouço na segunda-feira posterior quando as notícias, entre aspas, estão atrasadas.
    Não quero ser xingado, mas não dá pra lançar o podcast um pouco mais cedo?

    Abraços de um ouvinte assíduo.
    Hugo Fernandes

  • Moro na Alemanha, e no mesmo dia que ouvi esse Podcast apareceu no meu Youtube uma propaganda, que a principio pensei se tratar de um jogo novo, sobre a resolucao polonesa e essa nova “anti-propaganda”. Abaixo o link do youtube:

  • Bom dia, people. Tudo bem?

    Comentário um pouco atrasado para esse podcast, apenas a título de informação mesmo: “Contos de Odessa”, de Issac Babel, é uma obra literária que tem como pano de fundo a vida de judeus naquela cidade no início do século XX. Em um conto (ou mais de um, a memória agora não me ajuda…) há a ocorrência do pogrom.

    E era isso. Abraço!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.