Xadrez Verbal Podcast #116 – Somália, Venezuela e energia limpa

No Xadrez Verbal dessa semana, recebemos novamente Gustavo Rebello, diretamente da Flórida, para abordar o tema da energia limpa na administração Trump.

Passamos pela Venezuela e os resultados das eleições regionais, realizadas no último final de semana. Ainda na América Latina, fomos até a Argentina e falamos do nosso Brasil também.

A Somália foi nosso destino principal, com os atentados recentes no país. Abordamos a História recente do país, a atual guerra civil, suas variadas facetas e também uma reflexão sobre o papel do jornalismo. Giramos pelo mundo, os peões da semana com muitas eleições, a semana na História e dicas culturais fecham mais um podcast do Xadrez Verbal.

Você nem sempre tem tempo, mas precisa entender o que acontece no Mundo, ainda mais porque o planeta está uma zona. Toda semana, Matias Pinto e Filipe Figueiredo trazem pra você as principais notícias da política internacional, com análises, críticas, convidados e espaço para debate. Toda sexta-feira você se atualiza e se informa.

Dicas do Sétimo Selo e links

Em breve

Playlist das músicas de encerramento do Xadrez Verbal no Spotify

Ouça o podcast aqui ou baixe o programa. (clique com o botão direito do mouse e use a opção “Salvar como” para baixar)

Você também pode assinar o podcast via RSS ou no iTunes, além, é claro, de acompanhar o blog.

A revista de política internacional do Xadrez Verbal é feita na Central 3, que está no Apoia-se

Filipe Figueiredo é tradutor, estudante, leciona e (ir)responsável pelo Xadrez Verbal. Graduado em História pela Universidade de São Paulo, sem a pretensão de se rotular como historiador. Interessado em política, atualidades, esportes, comida, música e Batman.

Como sempre, comentários são bem vindos. Leitor, não esqueça de visitar o canal do XadrezVerbal no Youtube e se inscrever.

Caso tenha gostado, que tal compartilhar o link ou seguir o blog?

Acompanhe o blog no Twitter ou assine as atualizações por email do blog, na barra lateral direita (sem spam!)

E veja esse importante aviso sobre as redes sociais.

Caros leitores, a participação de vocês é muito importante na nova empreitada: Xadrez Verbal Cursos, deem uma olhada na página.

Anúncios

11 Comentários

  • Fellipe Cesar Campagna

    Olá, perdão, fiquei muito confuso com a parte sobre o CPP e a CARB.
    Para o Scott Pruitt desfazer o CPP, e para permitir o maior consumo nos veículos, ele não teria que fazer a suprema corte revisar a decisão de que os gases de efeito estufa são poluentes?
    Os estados que seguiam o modelo da CARB? Estavam emitindo mais poluentes do que os regulamentados pela EPA? E agora terão que seguir o modelo da EPA? Ouvi mais de uma vez, mas fiquei muito confuso.

    • Olá Fellipe, desculpe se ficou confuso!
      O CPP é um plano de ação imposto pelo Governo Obama através da EPA. O máximo que a Suprema Corte poderia fazer num caso do tipo é dizer se o CPP é legal ou não, no que diz respeito a Constituição, na época que ele foi lançado, 2009. Não foi o caso. Portanto a decisão de manter ou não o plano cabe ao chefe da EPA, bem como o poder de conceder ou revogar as exceções feitas ao plano da CARB. Até onde eu sei essa é a primeira vez que uma exceção ao padrão da Califórnia é desfeita, e por isso os estados que se adaptaram e investiram seguindo as normas rigidas da CARB estão processando a EPA. Claro que nada é feito ou desfeito do dia pra noite e o CPP perderá a validade apartir de 2018. Já a Califórnia tem que apresentar os dados (como o de monitoramento de ozonio) à EPA imediatamente ou sofrer intervenções e até perder sua autonomia ano que vém. Se o CPP fosse uma emenda, aí sim a questão teria que passar pelo legislativo.
      Se quiser mais detalhes do que a EPA ameaçou a California (e tiver um bom analgésico por perto) vc pode ler direto no Federal Register (equivalente ao Diario da União): https://www.gpo.gov/fdsys/pkg/FR-2017-09-26/pdf/2017-20445.pdf
      Os estados que estavam seguindo o modelo de exceção permitido à CARB (Nova York, Maryland, Connecticut, etc) estavam seguindo normas que eram mais rigidas do que as impostas pela EPA, e portanto fechando termeletricas e/ou mudando para gás natural, estavam seguindo o padrão do combustivel LCFS, incentivos ao uso de painéis solares, e contando com o aumento da média de autonomia de carros novos (ao menos a primeira meta foi atingida, a de 15 km/ L). A área entre Connecticut até Newark em Nova Jersey é uma dessas áreas muito poluidas, com muita emissão de ozônio devido ao grande número de veículos. Com isso esses estados estavam ganhando tempo para suas industrias se adaptarem as reduções de gases poluentes. Afinal, a adaptação representaria um gasto a mais para essas industrias em meio a crise economica de credito.
      Espero que agora faça mais sentido. Abraço

      • E mais um detalhe: num cenário em que o governo dos EUA mude novamente e um novo presidente da EPA seja nomeado em 2020, levaria ao menos 10 anos até que um novo padrão Califórnia nos moldes atuais fosse implementado e tivesse efeito. Claro, supondo que os Republicanos perderão as eleições em 2020.

      • Fellipe Cesar Campagna

        Primeiramente, muito obrigado pela resposta. Eu que sou meio limitado sofre o assunto, não precisa de desculpar. É um assunto muito denso. Tentarei ler o link, mais uma vez obrigado!

  • A fotografia ganhadora do Pulitzer foi tirada no Sudão

  • Ocorreu algum problema para que não seja upado aos domingos o podcast no youtube? Senti falta uma vez que deixo pra ouvir no domingo.

  • Olá! Queria deixar uma contribuição cultural sobre a questão da Somália/ Mogadíscio.

    Ano passado li o livro Infiel da Ayaan Hirsi Ali. Ela é uma figura polêmica, mas o livro ajuda a nos dar duas visões muito interessantes: a primeira é o ponto de vista de como é ser mulher dentro do Islamismo (o livro conta a tragetória dela desde a infância até a vida adulta como política na Holanda), mas principalmente nos ajuda a entender o pano de fundo que fez eclodir a guerra civil Somali do ponto de vista de quem nasceu e cresceu na região. Ainda não li o segundo livro dela, mas ambos estão na Amazon e podem ser encontrados de formas paralelas nas internet.

    Ainda no tema mulheres na programa, adorei as colocações da Vivian e o livro que ela indicou está na minha fila breve de leitura. Realmente a desigualdade flagrante de gênero dentro do mercado de trabalho é algo que impacta e muito nossas escolhas como população e também os rumos do país enquanto nação.

    Um beijão, e parabéns pelo programa dessa semana!

    Renata Costa

  • Rafael Furtado Teixeira

    Olá Matias e Felipe.
    Vcs ajudam muito todos nós ouvintes intelectualmente e culturalmente com o trabalho de vcs. Muito obrigado meus amigos.
    Ah… e as músicas de encerramento são muito boas hehe. Valeu.

  • O rss está com problemas… não atualizou no itunes, nem no meu aplicativo de podcasts.
    Parabéns pelo trabalho! Ouço todas as semanas.

  • E o programa #116?

  • Digo, #117

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s