Fronteiras Invisíveis do Futebol #38 – São Paulo

Fronteiras Invisíveis do Futebol é a nova iniciativa do Xadrez Verbal, um podcast sobre História, política atual, geopolítica, tudo isso com o fio condutor do futebol. Apresentado pelo meu amigo Matias Pinto, que também apresenta o podcast que vocês tanto apoiam, o programa será quinzenal, com um belo trabalho de edição. Em cada programa teremos A História, O Campo e O Mapa, contando sobre alguma região do planeta, sua identidade cultural e sua História. A série é motivada pela série de textos especiais Fronteiras Invisíveis da Europa, que discute nacionalismos, regionalismos e a União Europeia.

Por conta dos 85 anos da Revolução Constitucionalista, “viajamos” a São Paulo para conhecer a história do Estado mais populoso da Federação e onde foi disputada – segundo a História Oficial – a primeira partida de futebol no país. Passamos pelos diversos ciclos econômicos da “Locomotiva do Brasil, sem ignorar a resistência das camadas populares, sejam elas populações nativas, escravos africanos ou imigrantes europeus. Já em relação ao esporte bretão, abordamos os primeiros passos da elite paulistana à popularização da modalidade do Litoral ao Interior, promovida pelas ferrovias. Para tal, nossa dupla de apresentadores convidou o amigo corintiano Bruno Faria, para que o Trio de Ferro estivesse representado igualitariamente.

Site dos parceiros do app Goleiro de Aluguel

Referências no programa

Filme Boleiros, era uma vez o futebol

Livro São Paulo 1932 Memória, Mito e Identidade

Música Pânico em SP, do Inocentes

Ouça o podcast aqui ou baixe o programa.

Assine um dos feeds do Fronteiras Invisíveis do Futebol e não perca nenhum programa: feed RSS, feed do iTunes e feed Player.FM, feed Deezer e feed Pocketcast

A revista de política internacional do Xadrez Verbal é feita na Central 3, confira o restante da programação aqui.


assinaturaFilipe Figueiredo, é tradutor, estudante, leciona e (ir)responsável pelo Xadrez Verbal. Graduado em História pela Universidade de São Paulo, sem a pretensão de se rotular como historiador. Interessado em política, atualidades, esportes, comida, música e Batman.


Como sempre, comentários são bem vindos. Leitor, não esqueça de visitar o canal do XadrezVerbal no Youtube e se inscrever.


Caso tenha gostado, que tal compartilhar o link ou seguir o blog?

Acompanhe o blog no Twitter ou assine as atualizações por email do blog, na barra lateral direita (sem spam!)

E veja esse importante aviso sobre as redes sociais.


Caros leitores, a participação de vocês é muito importante na nova empreitada: Xadrez Verbal Cursos, deem uma olhada na página.

botãocursos

Anúncios

12 Comentários

  • Charles MIller quando veio pro Brasil trouxe 2 bolas de futebol, um livro com as regras, uma bomba de encher, uniformes usados e um par de chuteiras… quer dizer então que aqui no Brasil ele foi aquele cara que vai jogar de chuteiras quando todo mundo vai jogar descalço?

  • O União São João estava no Campeonato Brasileiro 96 do Super Nintendo (que é baseado no campeonato brasileiro de 97 antes que alguém reclame). 😂

  • Adorei o programa! Como campineiro nato fiquei imaginando onde estava a ponte preta que deu nome ao clube, já que não me lembrava dela. Fui atrás e achei-a, mas não é mais usada. Agora liga nada a lugar nenhum.

  • Oi. Ainda não terminei de ouvir o programa, mas vim deixar um comentário. Depois do puxão de orelha que vocês deram, ficou difícil esquecer. 🙂 Vocês disseram que a sede do Corinthians fica na Rua São Jorge, não fica, está localizada na Avenida Condessa Robiano.

    Passo lá todos os dias, pois é meu trajeto de volta para casa. O chato é quando algum torcedor passa lá pela primeira vez e para o carro para tirar fotos. Sério, quase bati o carro em um sujeito que parou subitamente para tirar fotografias da fachada. Imaginem minha alegria tricolor ao passar por isso! Bom, depois dessa, me habituei a redobrar atenção quando estou nessa via.

    Ah! Lá onde tem o Estádio da Portuguesa, tem uma lanchonete/restaurante 24h muito boa e tem um nome pitoresco: Parada X. Gosto muito de lá e recomendo o Parmegiana de carne, é excelente. Serve bem duas pessoas. O acesso é pela Marginal Tietê sentido Airton Senna. Tem estacionamento gratuito na frente do estabelecimento e um maior, que dá acesso às costas do Estádio, por assim dizer.

    Lá também servem almoço durante a semana. Fica aí a dica para vocês, se estiverem perdidos na região, é um local seguro para se almoçar. ahahaha

    Abraços a todos! Adoro esse programa. 😉

  • Lucas Duarte CSSp

    Muitos nomes tupis no estado de SP foram criados… Parece que no tempo da era Vargas várias cidades foram fundadas com nomes que uniam um termo latino a um sufixo/prefixo tupi. Uma visão romantica, do índio como bom selvagem, naquela vibe que vocês sempre falam sobre a criação de heróis e identidade.
    Bom, isso foi o que um amigo que trabalhou com toponimia me falou. Uma vez também estava à toa na Biblioteca Mario de Andrade e encontrei um livro sobre isso, mas o nome não me lembro. Só sei que era da Imprensa Oficial.
    Sobre o futebol de varzea: não sei se há algo mais elaborado sobre, mas uma vez pensei q o nome deve vir das várzeas do rio tiête, onde um dia foi a periferia da cidade. Sei lá…

    • Caro, o nome futebol de várzea vem dos campos da Várzea do Carmo e da Barra Funda. Eram ali a maior concentração de campos de futebol, a maioria de associação de bairro ou de imigrantes.

  • Como assim, vcs jogaram contra um time da base do Independente? Sou limeirense e o referido clube é motivo de chacotas em sua própria cidade, agora terei mais uma pra contar nas rodas de bar aqui na outrora terra da laranja

  • Gustavo Abraão Guimarães

    Já ia reclamar, mas no fim do segundo bloco, citaram Taubaté, São José, Noroeste e Marília kkkk senti falta de falarem sobre o Rio Branco, América de Rio Preto e XV de Jaú. Entretanto, o que eu realmente ficou de fora, na minha opinião, foi falar sobre o Campeonato Paulista do Interior, cujo primeiro campeão foi o meu Burro da Central, em 1919, válido por 1918. Digo isso pois era um torneio muito mais estadual do que o vencido pelo Paulistano – o Taubaté venceu times de todo o território bandeirante, enquanto o CAP bateu equipes da capital e de Santos, somente.

  • Sou ouvinte do Fronteiras Invisíveis e do Xadrez Verbal a um bom tempo.
    Eu tenho uma queixa sobre o ultimo episodio, os senhores falaram do XV de Piracicaba, do União Agrícola Barbarense e do Inter de Limeira e pulou o Rio Branco de Americana. #Chateado !
    Parabéns pelo ótimo trabalho.

  • Muito bom o programa, apesar dos clubismos (já esperados diga-se de passagem) 🙂

    Só um adendo: o clube de futebol mais antigo do Brasil ainda em atividade é o Sport Clube Rio Grande (https://www.scriogrande.com/) – isso entendendo a exclusão dos clubes de regatas, que apesar de estarem em atividade só adotaram o futebol após alguns anos.

  • Senhores, que baita programa! Parabéns e obrigado pelo trabalho!

  • façam sobre o estado da BAHIA>

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s