69ª Assembleia Geral da ONU – Shinzo Abe e a União Europeia

Acompanhe o restante da cobertura da 69ª Assembleia Geral da ONU.

Caros leitores, o terceiro e último post de hoje; como prometido no texto da tarde, analisando os discursos de Shinzo Abe, Primeiro-ministro do Japão, e de Herman Van Rompuy, que falou pela União Europeia. Amanhã de manhã teremos o primeiro texto do dia, com algumas expectativas e notícias relacionadas ao panorama internacional discutido nas Nações Unidas, indo além dos discursos e pronunciamentos.

abe

O pronunciamento de Shinzo Abe carregava certa expectativa. Seu governo é marcado por alguns aspectos que podem ser analisados como um rearmamento japonês e um recrudescimento das relações japonesas com os vizinhos; por exemplo, a expansão da Marinha Japonesa, que passou a ter capacidade oceânica (conceito em inglês de blue water navy), de projeção de força, embora as forças militares japonesas mantenham o nome formal de Forças de Autodefesa.

O discurso de Abe teve alguns momentos de afirmação japonesa; ao contextualizar a ONU como resultado da Segunda Guerra Mundial, não foi direto sobre as responsabilidades do país, ao contrário de outros governantes japoneses. De fato, colocou o povo japonês como parte das vítimas. Advogou pela eleição do Japão como membro não-permanente para o Conselho de Segurança da ONU para o biênio 2015-2016 e também defendeu a reforma do Conselho e a escolha do Japão como membro permanente; o G4, formado por Japão, Índia, Alemanha e Brasil, emitiu comunicado sobre o tema, que será analisado aqui amanhã.

O líder japonês, entretanto, argumentou para isso justamente com o histórico pacifista e desenvolvimentista do país. Colocou o Japão como investidor e colaborador no combate ao ebola, nas crises do Oriente Médio e da Ucrânia e dedicou parte especial de seu pronunciamento para a defesa dos direitos femininos, citando investimentos de três bilhões de dólares; talvez justamente por ter sido muito criticado por supostamente diminuir a culpa japonesa na exploração sexual de mulheres coreanas e chinesas. A citação de cifras foi tema presente no discurso, também. O quanto foi investido em cada tema.

O que leva ao aspecto curioso: a citação explícita de empresas. Shinzo Abe citou nominalmente três empresas, como fornecedoras que contribuem para o desenvolvimento no Oriente Médio e na África, inclusive uma possível fornecedora farmacêutica para o ebola. Talvez seja apropriado dar o devido crédito, mas, ao mesmo tempo, pode ser interpretado como um lobby e, certamente, causa estranhamento. Para encerrar, colocou o Japão como um exemplo no assunto nuclear e afirmou que o país manterá suas relações para lidar com “o programa nuclear, os raptos e os mísseis” da Coreia do Norte. Para Abe, o Japão é o “maior contribuinte dos princípios da ONU”. O discurso, na íntegra, em PDF e em inglês, aqui.

O pronunciamento de Van Rompuy foi relativamente curto e limitado ao Oriente Médio e à crise ucraniana. Sobre o Oriente Médio, Van Rompuy seguiu a linha de David Cameron e afirmou que “urge” uma “ação coletiva” para prevenir e impedir que estrangeiros se juntem às fileiras do EI. Segundo Van Rompuy, ele estava ali não para “criticar o imperdoável, mas para cultivar a esperança”.

Afirmou que a “abrupta e ilegal” anexação da Crimeia desencadeou a maior ameaça à segurança coletiva europeia em décadas, o que é certo exagero, ao menos para esse autor. Afirmou que todos os lados devem respeitar o acordo de cessar-fogo e reafirmou a solidariedade para com o povo ucraniano e “seu direito de escolher seu destino”. Segundo Van Rompuy, se trata de rejeitar a força e defender a lei, pois quando “interfere-se nas fronteiras, interfere-se na paz”. Considerando as questões fronteiriças pendentes no leste europeu e nos Bálcãs, talvez seja justamente o contrário.

*****

Para ficar informado, você pode checar a programação do debate no site da 69ª Sessão da Assembleia Geral da ONU; notícias e releases no site da Assembleia Geral da ONU; e assistir aos pronunciamentos e demais coberturas no site oficial das Nações Unidas UN Web TV.

*****

Como sempre, comentários são bem vindos. Leitor, não esqueça de visitar o canal do XadrezVerbal no Youtube e se inscrever.

*****

Caso tenha gostado, que tal compartilhar o link ou seguir o blog?

Acompanhe o blog no Facebook e no Twitter e receba notificações de novos textos e posts, além de outra plataforma de interação, ou assine o blog com seu email, na barra à direita da página inicial. E veja esse importante aviso sobre as redes sociais.

Anúncios

um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s