Xadrez Dominical – Dia dos Trabalhadores (e algo mais)

Leitores, espero que tenham visto a novidade anunciada aqui na quarta-feira. Não querem perder nenhum vídeo desde o primeiro? Acessem o canal do XadrezVerbal no Youtube e se inscrevam!

Caros leitores,

Como avisado no último post, o blog estava em recesso do feriado. Feriado de Primeiro de Maio, Dia Internacional dos Trabalhadores. A data foi declarada durante a Segunda Internacional Socialista, em 1889, que também declarou, em 1910, o Oito de Março como Dia Internacional da Mulher. A data foi escolhida por causa do Massacre de Haymarket, em Chicago, quando uma bomba explodiu durante um protesto trabalhista pela jornada de trabalho de oito horas.

Onze pessoas morreram e quase duas centenas ficaram feridas; até hoje o episódio é contado por diversas teorias. A bomba foi jogada por anarquistas contra a polícia, o atentado foi uma conspiração motivada pela luta interna de diferentes facções ou, ainda, um ato do governo que buscava jogar a opinião pública contra os protestos. Pela importância da data e pela pertinência, sempre atual, do assunto, o tema da Xadrez Dominical de hoje é o Dia dos Trabalhadores.

imgtrabalhoDas cinco dicas, três serão filmes, e dois documentários. Citarei os filmes em ordem cronológica, não de sua produção, mas dos eventos retratados. Cada filme está ligado a um aspecto importante do trabalho.

Retratando as lutas trabalhistas e anarquistas da segunda metade do século XIX, o filme Germinal, de 1993, é uma produção francesa baseada no romance de mesmo nome, de Émile Zola. Com Gérard Depardieu, conta a história de mineiros franceses de uma mina de carvão, que entram em greve.

Sinopse do AdoroCinema: Durante o Século XIX, os trabalhadores franceses eram explorados pela aristocracia burguesa, que dava condições miseráveis para seus empregados. Em uma cidade francesa, os mineradores de uma grande mineradora, decidem realizar uma greve e se rebelam contra seus chefes, causando o caos.

O segundo filme de hoje é o clássico Vinhas da Ira, de 1940, dirigido por John Ford e estrelando Henry Fonda, dois dos maiores nomes do cinema. Listado como um dos Top250 do IMDb, o filme retrata a miséria e a opressão sofrida pelos trabalhadores dos EUA durante a Grande Depressão, pós Crise de 1929. Baseado no livro de mesmo título vencedor do Prêmio Pulitzer, de John Steinbeck, vencedor do Nobel.

Sinopse do AdoroCinema: Oklahoma, Grande Depressão. Tom (Henry Fonda), filho mais velho de uma pobre família de trabalhadores rurais, retorna para casa após cumprir pena por homicídio involuntário. Ele planeja levar os parentes até a Califórnia, onde dizem que trabalho não falta. Durante a viagem eles passam por diversos tipos de provações e quando finalmente chegam na “Terra Prometida” descobrem que é um lugar bem pior do que aquele que deixaram.

O próximo filme é sobre a luta feminina no ambiente trabalhista. Norma Rae, de 1979, rendeu um Oscar para a atriz Sally Field, no papel título do filme. A obra é baseada na vida real de Crystal Lee Sutton, que foi demitida por tentar sindicalizar os trabalhadores.

Sinopse do AdoroCinema: Verão de 1978. Em Hinleyville, uma pequena cidade sulista, a maioria da classe operária trabalha em uma indústria têxtil, cujas condições de trabalho são intoleráveis. Lá também trabalha Norma Rae (Sally Field), uma mãe solteira que vive com os pais, que também são operários da fábrica. De repente vindo de Nova York chega Reuben Warshowsky (Ron Leibman), um sindicalista que, ao tentar arrumar um quarto em uma família de tecelões, conhece Vernon Witchard (Pat Hingle), o pai de Norma. Vernon trata Reuben de forma grosseira, assim como a maioria da cidade, mas isto não o impede de dizer que Vernon é mal pago e está sendo muito explorado. Esta discussão foi vista por Norma, que não dá importância. Logo eles se veriam novamente, primeiro quando ela encontra Reuben se hospedando no motel, onde ela foi se encontrar com um namorado, e logo depois quando Reuben a socorre após ela ter sido agredida, por ter terminado o relacionamento. Deste momento em diante surge entre os dois uma amizade que cresce com o engajamento de Norma na luta sindical, que se inicia quando ouve um discurso de Reuben mostrando as vantagens de serem sindicalizados. Paralelamente se casa com Sonny Webster (Beau Bridges), que entende Norma lutar pela criação do sindicato mas isto o deixa inseguro, pois ela passa muito tempo com Reuben.

O primeiro documentário citado é Roger & Eu, de 1989. Já recomendei esse doc aqui antes, no Xadrez Dominical sobre Detroit. Dirigido por Michael Moore, o filme trata de Flint, cidade natal de Moore e vizinha de Detroit, que passou/passa por situação de grave decadência, motivada pela quebra da indústria automobilística, já que também era uma das bases dessa produção. E sim, eu sei que Michael Moore caiu em declínio recentemente, usa métodos intelectualmente desonestos, mas esse aí ainda é bom (assisti num VHS copiado pelo meu amigo Rodrigo…V-H-S!)

Sinopse do AdoroCinema: No fim da década de 1980 o fechamento de onze fábricas da General Motors em Flint, Michigan, deixou cerca de trinta mil pessoas desempregadas. Michael Moore tenta encontrar o presidente da empresa, Roger Smith, para ouvir o que ele tem a dizer sobre isso.

A quinta e última dica é outro documentário. Carne, Osso é um documentário brasileiro, produzido pela Repórter Brasil. Um dos principais realizadores é meu amigo dos tempos de Atlética, Carlos Juliano, vulgo Caju. O documentário aborda as (sub)condições dos trabalhadores de frigoríficos, que não possuem nenhum respaldo. “De acordo com o Ministério da Previdência Social, um funcionário de um frigorífico de bovinos tem três vezes mais chances de sofrer um traumatismo de cabeça ou de abdômen do que o empregado de qualquer outro segmento econômico. Já o risco de uma pessoa de uma linha de desossa de frango desenvolver uma tendinite, por exemplo, é 743% superior ao de que qualquer outro trabalhador. E os problemas não são apenas físicos. O índice de depressão entre os funcionários de frigoríficos de aves é três vezes maior que o da média da população economicamente ativa do Brasil.”. Você pode assistir o documentário na íntegra aqui neste link.

Finalmente, a menção do post de hoje. Não é um filme. Nem é sobre os trabalhadores. Aproveito esse novo formado do Xadrez Dominical para falar de dois temas no mesmo dia, embora de importâncias distintas. Hoje, dia Quatro de Maio, é o Dia Internacional de Guerra nas Estrelas. A escolha do dia se deve à pronúncia do dia na língua inglesa: Quatro de Maio se pronuncia “May the Fourth”, que lembra “May the Force”, parte da célebre expressão dos filmes “Que a Força esteja com você”. A dica é para o público em geral, não apenas os fãs dos filmes. O documentário Star Wars: The Legacy Revealed (O Legado Revelado) fala da relevância e do alcance da série, com entrevistas com políticos, jornalistas e críticos, além de abordar as ligações entre a história de Guerra nas Estrelas com a mitologia clássica e a História.

Documentário na íntegra, em inglês e baixa resolução.

Gostaram? Não gostaram? Mais dicas? Comente.

*****

Caso tenha gostado, que tal compartilhar o link ou seguir o blog?

Acompanhe o blog no Facebook e no Twitter e receba notificações de novos textos e posts, além de outra plataforma de interação, ou assine o blog com seu email, na barra à direita da página inicial. E veja esse importante aviso sobre as redes sociais.

Anúncios

2 Comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s