Xadrez Verbal Podcast #215 – Coreia, América Latina e OTAN

Vacinem suas crianças, senão pode acontecer o que está acontecendo em Samoa! Não entendeu? Ao ouvir o programa você vai entender. Aproveitamos a ida ao Pacífico e visitamos a península coreana, com uma nova cidade fundada perto da fronteira com a China. Voltamos ao Brasil, para falar do dólar, da carne, das tarifas e do MERCOSUL, além de outras notícias da América Latina. Finalmente, vamos até Londres, com a cúpula da OTAN, onde tiraram sarro de Trump. E, principalmente, para onde vai a OTAN em 2019? Além disso tudo, nós giramos pelo mundo, a semana na História, Economia com a professora Vivian Almeida, peões da semana e dicas culturais fecham mais um podcast do Xadrez Verbal!

Você nem sempre tem tempo, mas precisa entender o que acontece no Mundo, ainda mais porque o planeta está uma zona. Toda semana, Matias Pinto e Filipe Figueiredo trazem pra você as principais notícias da política internacional, com análises, críticas, convidados e espaço para debate. Toda sexta-feira você se atualiza e se informa.

Dicas do Sétimo Selo e links

Site da Editora Contexto

Livro Coronel and Falklands 1914: duel in the south Atlantic, de Michael McNally

Livro Passado a limpo: o estado capixaba e o seu mito fundador, de José Pontes Schayder

Podcast Tocando a Vida – Álbum Um, Faixa 46: Juntando o Som das Torcidas

Podcast Tocando a Vida – Álbum Um, Faixa 47: Não é nesse país que queríamos viver

Reportagem Como é o mega-gasoduto resultado do ‘acordo do século’ entre a Rússia e a China

Relatório Analisis de Integridad Electoral Bolivia 2019

Fronteiras Invisíveis do Futebol #89 – Alemanha Oriental

Músicas de Encerramento:

Playlist das músicas de encerramento do Xadrez Verbal no Spotify

Canal do Xadrez Verbal no Telegram

Minutagem dos blocos, cortesia dos financiadores do Xadrez Verbal

  • 00:08:00 – Giro de Notícias #01
  • 00:19:30 – Coluna Aberta: Ásia e Oceania
  • 00:45:30 – Efemérides: A Semana na História
  • 00:52:15 – Match: América Latina
  • 01:46:15 – Xeque: cúpula da OTAN
  • 02:34:20 – Gambito da Dama: Imposto digital
  • 02:50:15 – Giro de Notícias #02
  • 02:57:50 – Peões da Semana
  • 02:59:35 – Sétimo Selo
  • 03:15:09 – Música de Encerramento #01
  • 03:18:10 – Música de Encerramento #02

Ouça o podcast aqui ou baixe o programa. (clique com o botão direito do mouse e use a opção “Salvar como” para baixar)

Você também pode assinar o podcast via RSS ou no iTunes, além, é claro, de acompanhar o blog.

A revista de política internacional do Xadrez Verbal é feita na Central 3, que está no Apoia-se

Filipe Figueiredo é tradutor, estudante, leciona e (ir)responsável pelo Xadrez Verbal. Graduado em História pela Universidade de São Paulo, sem a pretensão de se rotular como historiador. Interessado em política, atualidades, esportes, comida, música e Batman.
Como sempre, comentários são bem vindos. Leitor, não esqueça de visitar o canal do XadrezVerbal no Youtube e se inscrever.

Caso tenha gostado, que tal compartilhar o link ou seguir o blog?

Acompanhe o blog no Twitter ou assine as atualizações por email do blog, na barra lateral direita (sem spam!)

E veja esse importante aviso sobre as redes sociais.

Caros leitores, a participação de vocês é muito importante na nova empreitada: Xadrez Verbal Cursos, deem uma olhada na página.

29 Comentários

  • Fala Filipe e Matias! Correção rápida sobre a parte do dólar e a intervenção do Trump:
    O Trump está a meses reclamando que o dólar está forte demais (muito valorizado), não o contrário. Exemplo em um tweet (tweet virou fonte oficial então agora pode kkk): https://twitter.com/realDonaldTrump/status/1159473909827297281.
    O que o Trump quer é que o FED abaixe mais as taxas de juros, e isso provoque uma desvalorização da moeda. Quando os banco central de um país diminui as taxas de juros, a moeda doméstica se desvaloriza, e portanto valoriza a moeda dos outros países (já que câmbio é um preço relativo). Por isso que o Trump não gosta quando o resto do mundo está perseguindo uma política monetária expansionista (tal como o Brasil nos dias de hoje).
    Um abraço pro Martin Calvete, o meu colega da UFRGS que recomendou vocês!
    Continuem com a ótima qualidade e diversidade de ideias, forte abraço.

  • Que bom que dá pra comentar aqui. Isso inclui gente como eu que se excluiu das redes sociais.

    Meu comentário é sobre o sistema imperial. Tem muito preconceito sobre isso, muito por falta de conhecimento mesmo. Que fique claro, o sistema métrico *é bom* e é ideal pra ciência; mas o sistema imperial é bom pro dia-a-dia, em que medidas exatas não são tão importantes, e “regras de dedão” (rules of thumb) fazem mais sentido. Por isso a gente fala em “palmo”, “polegada”, “pé”. O Fahrenheit é um exemplo muito bom. Eu moro em Kaiserslautern, na Alemanha, e convivo com estadunidenses todo dia. Ao lhes perguntar em que temperatura a água ferve, eles não souberam dizer. Ponto pro sistema métrico! Mas ao perguntar a partir de que temperatura a gente tem febre, a resposta vem de cara: 100°F; e usuários típicos do sistema métrico não o souberam responder (confusíssimos ~37.8°C). Por esse tipo de razão é que eu gosto do que a Índia faz: usa o sistema métrico em geral, mas às vezes o sistema imperial quando a medida tem a ver com o corpo (como temperatura ou peso).

    Aahh… e também queria mandar um oi pro Leandro, pro Éderson e pro Fialho, meus colegas da UFRGS que (cada um independentemente) me recomendou o Xadrez Verbal quando lhes pedi uma boa fonte de política pra tentar tornar o tempo perdido na academia menos improdutivo.

    • John, o sistema métrico também e “baseado na natureza”, alem de ser mais pratico de usar.

      A ideia original de 1 metro é ser 1/10000000 avos da distancia do polo a linha do equador, esse dividido de 10 em 10, nos submúltiplos, como decímetro centímetro milímetro…. 1 decímetro cubico, um cubo de 10 x 10 x 10 cm, e o que ficou definido como 1 litro, e 1 litro de água tem, aproximadamente, 1 Kg de água. E a mistura de água com gelo, define ~0°C (para uso cotidiano) e água fervendo define ~100°C (a nível do mar).Ou seja, ao redor da água, algo que e de acesso universal, você define e baliza varias unidades de medidas.

      Fora a comunicação, quando eu te falo: “John corte essa madeira com duas polegadas”, Para cortar você não vai usar o seu dedão, e sim uma regua em polegadas, pois sabe que a minha polegada e diferente da sua

      • Tiago, na vdd, já que vc citou esse exemplo, no comércio de madeira (tábuas, por exemplo), mesmo no Brasil, normalmente se mede largura e expessura em polegadas e comprimento em metros.

        • Isso e comum e vários mercados, tubos de aço ou PVC, chapas de aço, etc… a espessura ser em polegadas, por ser algo tradicional ou para ser compatível com outros mercados, mas no comprimento utilizamos a medida na qual estamos mais acostumados, metros, já que, ao contrario da polegada, jardas ou pés e muito incomum no Brasil.

          A titulo de curiosidade, algumas “normas” se aproveitam disso, tubulação de água fria residencial é em polegadas, e de esgoto é em mm, para garantir incompatibilidade.

  • Diogo Maia de Carvalho

    Já são tantos tweets do Trump lidos aqui no Xadrez Verbal, que, quando eu leio um tweet do Presidente dos Estados Unidos, a voz do Filipe aparece na minha cabeça fazendo a tradução simultânea.

  • Enfraquecimento do real está ligado à redução da taxa de juros (a menor da história) do que qualquer outra coisa.

  • Meu olá para o Filipe e Matias!
    Dentro da física, minha área de estudos, o Fahrenheit tem o mesmo peso que o Celsius. Quando falamos em física e, acredito que também, química sempre se usa o Kelvin. Quando você fala da temperatura na superfície de uma estrela ou no ponto de ebulição da água, se você está na academia, sempre é exigido o uso do Kelvin. As demais escalas existem, mas não são diretamente usadas dentro da ciência. Não me recordo agora, mas provavelmente deve-se usar estas outras em pouquíssimas coisas. A princípio, para nós que estamos acostumados com o Celsius, o Kelvin também parece bizarro mas quando começa a usar com mais frequência, você entende e fica mais tranquilo. Então sintam-se a vontade para continuar usando o Celsius, pois não deverá ter nenhum impacto relevante o uso das outras escalas. Abraços calorosos diretamente de Belo Horizonte e, por favor, me digam como faço para ver uma gravação “in loco” para que em breve eu possa fazer uma visita e levar o melhor doce de leite do mundo para vocês (o mineiro, claro).

    • Paulo, com toda a minha petulância de Engenheiro vou discordar de alguém da área e defender os °C.

      Kelvin tem a escala copiada do °C, entre o ponto de fusão e ponto de ebulição da água a 1 atm, são 100 Kelvin. Não vem com essa de Celsius e a mesma merda que Fahrenheit, ja que Kelvin é Celsius com a escala deslocada em -273,15.

      PS: Se alguém usar Rankine, merece apanhar

  • Ainda sobre metrificação e EUA…

    O EUA e um dos signatários originais da Convenção do Metro, assinada em Paris em 20 de maio de 1875, que criou o Bureau Internacional de Pesos e Medidas, a Conferência Geral de Pesos e Medidas e o Comitê Internacional de Pesos e Medidas. O primeiro gerencia o sistema de medidas, a segunda e a autoridade suprema sobre o sistema métrico, hoje chamado de SI (Sistema internacional de Unidades) e o terceiro e responsável pela uniformidade da utilização do sistema.

    O EUA por toda a historia sempre foi muito ativo nos 3 órgãos, em alguns exemplos, um dos maiores símbolos do sistema era o “Grand K” uma peça de metal que ate o ano passado definia o que era a massa de 1 Kg, o original e sua copias imediatas fica armazenadas no BIPM, território internacional, nos arredores de Paris, das poucas copias “oficiais” desse Grand K, as chamadas “Copias Nacionais” o EUA e o único signatário que possui 5 (k20, k4, k79, k85 e k92). Em 1960 baseado nos desenvolvimentos do Físico Estadunidense Albert A. Michelson, a Conferencia Geral alterou a definição de metro de um objeto físico, não confiável, para se basear no tamanho da onda eletromagnética do Crípton-86 no vácuo, algo que seria constante e passível de ser repetido sem ter acesso ao objeto original. Em 1980 a definição de metro muda mais uma vez, para a relação de segundos por velocidade da luz, e o
    NIST (National Institute of Standards and Technology of USA) foi um dos institutos lideres na tarefa de aferir a velocidade da luz com precisão e fazer procedimentos para que fosse de maneira uniforme em qualquer lugar do universo.

    E mais recentemente, deste 20 de Maio de 2019, o Kg passou a tb ser definido por constantes universais, sendo o NIST, em Maryland, EUA, o responsável pelo desenvolvimento e construção do equipamento que foi capaz de redefinir o Kg a partir da constante de Planck, de modo grosseiro podemos dizer que o Kg agora e “made in USA” e não “Fabriqué en France”.

    Alem disso, as Forças Armadas do EUA, ate pelo contexto da OTAN, utilizam extensivamente o SI, armamentos (ex: M-16 5.56x45mm), veículos, distancias, horário 24 horas, etc… A Nasa e nas ciências em geral se usa o SI por padrão. As industrias são obrigadas a colocar o peso ou volume em unidades SI nas embalagens…

    O EUA e sim um pais métrico, porem atrasado em mais de um seculo na implementação para o publico geral

  • Fala Filipe e Matias!
    Não vejo a hora de ouvir o Fronteiras sobre o Espírito Santo.
    Já adianto que o maior do ES é o Rio Branco, não é clubismo apenas uma verdade indubitável.

  • Fala Filipe, fala Matias … ia comentar semana passada, mas acabei esquecendo … e na verdade fiquei meio decepcionado que ninguém aí passou a importante informação de que a versão brasileira do Paraguayo Cubas seria o …. o…. o…. Brás Cubas! Afff … 😀 😛

  • Quase soltei um grito de gol quando prometeram um Fronteiras sobre o Espírito Santo. Saudações da torcida do Rio Branco, o mais querido do ES.

  • Jonas Felipe Santos de Souza

    Em relação ao caso de Samoa, que pode estar relacionado ao aumento da adesão de pessoas à política de antivacina, venho aqui trazer uma denúncia de algo que tem acontecido nas universidades brasileiras. Eu sou estudante da Universidade Federal de Alagoas e aqui existem alguns professores que estão fazendo um verdadeiro trabalho de pseudociência, com afirmações do tipo “não confiem na medicina, ela está matando as pessoas!”. Esse tipo de afirmação é completamente absurda, ainda mais quando parte de pessoas que, na teoria, deveriam respeitar e dar credibilidade à ciência, uma vez que trabalham no ambiente acadêmico e se dizem cientistas!

    Claro que essa é uma pequena parcela de professores que fazem esse tipo de divulgação absurda, mas é importante ficar sempre atento e denunciar casos como esses. As universidades no Brasil já estão passando por tantos ataques e tentativas de desmonte, então casos como esse só faz piorar a situação da Universidade Pública.

    Abraços, Filipe e Matias!

  • Estou abismado com a habilidade futebolística do Matias. Sem titubear e tampouco tempo de respirar, ele respondeu o time e as cores do time de Bento Gonçalves.

    Falando sobre o episódio do Tititi na OTAN e os líderes da 5a série, a aprovação dos Estados Unidos tá feia na foto faz algum tempo. Do Obama ao Trump, o nível de confiança nos US caiu 76% na Alemanha, 75% na França, 58% no Canadá, 52% na Australia, 51% no Reiono Unido e 48% no Japão. Curiosamente, a Russia teve um aumento de 8%.

    Por sinal, vejam a esquete que o Saturday Night Live fez sobre o encontro da OTAN. https://www.youtube.com/watch?v=V5YccTkiBaI

  • Neoliberais existem sim, Filipe! O Adam Smith Institute, think tank britânico até se declarou neoliberal recentemente neste artigo: https://www.adamsmith.org/blog/coming-out-as-neoliberals

    Recomendo também o podcast Neoliberal Podcast do Neoliberal Project e o Twitter deles @ne0liberal

  • Fala Filipe e Matias!!!

    Obrigado por esse epítome dos podcasts. Queria mandar um beijão pra meu amigo Edgard Mentzinger que provavelmente está escutando o programa enquanto joga cópias duvidosas de Diablo na Steam.

  • bem, já fiz um programinha no pc para converte qualquer medida, é um saco isso.

  • Olá Filipe e Matias! Meu nome é Filipe de Figueiredo Oliveira, sou de Niterói (RJ) e moro em São Paulo. Eu ouço religiosamente o Xadrez, o Fronteiras e agora também o Repertório todas as semanas, parabéns pelo trabalho! Eu queria pedir pro meu ilustre xará Filipe Figueiredo que mandasse um grande beijo e um super parabéns para a minha maravilhosa e incrível namorada, Ana Luisa Hickmann (não, não é a modelo), de Foz do Iguaçu, que é Antropóloga e acabou de passar em primeiro lugar para o Mestrado Interdisciplinar em Estudos Latino-Americanos na Unila (Universidade Federal de Integração Latino-Americana). Inclusive Filipe, você a conheceu na palestra que você deu em Foz do Iguaçu em maio deste ano, no Pint of Science (e ela pediu para você me mandar um abraço). Vamos ver se a Ana resolve acompanhar o Xadrez de vez agora! Grande abraço!

  • Pedro Ernesto Barbosa Pinheiro

    Olá Filipe! Olá Matias!!
    Me chamo Pedro, sou médico otorrinolaringologista em São paulo e Osasco.
    Vim comentar sobre a efeméride da erradicação da Varíola. Nestes 40 anos nenhuma outra doença foi erradicada em humanos. Existem duas doenças que estão próximas da erradicação.
    A primeira é a Dracunlíase, que saiu de 10 000 casos em 2007, e caindo para 542 casos (2012), 148 (2013), 126 (2014), 22 (2015), 25 (2016), 30 (2017), 28 (2018) – Sudão do Sul (10), Chade (17), Angola (1). Causada por um helminto (verme) que se aloja as pernas e não tem vacina ou medicação eficaz. O controle está sendo feito por educação, acesso a água limpa (fervida/filtrada), uso de larvicidas nas águas e curativos e remoção do verme em pessoas infectadas. Ou seja, um controle difícil, mas que está surtindo resultados.
    A segunda é a Bouba (Yaws em inglês). Causada por uma bactéria, cerca de 80% dos contaminados são crianças e adolescentes (<15 anos), causa lesões de pele e deixa sequelas estéticas e funcionais. Tem transmissão apenas de pessoa para pessoa, o que colocou essa doença no foco da erradicação desde 1950. Em 2012, quando se descobriu que uma dose única do antibiótico Azitromicina é eficaz para o tratamento da doença, a OMS adotou como estratégia para erradicação a administração de Azitromicina de forma massiva nas populações afetadas. Em 2017, o laboratório brasileiro EMS fez um acordo com a OMS para fazer a DOAÇÃO das doses necessárias para erradicação. A situação atual é – 2013 – 13 países com a doença endêmica (presente em uma prevalência constante, sem surtos), casos confirmados na Libéria e Filipinas e casos suspeitos em Equador, Haiti e Colômbia. Em 2016, a India foi o primeiro país certificado como livre da Bouba. Em 2018 – 80.472 casos suspeitos e 888 confirmados (a confirmação é cara e não disponível em todos os locais). Há 76 países que eram previamente endêmicos e que precisam repassar sua situação atual à OMS.
    Grande Abraço! Sou fã! Gostaria de acompanhar a gravação algum dia!

  • Olá Filipe e Matias.
    Primeiramente gostaria de agradece-los pelo excelentíssimo trabalho, vocês mudaram minha visão sobre o mundo.
    Gostaria de pedir que enviem um beijo e um abraço para minha namorada Luiza Rocha, pois completamos 10 ótimos anos de namoro no ultimo dia 22. Ela que faz história na UFJF e não ouve o xadrez. Espero que isso a estimule a ouvi-los. Um grande abraço,

    Diego Duarte.

  • olá amigos do xadrez verbal, por primeiro meu costumeiro abraço aos senhores, sempre espero ansioso para ouvi-los. Na msm hora que citaram a batalha do rio da prata na segunda guerra mundial, lembrei-me da reportagem da DW (deixarei o link aqui) sobre a disputa jurídica entre os governos do Uruguai e Alemanha em relação a águia de bronze que pesa 350kg e ficava na popa do navio. outra dica também é que no museu naval de montevidéu existem algumas partes para exposição, como o canhão do encouraçado, e também uma sala dedicada apenas para o mesmo. também deixarei um vídeo muito bacana que explica muito bem sobre o ocorrido. REPORTAGEM DW: https://www.dw.com/pt-br/uruguai-vai-vender-%C3%A1guia-nazista-de-navio-alem%C3%A3o-da-segunda-guerra/a-49305414 / VÍDEO SOBRE O ENCOURAÇADO: https://www.youtube.com/watch?v=efXlxhWmL4Y&t=903s

  • Olá, uma boa noite aos xadrezeiros!
    Só uma curiosidade: a minha geração, dos anos 90, que talvez testemunharam a onda do reggae dos anos 00, está familiarizada com a música do Beetlejuice através da versão abrasileirada da canção, “Nhacoma”, pelo grupo Expressão Regueira.
    Grandes abraços!

  • Ola Filipe e Mathias.
    So pra acrescentar uma informaçao com relaçao a adoçao do sistema metrico no Canada.
    Ele foi adotado no governo do Pierre E. Trudeau, pai do PM atual.
    Seu plano de governo que implantou o multiculturalismo canadense, trouxe a constituição de volta ao Canada (repatriamento da Constituiçao, tb foi o momento de mostrar o Canada ao mundo, depois da exposiçao universal de 1967 e das Olimpiadas em Montreal de 1976. Ele queria se demarcar dos EUA e da propria Inglaterra, adotando assim o SI.
    O engraçado é que no uso quotidiano, as pessoas usam a libra pra falar o peso do ser humano, como tb pés pra altura da pessoa.
    Mercadorias sao em quilo e litros.
    A construçao civil tb usa o sistema imperial americano.

  • Sobre OPEP,

    Primeiro uma correção, a sede da OPEP é em Vienna, foi fundada em uma reunião em Bagdah em 1960, mas a primeira sede foi em Genebra, e deste 1965 e em Viena.

    O Acordo de produção foi fechado pela OPEC+, que e a Aliança da OPEP com mais 9 países, que alem da Russia tem: México, Malásia, Azerbaijão, Cazaquistão, Brunei, Sudão, Sudão do Sul e Bahrein.

    Sobre os países membros estarem “trapaceando” nas cotas: Aqui tem algumas questões, uma mais antiga e meio tradicional, que é a falta de confiabilidade dos dados reportados dos países membros sobre produção e venda, tanto que a própria OPEP, em seus relatórios mensais e anuais, reporta os dados de produção dos seus membros sempre duplicados, de acordo com a comunicação direta desses , e de acordo com fontes secundarias (Empresas publicas, dados de outros países, analistas, etc…) e todas as totalizações e projeções feitas pela OPEP e sobre produção, mercado, etc… e sobre os dados de fontes secundarias, e como se a própria organização não confiasse nos seus membros.

    E o comentário foi terceirizado, pois a cobrança pelos países cumprirem suas cotas vem na verdade do novo ministro saudita da Energia/Petroléo o MBS (Sim, ele mesmo), que assumiu a pouco esse cargo depois na esteira da abertura de capital da Aramco e depois de meses reclamando desse ponto. Basicamente para manter o corte não cumprido pelos outros países, a Arabia Saudita corta a sua produção ainda mais, algo que fica mais complicado com a abertura de capital da Aramco, segundo dados compilados pela Bloomberg os Países que mais “trapaceiam” nas cotas são Iraque, que aumentou ao invés de diminuir e Russia, que alem de não cumprir com a totalidade do corte, aumentou a produção de gás. E ainda tem que questão da Venezuela, que nem a OPEP e nem observadores independentes tem ideia de quantos barris aproximadamente a Venezuela vem produzindo e exportando por mês.

    Tem alguns pontos complicados nesse tabuleiro, a OPEP vem cortando a produção sem efeitos drásticos no preço deste o inicio de 2019, o corte na produção deles já chegou a 13% em alguns meses em relação ao final de 2018 (32.9 mb/d em Out/18 p/ 28,7 mb/d em Set/19), porem no mesmo período a produção mundial bateu recorde, e cresceu 2%, devido ao novo maior produtor mundial de Petróleo, EU, que no mesmo período aumentou a produção em 9,4% (11 mb/d em Out/18 para 12,4 mb/d em Set/19).

    Com constantes cortes na produção sem efeito no preço, e o consumo mundial de petróleo no topo histórico, com algumas previsões passando da marca de 100 mb/d no final de 2020, os países mais pobres estão literalmente vendo dinheiro passar na frente deles e eles “não poderem” pegar, alem de vários deles (OPEP+) estarem ou em crise, como o Iraque, ou na esfera de influencia e investimentos do maior importador mundial, a China, com quem eles também não querem brigar.

    Alem do mais, existe no mercado a ideia de que se o preço aumentar demais, o EUA pode aumentar a ainda mais a produção, pois o seu aumento dessa não se deve a novos poços ou campos, e sim de tecnologia em extração de óleo de xisto (shale oil), o numero de poços de petróleo e gás em operação no EUA, caiu drasticamente nos ultimos 5 anos (~1800 poços dez/2014 para 760 ago/19, só esse ano foram 100 a menos), então há o receio que quanto mais caro o petróleo, mais vai compensar reativar poços no EUA, que vai aumentar a produção, diminuindo ainda mais o peso da OPEP no mercado, em um ciclo vicioso, junto as novas reservas Mexicanas, Iranianas e Brasileiras, e ideia predominante e de que o preço do petróleo tem teto sim. Porem, do outro lado, tem os Sauditas com a sua estatal Aramco com um valor em bolsa de 2 Trilhões de dólares, apos o IPO, e centenas de bilhões de dólares em caixa do governo e do fundo soberano, com folego suficiente para sustentar uma quebra grande no preço do barril por anos, caso haja uma corrida pelo aumento da produção, coisa que também não interessa aos outros membros do cartel.

    O Mercado de petróleo mudou muito na ultima década, e a antes tão poderosa OPEP, mesmo depois de procurar mais aliados, e vista como uma organização que vem perdendo o poder, não so por players externos e analistas como por seus próprios membros, e os mais diversos interesses desses tornam o jogo bem mais complicado.

    (fontes no comentário resposta.)

  • Uma conexão da efeméride da 2ª guerra (o cruzador Graf Spee afundado em Montevideo) com a notícia do navio afundado na batalha das malvinas -Scharnhorst – é que o nome “Graf Spee” foi uma homenagem ao conde (Graf) Maximilian von Spee, que era justamente o chefe da esquadra alemã do extremo oriente e morreu a bordo do Scharnhorst na batalha das Malvinas.

    Saudações 🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.