Xadrez Verbal Podcast #194 – Europa, G-20, Coreia e acordo no Sudão

Bora fechar o G-20 de 2019! Voltamos ao Japão, com os documentos do G-20, as reuniões e as notícias relacionadas ao Brasil, como o cancelamento da reunião entre Bolsonaro e Xi Jinping. E de lá fazemos como Trump e damos um pulo na península coreana, onde ele se encontrou com o presidente em Seul e com Kim na fronteira! Passemos pelo grande Oriente Médio, do Afeganistão até a Tunísia, com destaque para o acordo no Sudão, além de outros incidentes, como o apresamento de um petroleiro iraniano pelos britânicos. Finalmente vamos até a Europa, onde o Europarlamento abriu suas atividades e temos os prováveis nomes que liderarão a União Europeia nos próximos anos! Além disso tudo, nós giramos pelo mundo, a semana na História, peões da semana e dicas culturais fecham mais um podcast do Xadrez Verbal!

Você nem sempre tem tempo, mas precisa entender o que acontece no Mundo, ainda mais porque o planeta está uma zona. Toda semana, Matias Pinto e Filipe Figueiredo trazem pra você as principais notícias da política internacional, com análises, críticas, convidados e espaço para debate. Toda sexta-feira você se atualiza e se informa.

Dicas do Sétimo Selo e links

Site da Editora Contexto

Obra do Laurence Olivier

Musical Hamilton (trilha sonora)

Fronteiras Invisíveis do Futebol #71 – Irã e Pérsia Parte II

Declaração de Osaka dos Líderes do G20

Declaração de Osaka dos Líderes do G20 para a Prevenção da Exploração da Internet para o Terrorismo e o Extremismo Violento Conducente ao Terrorismo (EVCT)

Declaração de Osaka sobre Economia Digital

Música de Encerramento That’s All Right, com Elvis Presley

Playlist das músicas de encerramento do Xadrez Verbal no Spotify

Canal do Xadrez Verbal no Telegram

Minutagem dos blocos, cortesia dos financiadores do Xadrez Verbal

  • 00:13:25 – Giro de Notícias #1
  • 00:34:55 – Coluna Aberta: Oriente Médio
  • 00:50:02 – Efemérides: A Semana na História
  • 00:56:33 – Match: Europa
  • 01:34:23 – Xeque: Trump na Coreia do Norte e G20
  • 02:06:07 – Giro de Notícias #2
  • 02:22:34 – Peões da Semana
  • 02:24:32 – Sétimo Selo
  • 02:38:00 – Música de Encerramento

Ouça o podcast aqui ou baixe o programa. (clique com o botão direito do mouse e use a opção “Salvar como” para baixar)

Você também pode assinar o podcast via RSS ou no iTunes, além, é claro, de acompanhar o blog.

A revista de política internacional do Xadrez Verbal é feita na Central 3, que está no Apoia-se

Filipe Figueiredo é tradutor, estudante, leciona e (ir)responsável pelo Xadrez Verbal. Graduado em História pela Universidade de São Paulo, sem a pretensão de se rotular como historiador. Interessado em política, atualidades, esportes, comida, música e Batman.
Como sempre, comentários são bem vindos. Leitor, não esqueça de visitar o canal do XadrezVerbal no Youtube e se inscrever.

Caso tenha gostado, que tal compartilhar o link ou seguir o blog?

Acompanhe o blog no Twitter ou assine as atualizações por email do blog, na barra lateral direita (sem spam!)

E veja esse importante aviso sobre as redes sociais.

Caros leitores, a participação de vocês é muito importante na nova empreitada: Xadrez Verbal Cursos, deem uma olhada na página.

Anúncios

25 Comentários

  • O feriado da Revolução Constitucionalista não é uma celebração de derrota, pq de certa forma a constituição acabou sendo feita depois! (:

  • Olá Filipe e Matias! Ótimo programa, como sempre. Queria apenas mencionar que a nona sinfonia do Beethoven tem sim letra, inclusive é as vezes conhecida como coral por ter um coro no quarto movimento. A letra é do poeta Friedrich Schiller, junto com Goethe o maior nome do período clássico alemão, e é a famosa Ode à Alegria. Acho que isso não muda o ponto do Filipe, entretanto, pois o poema celebra a união entre os povos por meio da alegria. Abraços!

  • Como paratiense tenho q fazer uma correção sobre o comentário do Matias. A cachaça aumenta muito a habilidade em andar no centro histórico. Podem observar, apenas sóbrios tropeçam e escorregam nas pedras. E a chuva só atrapalha os turistas, pq aqui chove tanto q se a gente for se incomodar com isso, a gente não sai de casa. Complementando, aqui em Paraty não se fala de outra coisa, espero q isso traga melhorias para cidade e não apenas um aumento no turismo predatório.

    • Esqueci de dizer. Teremos eleições para prefeito aqui em agosto. Após uma longa novela, finalmente o prefeito e o vice foram cassados por abuso de poder politico.

      • Olá Juliana, estava vindo aqui justamente comentar isso, mas parece que outra paratiense (ouvindo desse maravilhoso podcast) veio primeiro.
        Ainda assim, acho interessante destacar que a valorização da cultura caiçara é algo que não em nenhum outro lugar.
        Quanto à política nós vivemos uma verdadeira novela. Vejamos os próximos capítulos.
        E por último, espero que sejamos capazes de quebrar a imensa desigualdade na cidade, é inaceitável que um campo de aviação divida o tranquilo do calmo com tanta discrepância como acontece aqui na cidade.

  • João Felipe Almeida

    Caros, sem querer ser purista, mas, como será um nome muito falado no futuro, acho que vale a pena comentar sobre a pronúncia correta do nome da Ursula Von der Leyen: o V na Alemanha tem som de F, e o E antes do I ou Y tem som de A. Portanto, fala-se Ursula Fon der Layen. Essa é a pronúncia correta. M
    oro em Munique desde o ano passado, onde faço mestrado em direito alemão, na Ludwig-Maximilians Universität. Escuto o podcast arrumando a casa ou passeando no final de semana. Parabéns pelo trabalho sensacional.
    Por fim, e nada a ver com o tema anterior, recomendo o seguinte texto sobre a China: https://www.linkedin.com/pulse/porque-9-dias-na-china-me-deixaram-apavorado-lucas-marques/
    Fiquei impressionado com o Shen Zhen e as tecnologiam implantadas.
    Abraços,
    João

  • Caro Filipe, por causa do “match” deste episódio, lembrei de minha participação no Seminário sobre Globalismo do Itamaraty realizado pela Funag, no qual eu questionei sobre as soberanias nacionais sob a égide da UE.

    A partir do minuto 24 -> https://youtu.be/PofKFnJfRVk <- você pode ouvir o questionamento e a resposta, dentre outros debatedores, do Assessor Internacional da Presidência.

    Você poderia comentar a respeito? É uma tentativa de refutação de sua argumentação sobre o tema (não sou motoboy de treta, só gostaria de aprofundar no assunto mesmo).

    Grato.

  • Que surpresa vocês conhecerem o musical Hamilton! Praticamente não conheço pessoas que gostam de musicais, ainda mais um que está bem longe de aparecer aqui no Brasil. O Lin-Manuel Miranda fez tbm In the Heights, que vai virar filme, e fez as músicas da Moana da Disney e está fazendo músicas novas para o filme da Pequena Sereia.

  • Gabriel S. Vicente

    Quando falaram do submarino porta-submarinos russo, jurava que iam chamar ele de “submarino matriosca” em algum momento!

  • Oi Filipe e Matias. Vocês se engararam nesse programa, isolaram a Ursula do parlamento europeu. Cãimbra mental hahaha

  • Se o Filipe tivesse problemas de dicção, o comentário dele sobre a escolha da atriz para “A Pequena Sereia” seria digna do Choque de Cultura, num dublê fidedigno de Renan.

    E não sei como vocês dois, exímios trocadilhistas que são, não pensaram no homem do espaço brasileiro ser o “Bolsonauta”, pois além de ser no governo do Bolsonaro, viveria no mundo da lua..

    Abraços!

  • Guilherme Bernardes

    Potirendaba é a a cidade em que nasceu Hortência Marcari!

  • Matias, só passando pra fazer uma correção rápida. Sinto informar mas tu provavelmente é um “millenial”.
    Os “millenials” não são os adolescentes de hoje, mas sim as pessoas que nasceram entre os anos 80~90, ou seja, quem era adolescente / jovem adulto nos anos 2000. (jchs.harvard.edu/blog/defining-the-generations-redux/).
    A geração que nasceu entre o meio/fim dos anos 90 e os anos 2000 é chamada “geração Z” (pewresearch.org/fact-tank/2019/01/17/where-millennials-end-and-generation-z-begins/).
    Parabéns pelo trabalho!

  • Olá, pessoal! Sou cacdista, ouço o programa há cerca de 3 meses, e amo vocês profundamente! Tenho dois comentários para fazer:

    1) Sobre as instituições europeias, há 3 conselhos que confundem a cabeça: (a) o CONSELHO DA UE, que é o órgão de codecisão, juntamente com o Parlamento Europeu, e é composto por ministros de Estado dos países membros da UE; (b) o CONSELHO EUROPEU, que também é orgão da UE, reúne chefes de Estado e de governo em cúpulas anuais e foi criado em 1961; e (c) o CONSELHO DA EUROPA, que, como vocês disseram, é análogo à OEA, foi criado em 1949, e não faz parte da UE;

    2) Gente, tem um erro de português simples, mas que vocês cometem dezenas de vezes por programa. Diz respeito à concordância verbo-nominal com a palavra “Estados Unidos da América”. É o seguinte, há duas formas de concordância possíveis: (a) OS EUA ESTÃO em guerra com a China; (b) EUA ESTÁ em guerra com a China. Ou seja, se há artigo definido antes de “EUA”, o verbo fica no PLURAL; se não há artigo, fica no SINGULAR.

    Enfim, espero contribuir com meu primeiro comentário. O programa de vocês é maravilhoso!

    Se puderem, mandem um abraço pros meus colegas cacdistas de Floripa, o Lucas, o Guilherme, o Gabriel e o Daniel.

    Obrigado e um abração

  • Hola Filipe y Matías soy Luis Torres, su oyente de México, hace unos meses escribí cuando subieron el podcast de fronteras invisibles sobre México, quiero compartir un par de aclaraciones de datos y agradecer también a la profesora Vivian Almeida por siempre explicar temas complicados en palabras sencillas de entender, hace unos programas mencionaron a la cantante Selena Quintanilla y mencionaron que era Mexicana, ella era Estadounidense de el área de Corpus Cristi Texas era de Chicana, de ascendencia Mexicana, también mencionaron la frontera entre Estados Unidos y México, diciendo que mide aproximadamente 1000 kilómetros no se si se referían solo al área de Río Grande que es la que queda al norte de donde vivo, la longitud total es de 3185 kilómetros, con respecto al presidente de El Salvador y su expresión “El mundo mundial” es una expresión muy usada en México también entre los adolescentes, por ejemplo se usa en situaciones románticas cuando uno quiere decirle a la enamorada, eres la más bella del mundo mundial, is some kind of cute phrase, pero sólo usada entre adolescentes, sin más por el momento les mando un saludo. Filipe Matias y Vivian son los mejores del mundo mundial 🙂

  • Paulo Eduardo (Padu)

    E aí, pessoal! Semana passada fiz um desabafo sobre a maneira que a imprensa costuma falar erroneamente sobre a possibilidade do Brasil sair do Acordo de Paris na caneta, e qual não foi minha surpresa de ter meu comentário lido no programa. Porém, fiquei triste pois não tive a oportunidade de elogiar o programa de vocês. Sou engenheiro ambiental, de Niterói, e acompanho o programa de vocês religiosamente desde 2016. Vocês são não apenas o melhor podcast de política internacional, mas certamente um dos melhores do Brasil!
    Quanto ao episódio passado, acho válido ressalar aqui algumas observações sobre a conversa entre Merckel e Bolsonaro. Segundo o presidente, ele teve uma conversa tranquila, cordial, com a primeira-ministra, na qual ele mostrou que “o Brasil mudou o governo, e é um país que vai ser respeitado . Segundo ele, abre aspas, “Falei para ela também da questão da psicose ambientalista que existe para conosco.” Eu, particularmente, adoraria saber o que a primeira-ministra disse quando o presidente usou esse termo “psicose ambiental”, mas acho até que a gente pode ter uma noção, porque o presidente disse em entrevista que ela “Em alguns momentos, arregalava os olhos”. Parece que Macron também arregalou os olhos por diversas vezes durante as conversas bilaterais. E com os Verdes do Parlamento Europeu agora se mobilizando nos bastidores para impedir a ratificação do acordo com o Mercosul, quero só ver como vai ficar essa relação entre Brasil e UE.

  • Passando aqui para pedir para mandarem um abraço para a minha esposa, Bruna – já que no próximo dia 14/7 completamos doze anos juntos.

    Eu apresentei o podcast pra ela (e tive que insistir um pouco para ela ouvir pela primeira vez). Hoje, porém, ela é uma ouvinte mais assídua que eu.

    Moramos em Helsinki e o podcast é uma das principais formas de nos mantemos informados. Parabéns pelo trabalho.

  • Ola, Matias e Filipe!
    Chamo-me Paulo Victor, assíduo ouvinte e divulgador do Xadrez Verbal e do Fronteiras há mais de 2 anos e meio, resido em Lagarto-SE (terra natal do centroavante hispano-brasileiro Diego Costa), mas no momento vivendo meus últimos dias de um ano sabático em Sydney.

    Gostaria de fazer uma breve correção de algo que o Filipe disse: clubismo a parte, o Bahia não é o maior time da Bahia, mas o maior clube do Nordeste. Espero que o pessoal do conselho do Baião de Dois não se ofenda.
    Saudações, Tricolores!

  • Olá, dupla! É aqui que pede abraço?
    Eu sempre escuto com atraso de algumas semanas, aí essa semana eu consegui escutar dentro do prazo (acho) e tô aqui pedindo abraço. =D

    Vocês são ótimos! Continuem com o excelente trabalho!

  • Ao ouvir a predição de vocês de que o próximo presidente do FMI será de um país emergente, imediatamente visualizei o Marcelo Adnet, com ovo na boca, dizendo, “CCCCHAMA O MEIRELLES!”
    Gustavo Sette, ouvinte de Cascais, Portugal

  • Filipe disse que nunca tinha ouvido falar, mas Potirendaba é famosa por ser a cidade em que nasceu a Rainha Hortência do Basquete, fica ao lado de uma outra cidade de nome complicado, chamada: Bady Bassit, terra do meu pai, ambas são bem próximas a São José do Rio Preto. abs

  • Pensei que nenhum dos dois tiraria onda com o nome da Ursula von der Leyen, mas o Matias cumpriu seu papel de tiozão do pavê e salvou o podcast. Obrigado.

    • Certamente essas piadas fazem parte da estratégia de melhorar os pontos da categoria de humor na carta do XV no Super Trunfo dos Podcasts. Mas algumas anedotas que o Matias andou soltando em episódios anteriores tavam nível bem abaixo do tiozão do pavê… Hehehe

  • Eu não sei se ainda é relevante mas o Philipe disse, em 37:33min que pra fazer uma bomba nuclear é preciso enriquecer urânio em 20%, o que está errado. Urânio enriquecido em 20% é usado normalmente, pra fazer uma bomba é preciso enriquecer a 90%.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.