Xadrez Verbal Podcast #188 – Theresa May, Índia e eleições na Austrália

O podcast do Xadrez Verbal recebe Fernando Vives, diretamente da Austrália, para explicar e comentar as eleições down under e a vitória de Scott Morrison! Vamos até Londres, onde Theresa May renunciou ao cargo de Primeira-ministra do Reino Unido e uma nova liderança terá que descascar o abacaxi do Brexit. Passamos também pelo restante da Europa, com uma crise que dissolveu o governo austríaco. De lá vamos para a maior eleição do mundo, onde seiscentos milhões de indianos escolheram que Modi continua como líder do país; o que isso significa e quais os problemas do nacionalismo hindu? Além disso tudo, nós giramos pelo mundo, a semana na História, Economia com a professora Vivian Almeida, peões da semana e dicas culturais fecham mais um podcast do Xadrez Verbal!

Você nem sempre tem tempo, mas precisa entender o que acontece no Mundo, ainda mais porque o planeta está uma zona. Toda semana, Matias Pinto e Filipe Figueiredo trazem pra você as principais notícias da política internacional, com análises, críticas, convidados e espaço para debate. Toda sexta-feira você se atualiza e se informa.

Dicas do Sétimo Selo e links

Site da Editora Contexto

Filme Rush

Filme Rambo: Programado para Matar

Música de Encerramento Pinball Wizard, The Who

Playlist das músicas de encerramento do Xadrez Verbal no Spotify

Canal do Xadrez Verbal no Telegram

Minutagem dos blocos, cortesia dos financiadores do Xadrez Verbal

  • 00:15:05 – Giro de Notícias #1
  • 00:33:01 – Coluna Aberta: Eleições Australianas, com Fernando Vives
  • 00:41:23 – Efemérides: A Semana na História
  • 00:47:40 – Match: Brexit e Europa
  • 01:36:50 – Xeque: Eleições Indianas
  • 02:06:00 – Gambito da Dama – parte 1: Brexit e futuro das relações e acordos comerciais
  • 02:11:15 – Gambito da Dama – parte 2: Inteligência artificial, racionalidade e tomada de decisões
  • 02:17:25 – Giro de Notícias #2
  • 02:28:50 – Peões da Semana
  • 02:30:35 – Sétimo Selo
  • 02:46:00 – Música de Encerramento

Ouça o podcast aqui ou baixe o programa. (clique com o botão direito do mouse e use a opção “Salvar como” para baixar)

Você também pode assinar o podcast via RSS ou no iTunes, além, é claro, de acompanhar o blog.

A revista de política internacional do Xadrez Verbal é feita na Central 3, que está no Apoia-se

Filipe Figueiredo é tradutor, estudante, leciona e (ir)responsável pelo Xadrez Verbal. Graduado em História pela Universidade de São Paulo, sem a pretensão de se rotular como historiador. Interessado em política, atualidades, esportes, comida, música e Batman.
Como sempre, comentários são bem vindos. Leitor, não esqueça de visitar o canal do XadrezVerbal no Youtube e se inscrever.

Caso tenha gostado, que tal compartilhar o link ou seguir o blog?

Acompanhe o blog no Twitter ou assine as atualizações por email do blog, na barra lateral direita (sem spam!)

E veja esse importante aviso sobre as redes sociais.

Caros leitores, a participação de vocês é muito importante na nova empreitada: Xadrez Verbal Cursos, deem uma olhada na página.

51 Comentários

  • Salomão aprovado!

  • A Família Gandhi não tem relações familiares com o Mohandas Gandhi. O que acontece é que a Indira Gandhi, primeira-ministra da Índia e filha de Jawaharlal Nehru, se casou com Feroze Gandhi, outro quadro do Congresso Nacional Indiano. Feroze inicialmente nasceu com o sobrenome grafado “Ghandy” e não tem parentesco algum com Mohandas, porém inspirado pelo líder anti-colonial ele mudou a grafia do nome durante a década de 30.

  • Fala meus caros! Sou Willian Cardoso, estudante de Medicina na Universidad Nacional de Rosario, na Argentina. Sobre as eleições por aqui que vocês comentaram, o espaço de Sergio Massa (Alternativa Federal) vem perdendo certa força no debate nacional desde as eleições de 2013 e apenas fazendo um adendo, Roberto Lavagna que foi Ministro de Economia no primeiro governo de Nestor Kirchner e freou o processo de destruição econômica iniciado por De La Rua, se apresenta como candidato, colocando-se nesse lugar de “terceira opções”, tanto que a mídia já deu até o apelido de Efecto Lavagna. O mesmo vem captando certos atores importantes do PJ não Kirchnerista, o Partido Socialista como um todo e partes da UCR também entraram na roda para o debate. Abraço!

  • Olá.
    Gostei bastante da solução salomônica adotada. Agradeço bastante a consideração com os ouvintes e peço que continuem o importantíssimo trabalho que estão fazendo, sempre abordando os assuntos de forma pragmática porem sem esquecer o lado humano.
    Um abraço para vocês Filipe e Matias.

  • Olá.

    Parabéns pelo excelente trabalho ! Eu preferia os comentários no inicio, mas a solução que vocês adotaram ficou boa também. A escolha de “Pinball Wizard” como música de encerramento foi muito boa, mas sou obrigado a discordar do Filipe, pois a obra-prima do The Who é “Who’s Next”, a ópera-rock que não funcionou como a banda pretendia originalmente, mas virou um disco sensacional.

    Gostaria que vocês mandassem um abraço para os amigos ouvintes Mathias, Vinicius e Maria Carolina (que foi quem me apresentou o programa)

    Grande abraço

  • Filipe, posta no próximo podcast que o filme brasileiro ”Bacurau”, que retrata o Nordeste brasileiro ganhou o Prêmio do Júri no Festival de Cannes.

  • É com muito audácia que eu venho aqui sugerir uma mudança para o programa:
    – A adição de um quadro de entrevistas para o programa onde diplomatas, politicos, diretores de NGO’s, etc poderiam expor um pouco a opinião deles para diferentes assuntos. O quadro poderia ser mensal (sem querer puxar muito, mas já puxando)
    Acho que seria interessante para engrandecer o conhecimento dos ouvintes com outras opiniões relacionadas aos temas que ouvimos semanalmente.

    Esses seriam os meus dois centavos para o melhor podcast do Brasil

  • Olá, caros Matias e Filipe.
    Primeiramente parabéns por mais um excelente podcast, sem sobra de dúvida o melhor do Brasil.

    Comentei o programa passado mas não cheguei a dizer de onde era, pois bem, sou estudante de Economia da Universidade Federal de Pernambuco, no município de Caruaru (sim, aquele conhecido pelas festividades juninas). Queria mandar um abraço pra meu colega de faculdade Felipe Josino e meu irmão Helton, os quais o Xadrez Verbal foi pauta de várias discussões.

    P.S.: Tenho a solução para vocês ganharem pontos em “ser engraçado” para o Super Trunfo dos podcasts, é só chamarem a Tupá Guerra, que participou do programa #127, onde vocês estavam muito mais engraçados que o normal, além de ter uma das melhores músicas de encerramento.

    Grande abraço!

  • Ah, e eu gostei desse novo formato de comentários. Acho que agrada a todo mundo.

  • Ótimo episódio (como sempre), e gostaria de recomendar a Vivian Almeidaque que leia o Transhuman Space, cenário do sistema de RPG Gurps, pois é assustador como esse cenário acerta algumas previsões (obs: eu li por tabela, porque meu marido era um grande entusiasta do gurps e não parava de falar desse cenário). Por fim gostaria de lembrá-los da existência do filme Tommy em que Elton John aparece em “pinball wizard”. Sobre a qualidade técnica desse filme prefiro não comentar, mas tinha muitas participações especiais, incluido Tina Turner cantado “acid queen” (me julguem, mas adoro essa parte do filme)

  • Gostei da divisão dos comentários dessa forma, continuem! Philipe e Mathias (rs), um abraço de Itapiúna-CE (acho que eu sou um dos únicos ouvintes por aqui, kk, tão raros quanto os ouvintes do Azerbaijão).

    • Só uma obs. que esqueci no comentário anterior: vocês me fizeram ter vontade de cursar Relações Internacionais, curso que não é oferecido por nenhuma universidade pública aqui do Ceará. Obrigado por complicarem minha vida, tô no terceiro ano e totalmente incerto se vou me contentar com outro curso ou correr atrás em outro estado, thank you guys! kkkk

  • Marco from Tropoja

    Adorei a decisão do sábio Salomão.

  • Vcs deveriam criar um quadro pro brexit com vinheta e tudo, já q vai durar pra sempre

  • A divisão dos comentários ficou muito legal, parece que o programa ficou mais dinâmico 😀

  • Queridos Filipe e Matias, gostaria de registrar que, na minha opinião, a “solução Salomão” ficou muito boa (mesmo que eu considere que comentários no início é ainda melhor).
    E acrescentar que a música de encerramento é ótima, mas perderam a oportunidade de colocar a versão do Vocal Adrenaline, da 3° temporada de Glee (rs).

    Gostaria de aproveitar o comentário para deixar um abraço para vocês dois por esse excelente trabalho, que conheço desde a participação do Filipe na Semana da Química IQ-USP em 2017. No começo eu achava o programa muito longo, e por vezes até partia os blocos em duas partes. Hoje, ao contrário, fico triste quando tem menos de 3h de duração. Desejo força e ânimo para continuarem essa tarefa que traz a alegria de tantos brasileiros 😀

  • Queridos!
    Eu só queria registrar que adoro o programa com duração gigante, pode ter 5 horas que eu escuto tudinho.

  • Meu nome é Paulo e sou de BH. Xadrez Verbal e Fronteiras viraram a minha companhia diária para todos os meus afazeres! Queria agradecer ao Xadrez Verbal, pois graças à vocês eu estou conseguindo debater política ucraniana com a minha crush de lá. Manda um abraço pra toda turma do Euro Truck Simulator que ouve o podcast enquanto pilota seus caminhões e ônibus pelas estradas do mundo!

  • Felipe e Matias,
    parabéns pela cobertura das eleições indianas! Eu só queria deixar um alerta pois durante o último programa, apesar de vocês não terem expressamente dito que o Mohandas (Mahatma) Gandhi era o patriarca da família política Gahndi, a audiência pode ter ficado com essa impressão. Segue o link de uma reportagem do Mirrow Now com a árvore genealógica da família Gahndi.

    https://www.timesnownews.com/mirror-now/in-focus/article/priyanka-gandhi-vadra-in-politics-bjp-cries-foul-a-look-at-gandhi-family-tree-jawaharlal-nehru-indira-gandhi-sonia-gandhi-rajiv-gandhi-upa-sanjay/352659

    Mais uma vez parabéns.
    Um abraço
    Fábio

  • Oi Filipe e Matias! Pra complementar sobre o reino unido, se um hard brexiteer for escolhido pra 1o ministro e quiser fazer uma saida sem acordo, tem grande chance dos proprios comservadores (a parte que eh favoravel a saida com acordo) apoiarem a oposiçao num voto de desconfiança pra novas eleiçoes: https://www.theguardian.com/politics/2019/may/26/brexit-top-tories-would-bring-down-any-pm-who-backs-no-deal

    Sobre os milkshakes, isso começou qdo alguem jogou um milkshake no ativista da alt-right Stephen Yaxley-Lennon (aka Tommy Robinson), conhecido por seu racismo, intolerancia e discurso de odio. Ele tentou se candidatar ao parlamento europeu (perdeu miseravelmente) e num dos seus comicios jogaram o famoso milkshake de banana com caramelo. Dai se estendeu essa “tradiçao” de arremesar milkshakes pra figuras intolerantes da far right em geral, como o Farage.

    Parabens pelo trabalho, e boa semana!

  • Primeiro contato que tive com o trabalho de vocês, foi, depois de ouvir o fronteiras invisíveis do futebol sobre os Estados unidos. Depois disso virei ouvinte fiel desse palmeirense e desse são Paulino. Xadrez verbal e o fronteiras são os únicos podcasts que não me fazem dormir. Parabéns por me manterem informado e também acordado. Comprei até um caixinha Bluetooth para ouvir melhor vocês.

  • Boa tarde,

    Só um breve adendo

    O Google revogou diversas certificações de parceria, como o Android Enterprise e o GMS

    O que isso significa exatamente?

    Que a Huawei não receberia o código fonte das novas versões do Android com antecedência (hoje às empresas recebem antes do código ser liberado no AOSP [Android Open Source Project])

    Não receberia as correções de segurança proprietárias do Google

    Não tem direito de fornecer os aparelhos com os softwares do Google e serviços pré-instalados, o que inclui a loja

    Mas mais importante que isso, envolve o Play Services, que, em uma tentativa de evitar ruídos pela dificuldade de atualizar os dispositivos, é onde está contida uma parte grande das funcionalidades do Android

    Dessa forma, o Android aberto, hoje, é bem “cru”

    Para além disso, enquanto a Huawei não consegue liberar o próprio sistema (provavelmente baseado em Linux ou até mesmo no AOSP), estão negociando com uma loja de aplicativos paralela pra vir pré-carrevada nos celulares deles

    Na prática, a grande dificuldade seria nas atualizações.

    Também é importante lembrar que, na “onda” da ordem executiva americana, empresas de outros países também cortaram laços com a Huawei, uma das principais é a ARM Holdings, proprietária da arquitetura ARM, que licencia a arquitetura para diversas empresas produzirem seus designs customizados (Apple, Samsung, Qualcomm e a própria Huawei). Hoje, especula-se sobre como a Huawei vai proceder, pois dificilmente ela teria como produzir uma arquitetura própria que teria suporte de desenvolvedores de maneira ampla etc. A saída mais simples seria comprar processadores prontos de empresas que não seguirem a ordem executiva. Eles também perderam a certificação de alianças de standards, como a Wi-Fi Alliance e a SD Association. Na prática, ela pode usar as tecnologias, só não pode oficialmente dizer que suporta os padrões e receber selos de compatibilidade oficiais.

    Fora o mercado de smartphones (que na China eles tem toda capacidade de se manter, até porque a perca de serviços não afeta lá, afinal a maioria não é padrão ou é até mesmo proibida, e na Europa [mercado que eles estavam se tornando extremamente fortes], provavelmente, terá certa dificuldade), o mercado de notebooks é basicamente algo que ela será forçada a abandonar, sem acesso a contratos com a Microsoft e com a Intel.

    Obviamente, mesmo sendo uma grande fabricante de hardware para consumidores, parte relevante dos negócios da Huawei está em redes e infraestrutura, e essa ordem acaba por colocar ela em uma situação ruim (pior, na realidade) com muitos governos, o que dificulta esses contratos. No próprio Estados Unidos, a Huawei vendia bastante equipamento para operadoras pequenas, que estão, inclusive, em situações complicadas com o banimento.

  • Gabriel Narciso Pareja

    Este novo “Correio Romântico” do fim do programa poderia levar um nome relacionado a “La Bourdonnais y McDonnell” ou ao Howard Staunton, já que são nomes que remetem à Escola Enxadrista de Modena, mais conhecido como Escola Romântica de Xadrez… Ou devolve ela para o começo do programa de chama de “Abertura Giuoco Piano”, já que é uma abertura quase dominante naquela escola.

    O Milkshake de Banana com Caramelo Salgado jogado no projeto de fascitinha não era só chique pelo sabor, mas também pq custa £5,25… Na cotação de hoje, uns R$26! É muita vontade de fazer claro um ponto com classe!

  • Olá senhores, acompanho o programa a muito tempo e achei muito acertada a decisão de deixar os comentários no começo do programa comp sempre foi, e para quem não gosta, não teria como fazer igual o pessoal do Jovem Nerd que fala quando vc pode pular os comentários para ir direto ao Novo programa? Isso é apenas uma curiosidade e um beijo no Bulbo de vocês. 😂

  • Sou a favor dos comentários divididos, esta solução Salomônica ficou bem melhor!!
    Cara, a vinheta de Breaking News é impagável, não poderia ser mais criativa!!

    Sobre a Huawei , China e EUA: quantas empresas americanas estão proibidas na China? Tem um pessoal fazendo um certo escândalo por causa da medida protecionista americana, mas me parece uma inversão na forma de enxergar essa balança…..

  • Gilmar,

    Considerei péssima a alternativa salomônica. Penso que é tempo para mediação! (Ou seja, vocês escolherem imperativamente que os comentários sejam apresentados no início [neste caso, sou clubista] ou ao final.)

    #NãoAoSalomão

  • Primeiramente, um grande abraço para vocês, me chamo Eduardo Sforni, sou de Maringá-PR 🙂

    Minha principal dúvida sobre o Instituto de difusão de cultura é se eles vão lembrar que o sul também tem cultura e também faz parte do Brasil ou se vão esquecer igual fizeram na abertura das olimpíadas? O que vocês acham?

  • Ouvi diversas vezes o minuto 147 do podcast. Não consigo interpretar, o que vem depois de relatos de abandono de veteranos, casos de transtornos psicológicos e casos de SUICIDIOS… como algo diferente de uma RISADA. Comecei a acompanhar o podcast esse ano e ainda não tinha visto um comportamento assim tão ofensivo, para não dizer doentio. Fiquei desapontado.

  • Prisciliana Nobre

    Oi Filipe e Matias! Obrigada por me manter informada, estou em Brisbane – Austrália e não passo uma semana sem vocês! Filipe, seu Nobre sobrenome tem família no Nordeste (sou de Natal/RN)? Quem sabe somos primos! Rs
    Bom.. dia 1º de junho é meu niver, mas quero um alô pro meu pai João Maria Nobre que também escuta o Xadrez Verbal!

  • LUIZ AUGUSTO CALVO TIRITAN

    Olá Filipe e Matias, gostei do novo formato dos comentários.
    Sobre passar a palavra dos podcasts, tenho tentado fazer isso entre amigos e os meus alunos, onde já consegui muitos adeptos, porém a pessoa que ainda não consegui atrair pra essa lado da força foi minha mulher, Thaís Piva, companheira em tudo na minha vida, que mostra-se um pouco resistente. Continuo na luta e um chamado de vocês seria de grande ajuda.

    Abraços e até uma próxima!

  • Olá Felipe e Matias, gostei desta solução Salomônica, creio que estão agradando gregos e troianos.
    Adora quando faço longas viagens e coincide com lançamento do xadrez verbal ou fronteiras, vocês são ótimos companheiro de viagem.
    Queria deixar um abraço pra minha amiga Gabi, que me indicou vocês lá em 2016 e desde então não paro de ouvir e para a minha mãezinha ,Simone Quiezi, que me guiou muito bem nesse mundo da ciências sociais, embora eu sendo de exatas, e que logo defendera seu mestrado em Historia sobre Paleoterritórios de indígenas, expedições, posseiros, pescadores e agricultores nos séculos XIX e XX.

    E um grande abraço para vocês, quando passarem por são Jose dos Campos o cafézinho é por minha conta.

    Wellinton Gaspar
    Tech Leader – Embraer

  • Por coincidência, estive em Foz do Iguaçu nos mesmos dias que o Filipe Figueiredo esteve.

    Se eu soubesse disso antes, teria me programado para ir ao evento.

  • Inicialmente, esse comentário versa sobre tema do programa (vários deles) devendo ser mencionada (caso seja) no início.

    Meu nome é Carter, portanto logo cedo me acostumei com as pessoas escrevendo e pronunciando meu nome de formas aleatórias. Tenho um conhecido de infância – morava no mesmo bairro que eu – que até hoje me encontra e diz: “fala, Cálister.”

    Como o FILIPE faz muita questão de enfatizar que a forma com “i” é a grafia correta do seu nome, eu gostaria de acrescentar que a famosa Lista de Nomes Portugueses (relação de nomes aceitos em Portugal. Isso mesmo, um pai não pode escolher um nome fora da lista, talvez por isso a versão portuguesa da Copinha não faça tanto sucesso, pela ausência de nomes maravilhos), pois então, dizia que a Lista de Nomes Portugueses prevê várias formas de grafia, FELIPE, FILIPE, FILIPPO, FILIPO e até FILIPA ou FELIPA.

    Portanto, quando o Dr. FILIPE dender que a forma com “i” é a correta, estará cometendo uma impropriedade, pois as outras grafias citadas são também canônicas do ponto de vista da Lista de Nomes Portugueses.

    Eu, por exemplo, não poderia me chamar Carter se a lista fosse cogente no Brasil. Eu aprovo a sua utilização, tanto que meus filhos possuem nomes la previstos, AUGUSTO (4 aninhos) e CATARINA (nascerá em 2 semanas).

    Forte abraço!

  • Que curioso.
    Sexta-feira, antes de ouvir o programa resolvi finalmente assistir ao First Blood. Estava em sintonia com o Matias.

    E o filme rush é ótimo mesmo. Me fez começar a ver F1.

    Mas eu ainda não considero automobilismo esporte

  • Eu que preferia os comentários no início, gostei da solução salomônica. Vocês leem os comentários no youtube? É pq eu escuto vcs por lá, mas nunca vejo vcs mencionarem os comentários de lá. Acompanho vcs desde o programa #171 e já indico para vários amigos. Obrigada por me fazerem companhia nas minhas caminhadas! Um alô de Paris! 🙂

  • Prezados, boa tarde. Gostaria de agradecer “as aulas” dadas por vocês em todos os episódios. Explico: nessa semana, o comentarista esportivo Leonardo Bertozzi (espn) lançou no twitter um daqueles testes criados pelo BuzzFeed (tinha que ser) sobre as capitais dos 50 países europeus. Acertei 41 com muito orgulho (chutando alguns também). Obrigado por participarem desse momento da minha existência.
    Um dúvida: como vocês decidem os temas de cada bloco (Match, Xeque, Coluna aberta…)?
    Um abraço e agradeço também porque o nosso podcast Escanteio Curto (meu e de um amigo) se inspira bastante nos podcasts da central3 (principalmente no XV).

  • Bom tarde senhores,
    a extrema unção, ou pelo nome correto Unção dos Infernos, é um direito de todo indivíduo mesmo não estando em seus últimos momentos, aqui em Campo Grande – MS na Paróquia São José todo dia 26 na missa das 6:15 da manhã é concedido a todos que desejarem o referido sacramento. Quanto ao Lauda, duas corridas após o acidente voltou a correr e por pouco não foi campeão na mesma temporada.
    Saudações Alvinegras ( torço pelo Botafogo e Corumbaense FC o Carijó da Avenida)

  • Gostaria de parabenizar pela escolha de “First Blood” nas dicas culturais. Há tempos insisto com amigos de que esse é um filme profundo e não tem nada a ver com a franquia que fomos inundados na infância (sequências, desenhos animados, brinquedos, arminhas de espoleta, etc). Aproveito para indicar um dos personagens mais engraçados que conheço, e que retrata um veterano de guerra americano com distúrbios psiquiátricos. O nome dele é Flippy, da franquia Happy Tree Friends (procurem no youtube), a qual consiste em desenhos com estilo ultra-fofolete que descambam em violência explícita, na linha de Comichão e Coçadinha. Termino pedindo um beijo para minha esposa Katria (com TR mesmo), a quem apresentei o Xadrez. Ela não hesita em dizer que o podcast a tornou uma pessoa mais inteligente e melhor.

  • Oi Filipe e Matias, fiquei muito feliz que vocês leram meu comentário no último programa 🙂 meu nome se pronuncia Mariá, mas escreve-se com H.
    Quanto aos comentários eu prefiro tudo no começo, mas tbm achei legal o novo formato.
    Gostaria de saber qual o endereço do estúdio, pois gostaria de deixar uns quitutes alagoanos para vocês :p

  • Olá. Gostaria de agradecer e parabenizar pelo Xadrez Verbal e principalmente pelo Fronteiras Invisíveis, não só a mim mas aposto que muitos outros vestibulandos estão sendo auxiliados com o bom humor e conhecimento de vocês. Caso dependesse apenas das aulas do cursinho, a Iugoslávia seria apenas um “estado pobre socialista que nasceu na mão de um ditador sanguinário (capacho de Stalin) e teve o seu fim por conta da maldosa Sérvia.” Basicamente foi essa a aula.

    Enfim, assistindo ao vídeo do Filipe sobre as controvérsias do revisionismo a última pergunta foi bastante pertinente.
    Vocês acham que o conhecimento ensinado para os alunos do ensino básico deveria ser menos cobrado história antiga (feudalismo, etc) e dar foco na história moderna/contemporânea e história local? Com história local eu digo América do Sul.

    Abraços. Segunda foi meu aniversário, se poderem mandar aquele salve, ficarei agradecido haha

  • Guilherme Anselmo

    A decisão salomônica demonstra a sabedoria salomônica da equipe! Ainda acho um pouco estranho, mas agora acho que é costume, resolveu a questão principal que é ligar os comentários com a semana anterior. Gostaria de deixar um beijo e abraço para Marcela Carvalho, grande amiga dos meus tempos de UnB e que iniciei recentemente ao grande universo do Xadrez Verbal e que os escuta de Paris, enquanto assiste a carros serem queimados por qualquer coisa hahaha.

  • Filipe, sobre as conexões russas com a extrema-direita europeia, além da questão ideológica, mencionada por vc no episódio, será que, no aspecto geopolítico, a intenção não seria não somente desestabilizar a EU, mas desestabilizar o mundo institucional do pós-guerra construído e, em grande parte, idealizado pelos EUA? Isto também não explicaria não somente o apoio aos populistas europeus, mas também o próprio apoio a Trump nas eleições norte-americanas? Será que, na cabeça do Putin, desestabilizar o sistema internacional do pós-guerra não significaria um enfraquecimento de seus próprios adversários geopolíticos e, ao mesmo tempo, um “troco” pela derrota na Guerra Fria? Abs.

  • Henrique Molletta Juliatto

    Caraca, Spotify me quebrou as pernas. Sem atualizar e com a loucura do dia a dia só fui me dar conta que estava estranho o tempo sem programa no lançamento com o lançamento do episódio 188. Maratonei os 3 episódios em atraso obviamente!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.