Fronteiras Invisíveis do Futebol #76 – Filipinas

Na nossa rotação de continentes, voltamos à Asia, com um país que recentemente celebrou 120 anos de independência. Quer dizer, mais ou menos. A atual república das Filipinas é um arquipélago gigantesco, com milhares de ilhas e, por isso, uma História muito rica, cheia de relações internas e desconhecida pra nós. Agora, menos, mas é bem complexo.

Falamos também da chegada dos espanhóis, do domínio dos EUA, da Segunda Guerra Mundial, da ditadura na Guerra Fria, tudo isso em um país em que o futebol…não é o esporte mais popular. Não é o segundo também. De qualquer maneira, passamos pelo futebol do país e seu craque do Barcelona (mesmo!). Dê play e venha para essa terra que tem o nome de Filipe!

Referências no programa

Em breve

Ouça o podcast aqui ou baixe o programa.

Assine um dos feeds do Fronteiras Invisíveis do Futebol e não perca nenhum programa: feed RSS, feed do iTunes e feed Player.FM, feed Deezer e feed Pocketcast

A revista de política internacional do Xadrez Verbal é feita na Central 3, confira o restante da programação aqui.


assinatura

Filipe Figueiredo, é tradutor, estudante, leciona e (ir)responsável pelo Xadrez Verbal. Graduado em História pela Universidade de São Paulo, sem a pretensão de se rotular como historiador. Interessado em política, atualidades, esportes, comida, música e Batman.


Como sempre, comentários são bem vindos. Leitor, não esqueça de visitar o canal do XadrezVerbal no Youtube e se inscrever.


Caso tenha gostado, que tal compartilhar o link ou seguir o blog?

Acompanhe o blog no Twitter ou assine as atualizações por email do blog, na barra lateral direita (sem spam!)

E veja esse importante aviso sobre as redes sociais.


Caros leitores, a participação de vocês é muito importante na nova empreitada: Xadrez Verbal Cursos, deem uma olhada na página.

botãocursos

Anúncios

15 Comentários

  • Ótimo programa galera, mas quero deixar aqui um jogador que nem eu sabia até recentemente que tem origem filipina: David Alaba.
    Disparadamente o melhor jogador de futebol de origem filipina no esporte, mais jovem a jogar pela seleção austríaca na história e um dos melhores laterais esquerdos do mundo, talvez até top 3. Ele é filho de George Alaba, um príncipe nigeriano iorubá (sim, um príncipe nigeriano de verdade, assim como o pai do Dele Ali), que foi á Áustria estudar economia, que saiu para se tornar um famoso músico (na Áustria) e também não só o primeiro negro, mas também a primeira pessoa “de pele escura” (acho que seria esse o melhor termo) na história a servir o exército austríaco, com Gina Alaba uma enfermeira filipina da etnia visaya ou bisaya, que foi para a Áustria justamente para realizar o sonho de ser enfermeira.

  • Olá Filipe e Matias. Obrigado por esclarecer sobre a questão das bandeiras. Faz todo sentido. 🙂
    É “Facion” que fala, mas “Fation” também está certo por causa da descendência italiana.

    Falando em Itália, o Tedy Lacap Bruschi (“Bruski”) que vocês comentaram tem a mãe Filipina e o pai de origem Italiana, e foi um dos melhores Linebackers da história do New England Patriots, capitão da defesa nos primeiros 3 Super Bowls do time.
    E ele, ao contrário de muitos norte-americanos, mantém o sobrenome da mãe dele (Lacap). Segue link de uma matéria sobre isso. https://asianjournal.wordpress.com/2008/02/11/nfl-hero-is-filam/
    Por favor, mande um abraço ao América-MG Locomotiva, time de Futebol Americano daqui de BH, onde vocês tem alguns fãs e ouvintes. 🙂
    Muito obrigado.

  • Olá Filipe e Matias. A língua filipina é meio que um tema de debate tanto dentro quanto fora da ilha. Apesar de ter grande influência espanhola e americana, ela é na verdade a língua tagalog (do tronco das línguas austropolinésias), tendo a mesma estrutura gramatical. O filipino é descrito como a variação do tagalog falado na região de Manilla. Só pra deixar tudo ainda mais confuso kkkkkkkkk.

    Essa confusão também foi feita porque o governo não queria que a língua fosse associada a uma etnia específica, mas não deu tão certo assim.

    Abraços.

  • Dois ótimos cineastas filipinos vêm ganhando destaque em festivais internacionais, Brillante Mendonza e Lav Diaz (apelidado nos ciclos cinéfilos como “Leva Dias” devido a duração de seus filmes). O primeiro dirigiu uma série distribuída pela Netflix chamada “Amo” (https://www.netflix.com/br/title/80218962), que retrata a atual guerra às drogas e o tráfico paralelo apoiado pela corrupção policial, ironicamente, o Brillante já gerou polêmica ao apoiar a mesma guerra promovida pelo Duterte, dois filmes que eu indicaria para os interessado são “Kinatay”, qual o cineasta faturou o prêmio de Melhor Diretor em Cannes e o recente Ma’Rosa, onde a atriz faturou o prêmio da categoria no mesmo festival.

    Já o Lav Diaz nem precisa de séries, alguns de seus filmes já são divididos em episódios, os mais acessíveis na minha opinião são “Norte, O Fim da História” (Norte, The End of History) com suas 4h e “A Mulher que se Foi” (The Woman Who Left), que ganhou o Festival de Veneza, para os fãs do Tolstoi que possuem a ed. completa de contos do autor, adapta o pequeno “Deus vê a Verdade, mas Custa a Revelar” e o transforma num drama feminino de 3h50.
    Para os mais loucos e fãs de Boyhood, “Evolução de uma Família Filipina” (Ebolusyon ng isang pamilyang Pilipino) com suas 11h e seis episódios, retrata os anos turbulentos da ditadura de Ferdinand Marcos, repressão, luta armada, tudo através de uma ótica familiar.

  • E aew Filipe e Matias beleza? PARABÉNS pelo baita trabalho de pesquisa e informação que vocês vem realizando, conheci o podcast há pouco tempo e estou querendo maratonar o “Fronteiras do Futebol” mas, os episódios antigos estão todos fora do ar.
    Só dando um toque, sei que fazer o trabalho de vocês não é fácil e sempre surgirão percalços, mais uma vez parabéns, abraços!

  • Gabriel Narciso Pareja

    Morei um tempo no México, até hoje há grandes comunidades Filipinas em algumas regiões da costa pacífica (no estado de Guerrero (onde está Acapulco) uma pesquisa encontrou marcadores genéticos de origem filipina e indonésia em um terço das amostras*.

    Alguns setores do “Primeiro Império” Mexicano chegaram a reclamar as filipinas como parte do recém formado México.

    A conexão era tanta que até hoje existem palavras do nahuatl (“asteca”) usadas nas Filipinas, como ‘tiangui’ para as feiras de rua ou ‘zagarate’ para travesso/maldoso.

    * Estudo realizado por Juan Esteban Rodríguez, do LANGEBIO (Laboratorio Nacional de Genómica para la Biodiversidad) em Irapuato, Mexico

  • Gabriel Narciso Pareja

    Existe uma lenda que é o ÁPICE dos rolês aleatórios e é super conhecida no DF mexicano:
    Reza a lenda que um soldado chamado Gil Pérez estava fazendo a guarda do palácio do governador colonial em Manila, no dia 24 de Outubro de 1593 (um dia depois do governador colonial Gómez Pérez Dasmariñas ser morto por piratas chineses no mar, próximo a Manila), quando se sentiu tonto, escorou na parede e fechou os olhos; ao abrí-los estava na Plaza Mayor, na Cidade do México (viajara 14.236km de distância em segundos).
    Quando o viram com o “uniforme errado” ele foi interrogado e contou sobre a morte do governador (o que ainda não era sabido por lá), acabou preso por deserção e com acusação de servir ao demônio. Meses depois, quando chegaram os galeões de Manila, confirmaram que o governador tinha morrido e um dos soldados que veio na viagem o reconheceue garantiu tê-lo visto no palácio em Manila naquele 24 de Outubro. Ele foi liberado e autorizado a voltar para Manila (de navio, desta vez).
    São conhecidos relatos escritos desta lenda desde o sec. XXVII.

    Não procurei History Channel deve ter algum “documentário” explicando como os aliens fizeram isso! XD

  • Ou eu me distraí muito ou faltou falar do Novo Exército Popular das Filipinas que hoje é uma das únicas guerrilhas comunistas ativas no mundo atualmente. Acho que só por esse fato de estar ativo e ser uma força com por volta de 5mil membros valia a pena ter sido lembrado. De qualquer forma muito obrigado por mais um ótimo episódio.

  • Olá Filipe e Matias, parabéns pelo trabalho, escuto vcs desde meados do ano passado na velocidade 1,3, pq na velocidade normal vcs parecem dois lesadões… não dá!! haha e acho a interação de vcs parecido com Galvão (Filipe) e Arnaldo (Matias).

    Aproveitando a sugestão do Jonas sobre as bandeiras; as Filipinas mudam o modo de usar a bandeira quando tão em estado de guerra, usando na vertical ou invertida??

    O oficial Onoda do exército imperial japonês fez um reboot da dica cultura do Matias após a WWII tmb nas Filipinas bem mais longo!

    Um abraço ao Cayo, Luciano, Ruth (em Santana do Acaraú-CE) Lia (em Recife) Everardo (na Califórnia), Flofy e Jana no Paraguai e Davisão e HF em Fortaleza

    Fronteiras o melhor da podsfera!!!

  • Totalmente excelente! Eu morei 6 anos nas Filipinas e nunca esperava um Fronteiras sobre as queridas ilhas. Tenho várias anedotas sobre o futebol de lá, inclusive tendo fundado um time (amador) que continua ativo (já não moro mais no país), o Manila Tala FC. Enfim, como o programa já foi, pro comentário não ficar muito grande, vou contar só uma: Phil Younghusband, que foi citado no episódio como maior goleador da gloriosa seleção filipina, foi descoberto pelo Football Manager por um adolescente filipino. O mesmo aconteceu com James Younghusband, irmão do Phil. O adolescente viu que eles eram muito bons no jogo (pro nível filipino), ligou pra federação filipina e conseguiu falar com alguém que o levou a sério, daí entraram em contato com os irmãos and the rest is history…Manda um abraço pro BFC Daugavpils, da Letônia, por favor. Valeu!

  • Marcus Vinicius Félix

    Olá Filipe e Matias.
    Ótimo programa!
    Nas dicas culturais faltou citar o “Um capeta em forma de guri”, paródia do filme Filipino “The impossible kid” feita por Hermes & Renato e protagonizado pelo saudoso Dioguinho (o artista anão chamado de Weng Weng) hahahaha. A bandeira das Filipinas inclusive aparece em algumas cenas da paródia.
    Grande abraço!

  • O Kirk Hammett guitarrista solo do Metallica (a mais bem-sucedida banda de Metal da história) é meio filipino, segundo a Wikipedia a mãe dele é filipina.

    Um salve do Tiago Souza de Itaberaba-Ba

  • Muito bom o programa. Sou um amante de Nobre Arte, então o meu comentário será clubista, faltou falar mais do Manny Pacquiao. Acredito que ele seja o Filipino mais conhecido do mundo.

    Ele foi o primeiro campeão mundial em oito categorias de peso diferentes, tendo conquistado ao todo 11 títulos mundiais. É o segundo atleta mais bem pago do mundo.

    Faltou falar de suas aspirações politicas também, foi eleito para a Casa dos Representantes no 15° Congresso das Filipinas, representando a província de Sarangani, dentro do boxe á que diga que ele deseja o cargo de presidente das Filipinas.

    Na Netflix tem um documentário sobre ele e mostra como são as manhã na entrada da casa dele nas Filipinas. Filas enormes de pessoal são feita pois ele faz doação de alimentos.

    Ele também tem discos gravados.

  • Olá Filipe e Matias, primeiro parabéns pelo podcast, é muito bom conhecer história de outros países. Também gostaria de parabenizar o Xadrez Verbal e o Som das Torcidas.
    Sobre esse episódio, quando o Matias falou ‘você acha que é só o motorista do lapa-socorro sofre?’, eu estava dentro do ônibus dessa linha. Comecei a dar risada sozinho.

    Um abraço Rodrigo Bruner de São Paulo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.