Xadrez Verbal Podcast #173 – Emendas do Brexit, EUA e Venezuela

Novamente vamos ao Reino Unido falar do Brexit! Parece série que faz sucesso e estendem em mais temporadas, a diferença é que dessa ninguém gosta. Quantos e quais foram as emendas ao Brexit? Quais foram aprovadas, quais recusadas? Muda alguma coisa? E mais algumas notícias sobre a Europa.

Claro que voltamos para a Venezuela, onde Guaidó e Maduro continuam sua queda de braço, cada um com seus apoiadores internacionais. Quem que a Internacional Socialista apoia? Finalmente vamos aos EUA, onde Trump assinou o fim temporário do shutdown do governo federal, além de outras notícias sobre a política externa do Tio Sam. Além disso tudo nós giramos pelo mundo, a semana na História, o retorno da professora Vivian Almeida, peões da semana e dicas culturais fecham o primeiro programa de Fevereiro de 2019 do podcast do Xadrez Verbal!

Você nem sempre tem tempo, mas precisa entender o que acontece no Mundo, ainda mais porque o planeta está uma zona. Toda semana, Matias Pinto e Filipe Figueiredo trazem pra você as principais notícias da política internacional, com análises, críticas, convidados e espaço para debate. Toda sexta-feira você se atualiza e se informa.

Dicas do Sétimo Selo e links

Site da Editora Contexto

Filme La Bamba

Filme Soul of the Game

Filme 42

Documentário Get me Roger Stone

Hotsite Brexit: How did my MP vote on the amendments?

Livro O Brasil entre a América e a Europa, de Luís Cláudio Villafañe G. Santos

Texto US should go big on Brazil, de Marco Rubio

Livro Kissinger e o Brasil, de Matias Spektor

Livro 18 dias, de Matias Spektor

Música de Encerramento American Pie, de Don McLean

Playlist das músicas de encerramento do Xadrez Verbal no Spotify

Canal do Xadrez Verbal no Telegram

Minutagem dos blocos, cortesia dos financiadores do Xadrez Verbal

  • 00:19:15 – Giro de notícias #1
  • 00:34:30 – Coluna Aberta: Brexit e Europa
  • 01:02:45 – Efemérides: A Semana na História
  • 01:12:10 – Match: Política Externa e Interna dos EUA
  • 01:41:15 – Xeque: América Latina
  • 02:35:42 – Gambito da Dama: Políticas Públicas
  • 02:48:20 – Giro de Notícias #2
  • 03:04:00 – Peões da Semana
  • 03:06:15 – Sétimo Selo

Ouça o podcast aqui ou baixe o programa. (clique com o botão direito do mouse e use a opção “Salvar como” para baixar)

Você também pode assinar o podcast via RSS ou no iTunes, além, é claro, de acompanhar o blog.

A revista de política internacional do Xadrez Verbal é feita na Central 3, que está no Apoia-se

Filipe Figueiredo é tradutor, estudante, leciona e (ir)responsável pelo Xadrez Verbal. Graduado em História pela Universidade de São Paulo, sem a pretensão de se rotular como historiador. Interessado em política, atualidades, esportes, comida, música e Batman.
Como sempre, comentários são bem vindos. Leitor, não esqueça de visitar o canal do XadrezVerbal no Youtube e se inscrever.

Caso tenha gostado, que tal compartilhar o link ou seguir o blog?

Acompanhe o blog no Twitter ou assine as atualizações por email do blog, na barra lateral direita (sem spam!)

E veja esse importante aviso sobre as redes sociais.

Caros leitores, a participação de vocês é muito importante na nova empreitada: Xadrez Verbal Cursos, deem uma olhada na página.

57 Comentários

  • Manda um oi pra mim, já conheço trabalho há anos e gosto muito do jeito que falam sobre os acontecimentos internacionais.

    Sou estudante de geografia, na ufmg e pretendo me especializar em GeoPolítica!!

  • Mais um programa genial. Vocês são a minha diversão durante o final de semana. Hoje, junto com o Pod Save the World, são os o meu podcast favorito.

    Queria deixar uma dica aos ouvintes. A excelente série do Netflix, Black Earth Rising. O programa fala sobre o genocídio que aconteceu em Ruanda e a participação covarde do governo francês apoiando o governo dos Hutus durante a guerra civil.

    E queria deixar um beijo para minha linda esposa Alexandra que é a mulher mais inteligente que eu já conheci.

    Abraço e sigam o bom trabalho.

  • Olá
    Moro em Londres e estou acompanhando de perto o que está acontecendo aqui em relação ao Brexit.
    O Reino Unido quer usar uma tecnologia ainda não desenvolvida para evitar um hard border e barreiras alfandegárias entre a Irlanda e a Irlanda do Norte.
    O deal da Teresa May diz que se uma solução não for encontrada para a fronteira das Irlandas até o final do período transitório em dezembro de 2020 (que também é parte do acordo), o Reino Unido inteiro tem que se manter no mercado comum europeu e não pode assinar novos acordos comerciais com outros países. Além disso, a União Europeia também deve aprovar a solução encontrada fazendo com que o Reino Unido não possa sair unilateralmente do mercado comum.
    Depois da votação das emendas o Boris Johnson, que é um dos principais brexiteeers, disse em entrevista à BBC que se caso a Teresa May consiga negociar que a decisão possa ser unilateral ela teria grande suporte do parlamento e do partido conservador.
    Acho importante mencionar esse ponto como um dos principais impecilhos do acordo e que fez o segundo secretário do Brexit, Dominic Raab, renunciar.

  • Mais uma vez, parabéns pela qualidade do programa. Eu e meu primo Thiago Antunes, somos de Guarulhos/SP e sempre acompanhamos os podcasts dando risadas sobre as opiniões de vocês sobre o curso de História. Ele está indeciso entre esse último e Relações Internacionais, o que vocês sugerem? Continuem esse excelente trabalho e espero que a cada dia vocês tenham mais seguidores e reconhecimento. Valeu!

  • Não sei se o Filipe falou sério sobre os Dentuços mas, realmente há um grupo taxonômico chamado Glires, que engloba roedores e lagomorfos. O grupo se diferencia, principalmente, pela presença de dentes incisivos grandes e continuamente crescente. Os roedores com um par e os lagomorfos com dois pares.
    Resumindo, o grupo Dentuços procede.

  • Acabei de comentar com a minha amiga filipina (que mora em Manila) o que ela sabia sobre o plebiscito e o ataque terrorista do Daesh no Sul do país e ela se surpreendeu sobre a segunda noticia! Ela se safa dizendo que é um lugar bem distante de onde ela mora e que o país é extremamente fragmentado (tanto fisicamente como em aspectos culturais).

  • Claiton Santos. 34 anos. Carteiro Ciclista. Jaraguá do Sul. Santa Catarina.
    Ouço alguns PodCasts, desde o NerdCast, passando pelos AntiCast, Projeto Humanos, SciCast, Revolushow, Fronteiras no Tempo, Chutando a Escada, Mamilos, até o Fronteiras Invisíveis do Futebol e o Xadrez Verbal.
    Pedalando uma bicicleta por algumas horas ao dia, sem conversar com as pessoas, apenas com o fone de ouvido, fico inteirado do que está acontecendo no Brasil e no mundo, desde ciência, passando por miscelâneas, até a Conjuntura Internacional, política, econômica e sociedade.
    Devo dizer que o tom ‘isentão’ do Xadrez Verbal me incomoda às vezes. Mas ao conversar com alguns amigos jornalistas percebi que a isenção é necessária nesse meio. Gostaria de ouvir de vocês a justificativa que lhes apetece.
    Quanto às especificidades técnicas, dado que vocês gravam em estúdio, devo dizer que é necessário aumentar o volume da voz de vocês, uma vez que os sons das vinhetas corre em volume maior.
    A coluna da professora Vivian Ameida são ótimos, apesar de eu ter problemas com o sotaque dela, e de certa forma com a visão neoliberal de alguns temas que ela apresenta. Mas de maneira alguma conseguiria desqualifica-la, nem é esse meu objetivo. Mulheres como ela, que fazem o universo PodCastal mais inteligente são a esperança de que um futuro melhor nos é reservado.
    Felipe Nobre Figueiredo é foda.
    Matias Pinto é demais.

    Por programas de 24 horas diários.

    PS: Estou na direção do sindicato dos trabalhadores dos Correios de Santa Catarina. Há tempos venho trabalhando em pautas sindicais para um possível PodCast Sindical, mas é difícil organizar a agenda da galera que tem interesse, e é difícil achar aqueles e aquelas que têm interesse.

  • Biscoitinho Internacional

    Primeiramente um cheiro no cangote de vocês e parabéns pelo programa ❤ gostaria que me dessem dicas de estudo para política internacional e atualidades, pois na minha visão os senhoritos são muito bons nisso, abraço ^^

  • Adorei principalmente o bloco sobre a Venezuela, pois é muito difícil encontrar fontes que realizem uma análise de cunho teórico realista. De resto foi um programa excelente que me acompanhou nos meus estudos semanais de Farsi. Um abraço!

  • Quero agradecer vocês por me acompanharem nos afazeres domésticos e também nas ilustrações que faço!
    Sou de Juiz de fora essa cidade um tanto “badalada” (se é que vocês me entendem). E se é possível dar uma recomendação, recomendo conhecerem a ativista, escritora, política Ayaan Hirsi Ali, que conheci pelo o livro Infiel onde conta sua história saindo da Somalia até o momento que foi eleita membro da Câmara dos Representantes na Holanda!
    História incrível, super complexa ainda mais pela a questão do islã envolvido na história!
    O boy que me apresentou essa mulher incrível e depois disso sigo a missão de passar essa história pra frente!

  • Olá, Filipe e Matias. Gostaria de agradecer e parabenizar pelo trabalho de vocês. Sou um grande fã.

    Além disso, queria fazer uma humilde contribuição. La Bamba, que vocês disseram ser uma obra de autoria de Ritchie Valens, na realidade é uma música folclórica tradicional do estado de Veracruz, México, de autor desconhecido. A música original é do estilo Son Jarocho. Essa música é conhecida como um hino da cidade de Veracruz (cujo time, los tiburones rojos de Veracruz, tem como camisa 9 o “grande” Kazim Richards.

    Aproveitando o ensejo, queria comentar um causo muito curioso do futebol mexicano (acabou que eu não comentei no Fronteiras Invisíveis sobre o México). No México é proibido que um time tenha o nome da empresa que o controla. Para driblar esse impedimento (com perdão do trocadilho) o Cruz Azul usou sua influência política para MUDAR O NOME DE UMA CIDADE. Isso mesmo. Existe uma cidade no estado de Hidalgo que se chama Ciudad Cooperativa Cruz Azul. É surreal. Assim, o Cruz Azul tem esse nome por causa da cidade e não por causa da empresa.

    Se possível, mandem um abraço para meus grandes amigos Daniel Quintal e André Izidro que escutam vocês semanalmente. Moro no México, em Guadalajara, torço pelo Pumas e admiro muito o trabalho de vocês. Forte abraço.

  • Mais uma vez uma ótima música de encerramento. Melhor que essa só a paródia do Weird Al Yankovic chamada “The Saga Begins” onde ele canta todo o episódio 1 de Guerra nas Estrelas (sou desse tempo) usando essa música: https://www.youtube.com/watch?v=hEcjgJSqSRU

    • David Onezio Moraes

      Cara vlw, estava tentando lembrar de onde eu tinha ouvido essa musica, realmente esse cara é muito bom nas paródias, uso Amish Paradise como toque até hoje hahahah.

  • Só gostaria de registrar que é um escândalo você citar Ben&Jerry’s de cookie ao invés do de amendoim….vocês simplesmente perderam o direito de pedir paçoca!

  • Quanto a “Por quê alguém tatuaria a cara do Nixon nas costas?”, quem deu a melhor resposta foi o Colbert. Eh a arma mais genial contra estupro na prisão que existe. Quem seria capaz de manter uma ereção olhando pra cara do Nixon? 😀

  • Como não possuímos uma padronização elétrica a nível nacional (muito menos de bitola de ferrovia), o padrão brasileiro é veio uma norma internacional proposta pela comissão eletrotécnica internacional em 1986 (IEC 60906-1| 16A; 250V), que foi designada para ser “o padrão internacional”, que entretanto só a África do Sul e o Brasil adotaram (com adaptações pela NBR14136 à nossa realidade voltaica).

    Nota: O plugue Suíço possui o terceiro pino mais desalinhado ainda.

  • Olá Filipe e Matias. Ótimo ep, pra variar.
    A título de informação, sobre a El Al Airlines (a empresa aérea de Israel que transportou as tropas israelenses para ajudar na questão de Brumadinho), ela é a única empresa aérea comercial do mundo na qual toda sua frota (47 aeronaves) é equipada com sistema anti mísseis, desde o início dos anos 2000, em outras palavras, os aviões estão aptos à “se defenderem sozinhos”. A maior parte dos tripulantes da El Al são de ex militares da força aérea local. Além disso há rígidas ações de segurança nos aeroportos fora de Israel, incluindo agentes de segurança próprios, há também automóveis que seguem a aeronave até sua decolagem e as recebem quando elas pousam. E por último, há sempre agentes a paisana portando armas de fogo à bordo das aeronaves. O governo israelense paga 97,5% dos gastos da empresa em segurança.
    Só à título de curiosidade, a Sara Netanyahu, esposa do homem, é ex comissária de bordo da empresa.

  • Joéverson Domingues Evangelista

    Saudações, camaradas!
    Só passando pra agradecer que as madrugadas no finais de semana no plantão do hospital (no setor administrativo e CHEIO DA MAIS ARDILOSA BURROCRACIA) agora são bem mais carregadas de informação de qualidade – falo com tranquilidade. Ah! e manda um salve pros colegas do administrativo do Hospital do Vale do Rio Pardo Gregory e Felipe (erroneamente com a letra e…) que também ouvem para se manterem informados e afiados nesse mundo louco!
    Forte abraço!

  • Marcos Henrique Martins

    Sou fã do Xadrez Verbal, do Matias e do Filipe. Meu nome é Marcos Henrique, sou médico oftalmologista na cidade de Jaraguá do Sul. Curto muito escutar o programa enquanto pedalo pelas ruas da cidade com minha bike elétrica. Apesar da profissão de médico, tenho muito interesse por história e geopolítica, inclusive meus livros já não estão cabendo na minha pequena biblioteca. Tenho um questionamento interessante para a professora Vivian Almeida: “vou ser papai em maio de 2019 e já sinto o peso financeira de constituir família. As contas são baratas quando se vive sozinho e ainda mais baratas no casamento, mas se a sociedade se perpetua na família com filhos porque não estou vendo discussões à respeito de uma maior isenção fiscal para essa situação. Forte abraço a todos !
    PS – talvez o nome do bebê seja Filipe. (Não sei se com “e” ou com “i”) kkkkk

  • Pedro Vannucchi Trindade

    Olá, sou psicanalista e acompanho o canal há mais ou menos 6 meses.
    Gostaria de elogiá-los pelo conteúdo diversificado e aprofundado, além da boa mistura entre descontração e seriedade.
    Conhecendo as dificuldades dos trabalhos coletivos, faço uma comparação com o futebol (também acompanho o Fronteiras Invisíveis): cada um joga muito bem em sua posição no programa. Que time!

    Um abraço

  • Mais um programa informativo essa semana.

    Vocês comentaram sobre a “pirataria” dos Kalashnikov (se entendi bem qual era a questão), imagino que estavam falando sobre a produção de AK-47 (Avtomat Kalashnikova – 47, fuzil automático Kalashnikov, modelo de 1947.

    O histórico da AK-47 é bastante “controverso”, já que a própria arma foi criada durante a URSS que, a grosso modo, não reconhece “propriedades intelectuais” (era considerada “propriedade do povo”), o criador da arma nunca recebeu um centavo por ela, apesar de ser uma das armas mais utilizadas no mundo.
    A própria arma é uma quimera de diversos outros projetos (incluindo vários protótipos de armas alemãs tomadas durante a segunda guerra), e o governo soviético incentivada “fazer vista grossa” sobre a propriedade intelectual, então é meio controverso fala sobre o que é ou não cópia de uma Kalashnikov.

    Sobre a politização de Brumadinho, acho que essa charge do Latuff sobre o assunto resume perfeitamente o que quiseram dizer sobre como vários grupos tentaram se aproveitar da tragédia por interesses politicos próprios:

  • andregzzll@hotmail.com

    Vim aqui deixar meu total repúdio à menção do Viggo Mortensen, inclusive outros trabalhos sem citar o nome real dele que é Aragorn, filho de Arathorn Herdeiro de Isildur. AKA Passolargo.
    Fora isso, parabéns pelo trabalho sensacional!
    André, Belo Horizonte

  • Acho muito bom quando o Matias avisa pra gente baixar o volume pq vai ter breaking news, mas não adianta muito quando ele faz esse aviso gritando. =D

  • Uma dica de série boa e “light” para entender como eram os conflitos e as marcas que ficaram na Irlanda do Norte é a série chamada derry girls, são só 6 episódios! Para algo mais sério tem a série de documentários da vice que chama European capital of terrorism no YouTube!

  • Pessoal, minha noiva está tretando com vocês com certa frequência, diz que eu tô demorando no banheiro por causa de vocês, não tô organizando as coisas por causa de vocês, tô deixando de ligar o som quando dirijo pra escutar vocês. Mandem um abraço pra ela: Mayara Myrtes – pretendo amenizar essa opinião dela.

  • Primeiramente, parabenizo vocês pelo excelente episodio da semana, e quero fazer-lhes algumas perguntas: O que de fato o Reino Unido ganha com Brexit, levando em consideração, todas as limitações impostas pela a EU?. Existirá ganhos econômicos que valham a pena tanto esforço assim? Abraços e é isso.

  • Comecei a ouvir o podcast hoje é curti muito!
    Eu moro nos EUA e moro dentro do campus da faculdade então muitas vezes fico desatualizada do que está acontecendo no mundo, então resolvi procurar alguns podcasts pra ouvir e vi um post do BuzzFeed falando de vocês.
    Achei super legal a dinâmica e agora vai fazer parte da minha rotina pra me atualizar do que tá acontecendo no mundo.

  • Finalmente atendi às súplicas do meu namorado Guilherme pra ouvir o programa, e agora estou viciada em podcasts. Parabéns pelo excelente trabalho, Matias e Filipe.

  • Saudades do menino Neymar, e valeu pelas recomendações filmográficas.

  • Oi meninos. Me chamo Mateus e algumas edições atrás vocês fizeram alguns comentários sobre um ou mais ouvintes na Chéquia. Possivelmente era eu ouvindo vocês enquanto fazia um mochilão de viagem e trabalho pela Europa. Além do país da melhor e mais barata cerveja do mundo, passei pela Itália, Alemanha, Bélgica e Países Baixos e em todos eu usava os conhecimentos adquiridos com vocês para interagir com outros voluntários.
    Se destacaram as conversas com italianos sobre o Salvini, com alemães sobre os refugiados, a separação belga entre os falantes de Flamingo e Francês, o bairro judeu de Antuérpia onde se concentra o comércio de diamantes mundial e com Israelenses, entre outras histórias.
    Fiquei muito amigo de uma menina que estava viajando após prestar o serviço obrigatório de dois anos em Israel e de um casal de israelenses, ele árabe e ela judia. Ouvi histórias incríveis de todos eles e pude fazer diversos questionamentos graças a vocês. Foi interessante ver pontos de vistas diversos sobre o conflito Israel-Palestina, sobre muito preconceito com árabes na sociedade e o relato de Mihal sobre colegas de aula dela no Front. Pai de Mihal inclusive cresceu em um kibbut, local que não sabia o que era antes de falar com ela, mas sabia da influência socialista na criação do estado de Israel, com o auxílio do Xadrez Verbal e do Fronteiras.
    Sou de Pinhalzinho-SC e curso Engenharia Química na estadual de SC.

  • Semião Emanuell da Silva

    Olá senhores. Parabéns pelo canal. Conheci durante fala do Filipe no CONACD e, desde então, ouço semanalmente e ainda os antigos podcasts.
    Filipe, o Brasil poderia entrar na mira de grupos terroristas caso transfira a embaixada de Israel?
    Abraço.

  • Oh mocada! Manda um alo pra o Thiago potiguar e o Gerson Catarinense. Somos estudantes na Alemanha e apesar de algumas opinioes distintas sempre escutamos e privilegiamos o Xadrez juntos! Obrigado por compartilhar bons momentos e conhecimentos.

  • Um abraço fraterno de identificação pro não-simpático, fechado e desagradável Filipe, que é o meu preferido do Podcast.
    Estou cursando Sociais na UFMG, mas não tenho nenhum amigo lá pra mandar um abraço.
    Por outro lado, gostaria que mandassem um salve pros Antifas da Unila, em Foz do Iguaçu, e pra minha namorada Natália, futura antropóloga, que está a um empurrãozinho de se tornar mais uma ouvinte do podcast.

    No mais, um abraço e parabéns pelo trabalho. Cês são fodas.

  • Mandem um abraço pro meu irmão Enzo! Vestibulando que tá adorando ouvir o Xadrez Verbal… ainda convenço ele a ver pro lado bom da coisa e fazer RI que nem eu!!

    Abraços

  • Parabéns pelo programa, conheci o programa no hiato de natal e ano novo, mas viciei e escuto vocês durante o trabalho. Gosto muito do fronteiras também. Moro no Japão a quase dois anos e gosto muito de geopolítica e gosto de estar bem antenado com as notícias do mundo, estando no Japão sem acesso a televisão e dependendo somente de manchetes tendenciosas do Facebook, fica difícil me manter atualizado e o programa de vocês certamente me ajuda muito. Posso pedir um abraço? Para a minha namorada Madeleyne, ela é Peruana e eu apresentei o programa para ela e ela sempre se interessa pelos blocos com notícias Latino Americanas. Um forte abraço para vocês e continuem sempre fazendo esse excelente trabalho.

  • Olá Matias e Filipe.

    Sobre a Internacional Socialista,apenas para complementar o que vcs falaram sobre a enorme fragmentação desde o XIX, esta a qual o Guaidó é membro foi formada em 1951 e, como o nome diz e vocês mencionaram, se coloca como continuadora das anteriores.

    Porém é complicado afirmar que de fato seja, pois em meu entender, a última internacional que possuía alguma linearidade com a primeira, foi a terceira, fundada por Lenin. Sendo generoso, podemos estender para a quarta, formada por Trotsky.

    A partir daí, o que temos são infinitas organizações buscando a legitimidade de autêntica continuadora das predecessoras históricas, mas, ou sem relevância, ou sem coesão ideológica para tal.

    Na própria Venezuela, são 4 partidos que estão vinculados a esta Internacional de 1951, sendo 2 deles parte da MUD, a tradicional oposição ao chavismo, que é dominada pela direita venezuelana.

    Por isso mesmo, não acho que as pessoas devam se surpreender com o reconhecimento do Guaidó por essa entidade, que hoje em dia, apesar do nome, tem pouca relevância para a esquerda socialista(isto é, se entendermos socialismo como anticapitalismo e não como social democracia ou social liberalismo).

    É um organismo bastante amplo, porém também bastante solto, com boa vontade, alguns grupos ali podem ser encaixados na social democracia, outros eu chamaria de direita mesmo, vide a participação dentro da MUD e a forma como fizeram oposição ao chavismo.

    Daí não é exatamente surpreendente vê-los reconhecendo o Juan Guaidó enquanto presidente. O nome causa essa confusão, mas está dentro da logica da trajetória do movimento, sobretudo dentro da Venezuela.

    Abração a todos aí, até a próxima

  • Olá, caros amantes da História.
    Sou formado em História e no momento fazendo Mestrado em Ensino de Humanidades no Instituto Federal do Espírito Santo, adoro ouvir o Xadrez Verbal enquanto lavo a louça ou jogo GTA V. Continuem com o excelente trabalho e fica registrada a promessa de que assim que eu conseguir voltar ao mercado de trabalho como professor, vou apadrinhar o Xadrez Verbal.

  • Eu tive a oportunidade morar na República da Irlanda 2015-2016 e bem na época que saiu a notícia do Brexit visitei Belfast (Irlanda do Norte).
    Lá existem divisões claras dos dois lados, eu vi por exemplo, casas que em seus jardins tinham mastro com bandeiras da Irlanda do Norte ou Reino Unido, para mostrar a qual lado apoiava.
    Além disso até hoje existem bairros vizinhos, mas de lados distintos, que só se é possível trânsito de pessoas durante o dia, a noite portões se fecham para evitar confusões.

  • Olá, Parabéns pelo programa o/
    se possível, poderiam aumentar o volume da voz de vocês, está cada vez mais baixa, e a musica da academia esta ganhando fácil do podcast no ultimo volume.

    Vlw, e continuem o bom trabalho (tirando o volume :D)

  • Sempre com a melhor cobertura sobre o Brexit. Fiquei muito orgulhosa ao ver um ex professor do Filipe recomendando o Xadrez Verbal em uma live do Descomplica ( é um cursinho online)

  • No último programa, por causa da batalha do Diu (anunciada com uma entonação perfeita da já famosa voz de Maria Pinto) me causou uns 5 minutos de explicações à minha esposa.
    Então, minha esposa é de Hong Kong (não diga China ou ela vai ficar nervosa) e ela fala Cantonês.
    Ao ouvir o último programa na cozinha, enquanto lavava as louças da janta, o Matias anuncia a efermede e por coincidência a pronúncia Diu (exatamente como o Matias disse no programa) em cantonês é um palavrão.
    Daí expliquei para ela e mostrei o link em inglês provando que existe a tal batalha.

  • Olá, Matias e Filipe! Conheci o Xadrez Verbal há 4 meses, pelo meu irmão, Felipe, que os ouve de bicicleta, a caminho do trabalho. Desde então tenho ouvido toda semana e aprendido um bocado com vocês. Recentemente, eu e meu marido (José) fomos ao Uruguai e tivemos a grata oportunidade de conhecer Pepe Mujica. Agora José tem viagem marcada para a Venezuela, onde pretende fazer uma análise do que tem acontecido por lá com os próprios olhos. Eu, que não tive coragem de acompanhá-lo, estou bem assustada. Me ajudem a fazê-lo desistir de ir! E mandem um beijo no hamato esquerdo do meu irmão Felipe. Bjo grande e bom fim de semana!

  • Qual o nome do diplomata? Ou do livro que o Filipe comentou aos 2:26? Que discute se a identidade brasileira se identifica mais com a América ou com a Europa

  • Qual o nome do diplomata? Ou do livro que o Filipe comentou aos 2:26? Que discute se a identidade brasileira se identifica mais com a América ou com a Europa.
    Obrigado!

  • Vocês poderiam, no próximo episódio, tecer comentários sobre “A Caixa Preta do BNDES”, aquela narrativa sensacionalista que o Governo atual está relatando. Explicitar como funciona esse mecanismo internacional e desmistificar ou confirmar os pontos, por exemplo, a baixa taxa de juros – que, ao meu ver, pode ser até a justificativa do novo Ministro da Economia querer extinguir o projeto, visto a relação do Paulo Guedes com bancos, porém vocês são mais qualificados que eu para “achar” -, os prazos gigantes, etc. Seria um imperialismo brasileiro? Seria mais um caso do Odebrechtquistão? Seria um financiamento de países com ditaduras comunistas? Ou seria incompetência mesmo?

  • Eu pensei que o nome mais comprido de lugar era esse Taumatawhakatangihangakoauauotamateapokaiwhenuakitanatahu, que fica na Nova Zelândia.

  • Se lembram do namorado da batatinha? kkkkkkkkk. Acho que tava muito emocionado por seu meu primeiro comentário XD. O nome dela é Gabriela Ribeiro, vulgo batatinha porque é de Marechal Hermes, terra da famosa batata de marechal.

    https://www.google.com/search?q=batata+de+marechal&source=lnms&tbm=isch&sa=X&ved=0ahUKEwipnc357qngAhVqHLkGHWmiB_sQ_AUIDygC&biw=1280&bih=689#imgrc=84_vGUQ19kSv5M:

    Todos que a conhecem através de mim chama de batatinha porque raramente chamo ela pelo nome kk.
    Acabei não falando também que somos do Rio de Janeiro, eu sou biólogo e mestrando pela Fiocruz, e ela professora e graduanda em letras pela UFRJ.
    E deixo aqui o pedido pra que o Matias não avise pra abaixar o volume porque lá vem BREAKING NEWS! Sinto saudades das surpresas e sustos que tomava antes.
    Abração pra vocês!

  • Oi!
    Estou na metade do episódio e tive que parar para comentar.
    Jogo no Itajaí Sailors, time de baseball de Santa Catarina – 3º lugar na liga catarinense de 2018.
    Estamos precisando de jogadores de qualquer tipo, iniciantes, experientes, jovens…
    Agradeço se puderem anunciar =)
    (interessados podem falar direto no nosso facebook – treinamos todos os domingos)

  • Olá Filipe e Matias, ótimo programa como sempre.

    Me chamou a atenção a notícia sobre os Love Commandos, pois conheci-os numa série disponível Naquele-Serviço-de-Streaming denominada “Amor e Sexo pelo Mundo”, apresentada pela Christiane Amanpour, onde ela apresenta como os relacionamentos interpessoais são entendidos em cada país, focando principalmente na problemática feminina. Há um episódio sobre a Índia e nela é apresentada a iniciativa do Love Commandos com uma entrevista com o Sanjoy Sachdev, que dentro da realidade indiana é corajosa, porém possui métodos controversos.

    Acho uma série tanto tendenciosa, pois mede todos os países pela régua do ideal ocidental liberal, mas mesmo assim é interessante para conhecermos aspectos obscuros de outros países, tanto europeus quanto asiáticos ou africanos.

  • Boa noite, Filipe e Matias.

    Aqui quem fala é Renato Ribalta de Recife. Olha só, ontem, quinta-feira (7/2), ocorreu a final do 85o Campeonato Brasileiro de Xadrez Absoluto. O campeão foi Mestre Internacional Roberto Molina, natural de MG. Na final, Molina venceu, no desempate, o Grande Mestre paulista Krikor Mekhitarian. A final ocorreu em Natal, RN.

    Abraços e ótimo programa!

  • Só estou deixando uma notícia de sugestão pro programa.

    Vocês são ótimos, valeu!

    https://exame.abril.com.br/estilo-de-vida/indiano-vai-processar-os-pais-por-ter-nascido-sem-ser-consultado/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.