Xadrez Verbal Podcast #160 – Macedônia, América Latina e 73ª AGNU

Mais uma edição de número redondo da sua revista semanal de política internacional em formato podcastal chegando no seu feed! Matias Pinto e Filipe Figueiredo vão até Haia, nos Países Baixos, para falar da decisão da corte em relação ao Chile e a Bolívia, que deseja negociar uma saída oceânica. Aproveitamos e giramos pela América Latina, com mais um peronismo na Argentina (é o 4462º), Fujimori sem indulto e o novo NAFTA, que não se chamará NAFTA, mas USMCA, ao som de Village People.

Passamos pelos discursos mais recentes da 73ª AGNU, falando de Kosovo, da Rússia, da China e da península coreana. Finalmente, vamos até a Europa, com o fim, ou não, da disputa sobre o nome da Macedônia, além de notícias que vão desde o Brexit até a potencial dona da Excalibur sueca. Giramos pelo mundo, a semana na História, peões da semana e dicas culturais fecham mais um podcast do Xadrez Verbal!

Você nem sempre tem tempo, mas precisa entender o que acontece no Mundo, ainda mais porque o planeta está uma zona. Toda semana, Matias Pinto e Filipe Figueiredo trazem pra você as principais notícias da política internacional, com análises, críticas, convidados e espaço para debate. Toda sexta-feira você se atualiza e se informa.

Dicas do Sétimo Selo e links

Site da Editora Contexto

Livro O Memorial do Convento, de José Saramago

Filme A Teta Assustada

Exposição Clássico é Clássico e vice-versa

Música Ils sont tombes, de Charles Aznavour

Playlist das músicas de encerramento do Xadrez Verbal no Spotify

Minutagem dos blocos, cortesia dos financiadores do Xadrez Verbal

Minutagem #160
00:06:15 – Giro de notícias #1 00:24:09 – Coluna aberta: Nações Unidas Segunda Parte
01:00:27 – Efemérides 01:07:43 – Match: Macedônia 01:56:02 – Xeque: América Latina
02:33:27 – Giro de notícias #21 02:52:32 – Peões da semana 02:55:34 – Sétimo selo
03:02:04 – Encerramento musical (Charles Aznavour)

Ouça o podcast aqui ou baixe o programa. (clique com o botão direito do mouse e use a opção “Salvar como” para baixar)

Você também pode assinar o podcast via RSS ou no iTunes, além, é claro, de acompanhar o blog.

A revista de política internacional do Xadrez Verbal é feita na Central 3, que está no Apoia-se

Filipe Figueiredo é tradutor, estudante, leciona e (ir)responsável pelo Xadrez Verbal. Graduado em História pela Universidade de São Paulo, sem a pretensão de se rotular como historiador. Interessado em política, atualidades, esportes, comida, música e Batman.
Como sempre, comentários são bem vindos. Leitor, não esqueça de visitar o canal do XadrezVerbal no Youtube e se inscrever.

Caso tenha gostado, que tal compartilhar o link ou seguir o blog?

Acompanhe o blog no Twitter ou assine as atualizações por email do blog, na barra lateral direita (sem spam!)

E veja esse importante aviso sobre as redes sociais.

Caros leitores, a participação de vocês é muito importante na nova empreitada: Xadrez Verbal Cursos, deem uma olhada na página.

Anúncios

40 Comentários

  • Salve, Filipe e Matias, deixo aqui a sugestão de mesmo que não ocorra o encontro com a partida EUIV, que haja no canal no YT uma gameplay feita pelo Filipe ensinando o Matias a jogar, seria no minimo interessante kkkkk. Abraços

  • Mais um ótimo programa. Os episódios do Youtube ficaram ótimos. Como eu sou um fanboy da plataforma, dou uma sugestão: vocês poderiam também fazer programas com imagem de vocês junto com o áudio e subir para o YT. Ficaria show! Abraços de Jaú/SP.

  • Cara, tenho que confessar que, apesar de saber das rivalidades e das tensões entre o Japão e os países que foram colônias na época do Império Japonês, fiquei surpreso com esse revisionismo histórico no Japão.
    Ah, e por falar em Khuzistão e espírito de 5° série, finalmente entendi o porquê as velhinhas ficavam rindo quando eu falava do “Butão” e outros países quando criança.

  • Lucas Mendes Costa

    Olá Filipe e Matias, me chamo Lucas, moro em Uberaba-MG, sou estudante de Direito e professor de Geografia. Sou da turma que joga Civilization enquanto ouve o xadrez verbal. Tenho uma dúvida, nesse programa o Filipe afirmou que a India pode sofrer sanções dos EUA por ter adquirido o sistema S400 russo, bem como já ocorreu com Turquia e China. Qual a base legal os EUA utilizam para impor sanções a paises que compram armamentos russos? Acho muito estranho que os EUA proibão outros países de comprarem livremente armamentos de seus rivais. Um abraço!

  • Olá, Filipe. Ao falar que o doce de leite uruguaio é melhor que o mineiro, o senhor claramente desconhece o doce de leite de Viçosa.

    Sem bairrismo, que fique claro.

  • Sorte do Phelipi que penis não tem osso.

  • Salve Matias e Filipe, primeiramente gostaria de deixar mais claro que o Matias é mais legal que o Filipe, essa admiração pela américa latina deixa o Matias mais interessante….ahhaha brincadeira.

    Estou morando nos balcãs há quase um ano, fiquei no Kosovo e na Albânia durante alguns meses, conversando com Kosovares é impressionante o ódio que eles tem pela sérvia, todos que conversei demonstraram isso, Kosovo e Albânia são o mesmo paises culturalmente, a lingua é um fator primordial pra isso, sem contar as comidas e os costumes, não me surpreenderia uma fusão entre ambos os países.

    Também vivi na Macedônia, a raiz eslava é bem forte por lá, a lingua mais uma vez é algo bem importante pra essa relação

    Manda um salve ai pra mim, to tentando fazer a cabeça da minha namorada pra ouvir vocês mas está dificil.

  • Sobre a espada que o Filipe quer guardar: vai estar mais seguro na sua casa que se entregar pra uma autoridade estudar e colocar em um museu

  • Saudações alviverdes a nosso grande amigo Matias! Agradeço novamente a companhia nas minhas idas e vindas entre Campinas e Jundiaí, torna o caminho muito mais agradável e me mantém informado, abraços!

  • Salve Filipe e Matias!

    Temos vários escritores em língua portuguesa que mereceriam o Nobel de Literatura. Do Brasil eu indicaria Rachel de Queiroz, Milton Hatoum, Cristovão Tezza e -meu favorito – Raduan Nassar.

    Portugal tem o Valter Hugo Mãe, que parece já ter sido sondado em edições passadas.

    Mas para mim, quem mais mereceria esse prêmio é o moçambicano Mia Couto!

  • Alexandre Malinoski

    Boa tarde. Excelente programa, como sempre. Tenho 3 dúvidas.
    – Qual a música que toca no 7° selo?
    – Como faço para enviar um mimo a vocês
    – E oq aconteceu com o tenista alemão?
    Abraço e sucesso!!!

  • Um abraço Filipe e Matias, sou ouvinte desde o programa numero 8 e um amante do fronteiras invisíveis, quando cheguei aqui isso aqui era só mato e nem existia o apoia.se, muito menos o padrim hahahaha Não sou de escrever comentários, sendo que escrevi um no primeiro ano que foi lido, só queria parabenizar por mais um programa excelente. E como é tradição falar o que faz enquanto escuta o programa e gostaria de dizer que provavelmente sou o que faz a coisa mais exótica, disseco microvasos do intestino de ratos, não por hobby mas porque faz parte de um projeto que colaboro no meu mestrado.

  • AQUILA BARROS NOGUEIRA

    Ainda não terminei de ouvir o podcast, mas a fala sobre o Nobel de Literatura mexe comigo desde que estudei com o Júlio na FFLCH.
    Perguntaram sobre nomes de literatura em língua portuguesa, e temos o Lobo Antunes e o Mia Couto que são cogitados há um tempo. No Brasil talvez poderia tentar o Milton Hatoum. Mas quem eu espero mesmo que surfe na onda de popularidade de séries de suas obras é a fantástica Margareth Atwood.

    É isso aí, o Filipe me falou do podcast há muito tempo e eu, que não conhecia a mídia, meio que deixei pra depois. Acabei conhecendo o NerdCast, lá achei o Filipe, fiquei curioso e passei a ouvir o programa há uns dois meses. Logo devo começar a ouvir o Fronteiras Invisíveis.

    Abraços

  • Salve salve, Filipe e Matias!
    Meu nome é Miguel, eu moro em São Paulo e provavelmente sou o único ouvinte nascido em Santos Dumont, MG, (a cidade onde nasceu Alberto Santos Dumont).

    Agradeço pela presença semanal de vocês que sempre ajuda a fingir que a estação Sé não está lotada as 8h na segunda!

    Se der, queria mandar um salve pro meu amigo Fábio, que me viciou no podcast e depois me abandonou, me deixando sem ter com quem comentar os programas. Por culpa dele vou ter que viciar mais alguém!

    Abraços!

  • Oi Matias e Filipe, depois que as urnas foram abertas nesta república (tenho mimhas dúvidas), não paro de pensar no “xadrez verbal” da República Gloriosa de Vanuatu, comentando as nossas eleições… Não sei nem como definir, tamanha é a tristeza.

  • Comecei a escutar o Xadrez Verbal há uns meses, e virou, de longe, o meu Podcast favorito!! As colunas do Felipe são sempre excelentes. Gosto muito de escutar, também, durante minhas longas jogatinas de Company of Heroes 2. Um abraço!!! Rafael;

  • Olá Filipe e Matias! Meu nome é Akemi, tenho 25 anos, sou da regiao da Vila Sônia -SP, e funcionária do Banco do Brasil (cinco anos já rsrsrsrs). Sou formada em RI e trabalho no setor de câmbio financeiro do banco há dois anos. Não lembro se é o Matias que não considera as competições de jogos como League of Legends um esporte, mas a partir desse mês o BB passa a ser um dos patrocinadores oficiais dos e-sports, começando por patrocinar a feira Brasil Game Show, que acontece entre os dias 10 e 14/10 aqui em sp.
    Gostei muito do episódio sobre o Museu Nacional e do texto na Gazeta do Povo. Aceito dicas de leituras sobre artes e política internacional rsrsrsrs é um tema que me interessa muito.
    Adoro o Fronteiras Invisíveis, é o podcast do meu coração! s2 Hahaha
    Mande um abraço para o casal de amigos que me apresentou o podcast, Marconne e Tati. Eles me tornaram ouvinte assídua e uma pessoa que espalha a palavra do Xadrez Verbal.
    Parabéns pelo trabalho e obrigada pela dedicação!!
    Bjs!! XOXO

  • Sobre cidades irmãs.
    Sou de Joinville, Santa Catarina e temos algumas cidades irmãs, porém uma delas é um caso legal. Onde Joinville é irmã de Joinville-le-Pont, na França. Explico

    As terras que hoje são a cidade, foram um dote de casamento, entre Francisco Fernando de Orléans, filho de Filipe I e Príncipe de Joinville, e Francisca de Bragança, filha de Dom Pedro I.

    Então, o território foi nomeado Colônia de Dona Francisca. Porém, com o casamento mudaram para Joinville, pra agradar o Príncipe. Só que a família real francesa tava meio ruim das pernas, exilada, e resolveu vender as terras para a Sociedade Colonizadora Hamburguesa, que eventualmente trouxe, primeiramente suíços e noruegueses, e depois os alemães.

    Então temos uma cidade no Brasil, com nome francês, colonizada, em sua maioria, por alemães. Cadê o Fronteiras sobre Santa Catarina hein?

    Esse rolo do Príncipe tem várias coisas bizarras. A cidade é conhecida como cidade dos príncipes, o cara nunca pisou aqui. Tem um casarão, que hoje é o Museu Nacional da Imigração, que contam a lenda que foi construído para a família Bragança e Orleans morarem, porém foi só pra administração que ele indicou aqui. Enfim, fica a historinha.

    Ótimo Programa como sempre. Parabéns pelo trabalho.

  • E ai Filipe e Matias, mais um programa bom de novo. Alguns pontos:

    – Trump e Kim-Jong Un: espero um filho deles daqui a 9 meses nessa relação;
    -Sobre a Efeméride de criação do Banco do Brasil, me lembrei de quando o hoje técnico do Palmeiras Luís Felipe Scolari disse que “quem não quer pressão, vai trabalhar no Banco do Brasil”. Isso enfureceu muitos bancários, até foi emitida uma nota da Associação dos Bancários dizendo das pressões de trabalhar no banco;
    – o Uruguai agora é o mais novo país falante de língua portuguesa pra fazer parte da CPLP? rsrsrsrsrs;
    – Prêmio Nobel seria o moçambicano Mia Couto?;
    – sobre o problema do nome Macedônia, tanto este país quanto a Grécia vão ter que ceder na questão do nome, às vezes eu penso que os povos do Bálcãs são turrões e não tem paciência pra diálogos mesmo, gostam de resolver tudo nas guerra e conflitos;

    – a Grécia pode ser considerada estar nos Bálcãs mesmo, pelas suas características sociais da população grega?

    Sugiro um programa especial sobre a situação das fronteiras brasileiras, do Oiapoque ao Rio Grande do Sul, passando pela cidade de Cáceres-MT, onde resido atualmente.

  • Acho que o índice de trocadilhos por minuto desta edição foi um dos maiores até agora.

  • Olá Filipe e Matias!
    Gostaria de deixar aqui a minha recomendação para o emocionante documentário “City of Joy”, na esteira do prêmio Nobel da Paz para os ativistas contra a violência sexual. O documentário estreou há pouquíssimo tempo “naquele serviço de streaming” e trata de um centro de apoio às mulheres que sofreram violência sexual na República Democrática do Congo, co-fundado pelo Dr. Denis Mukwege, um dos vencedores do Nobel.

  • Sempre tive dificuldades em acompanhar os programas devido ao formato longo, até ter a ideia de baixar o podcast para ouvir na viatura durante o patrulhamento.

    Ou seja, durante os momentos em que estou exercendo minha arbitrariedade fascista heterossexual caucasiana abordando os suspeitos na ruas de Foz de Iguaçu, estou os mantendo informados sobre a geopolítica internacional! XD

  • Salve Matias e Filipe!
    Sou ouvinte de você em Divinópolis – MG, estou passando o Xadrez para a “geral”, sobre o escritor em língua portuguesa hoje em dia para mim seria o Mia Couto.
    Um grande abraço para para vocês, vou começar a contribuir esse mês com o padrinho, vocês merecem pelo excelente trabalho.

  • Bom crepúsculo!!
    Como posso entrar no grupo do Telegram??
    Um forte abraço!

  • Harley Christian do Valle Silva

    Salve salve, Matias e Filipe,
    Consegui a cadeira de Teoria Geral do Estado no recém criado Curso de Direito da Faculdade de Nova Serrana no Centro-Oeste mineiro e pretendo recomendar aos meus alunos que acompanhem o xadrez verbal para notícias internacionais e uma melhor compreensão do panorama político no mundo.
    Um abraço e Parabéns pelo trabalho que sigo desde antes de virar modinha.

  • Opa! Ainda estou ouvindo o podcast… Mas já vou avisando que moro na cidade irmã de Třeboň (Rep. Checa)… O que não quer dizer muita coisa, pois nunca vi nada relativo a isso no dia a dia aqui.

    – a sabe: moro em Diamantina/MG
    – provavelmente a cidade tem essa irmandade por conta de um ilustre filho daqui: JK.

    Abraços

  • Saudações, meus caros!

    Sobre o Banco do Brasil e se existe (ou teria existido) um “Banco Brasileiro e Português”, Caio Prado Júnior, em seu “História Econômica do Brasil”, menciona a fundação, pós 1863, em Londres e com capitais ingleses, um banco com esse nome, e cuja finalidade era atuar no Brasil, fornecendo empréstimos devido à baixíssima disponibilidade de capital de giro comercial no país, e evidentemente, fazer especulação financeira aproveitando-se das fortes oscilações cambiais da moeda daquele período.

    Ou seja, se por um lado, o “Banco do Brasil” fundado no Brasil era português, por outro lado, o “Banco Brasileiro e Português” fundado na Inglaterra não era nem brasileiro, nem português. Podemos dizer, então, que o que tinham em comum era o “nobre” objetivo de levar do Brasil pra Europa o maior lucro possível.

  • Prezados Filipe e Matias,

    Com todo respeito também faço parte dos ouvintes que toleram vocês, escuto durante a semana seus longos podcast’s indo para o trabalho e depois a caminho da faculdade.

    Sem mais delongas gostaria de deixar aqui uma contribuição. No fim deste último podcast o Felipe nos informou que o programa dessa semana ” será gravado na quinta feira a noite pois sexta feira será feriado do dia das crianças” , porém, entretanto, todavia, 12 de outubro não é considerado feriado pela comemoração do dia das crianças mas, sim, por conta de uma celebração católica: a data presta homenagem à Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil.

    Obrigado por me tolerarem também,

    Abraços!

  • Filipe, você poderia comentar sobre a suposta participação do Steve Bannon na campanha do candidato Jair Bolsonaro. Vi até foto do Bannon com o filho Eduardo Bolsonaro.
    Valeu

  • Felipe e Matias, sou funcionário do BB e ouvinte assíduo do Xadrez Verbal. Geralmente ouço no percurso entre para o trabalho e para casa no som do carro. Levo uma caronista, a Andressa, que tolera vocês (algumas vezes tentou se jogar do carro em movimento, mas tudo bem… rsrsrs). Trabalho em Maringá – PR e moro em Ourizona (olha a quinta série…) O trabalho de vocês realmente é maravilhoso! O xadrez é uma ilha de informação e conhecimento no meio de um mar de desinformação. Parabéns! Aproveitando o ensejo: vcs já têm ourocap? (nesse mês tem prêmio de 1 milhão); seguro de vida? (vcs falam muito mal do Putin e do Erdogolun…) rsrsrs. Abração…

  • Salve Senhores, ói eu aqui de novo. rs
    O maior problema do acordo entre Santa Sé e Estado Chinês é que quando o regime foi estabelecido, fundando a Igreja Nacional, alguns bispos se recusaram a compactuar com o comunismo e se tornaram a Igreja Clandestina. Por anos a I. Clandestina foi perseguida, torturada e morta, agora eles se sentem traídos pelo Pontífice: “Como assim vai ter acordo com o governo que caçou e assassinou nossos pais e irmãos na fé?”

    Por outro lado, o acordo tem por objetivo exatamente acabar com as perseguições, além do retorno da comunhão entre I. Nacional e Roma. Ouvi histórias de católicos chineses que estão profundamente contrariados, pois sentem como se Francisco estivesse desprezando décadas de martírio dos que não renegaram a autoridade do Sucessor de Pedro e que este acordo acabará apagando esta história de luta e resistência.

    Fica cultural: Para quem está em São Paulo a Missão Católica Chinesa tem na rua Santa Justina, 290 – Vila Olimpia – a Paróquia Sagrada Família que tem missa em chinês todo Domingo às 10h, com seus lindos cantos. (missaocatolicachinesa.org.br)

    Abraço a todos.

  • O doce de leite mineiro é o melhor já feito pela raça humana. Acredito que seria inclusive uma das melhores oferendas que poderíamos dar aos alienígenas. O Brasil não explora os potenciais desse produto como deveria.

    Felipe, se você acha o contrário, é porque ainda não comeu o Doce de Leite Viçosa (jabá que merece inclusive letras maiúsculas). Os uruguaios não são nem competição!

    Fica aqui minha nota de repúdio.

    Grande abraço! Sou grande fã do seu e do Matias.

  • Bom dia Matias e Filipe!
    Esqueci de falar no comentário anterior, na onda do programa espacial Cubano, temos um sério problema com as transmissões da NFL, pois temos o BILAL Powell (NJ Jets) e tinhamos o Younghoe KOO (LA Charges), é um desafio assistir os jogos sem entrar no modo 5ª série, principalmente quando é o Rômulo Mendonça narrando.

  • Vocês falaram do BB, então segue mensagem do Presidente pra vcs:

    Sou Marcelo, o cara que levou presente pro Fagner na Central 3 dia destes.
    Conheci o Matias pessoalmente nesta data, aliás. Pena que ele ignore minhas mensagens no Facebook – o que só causa o efeito oposto.
    Quem manda ele ser essa simpatia toda?

    Bem, além de futuro internacionalista, mestrando, caipira e proprietário de uma Elba, sou também do BB. Trampo em SP, na area de Licitações.
    A propósito, o BB tem uma rede interna de podcasts. Pouca gente sabe disto, mas existe até um agregador próprio – a Rádio UniBB.

    Nada mal, pra um banco que teve DUAS REfundações…

    Se vocês lerem minha mensagem no ar, aliás, estou procurando funcionários do BB que se interessem por podcasts.
    Quem é do BB e quiser conversar, me procure lá no Humanograma!
    (é assim mesmo que escrevemos “Humanograma” – e falamos. Quem é BB, entenderá)

    Um abraço a todos!

  • Yohan Barbato Fernandes dos Santos

    Muitoooo bomm o programa! Muita informação sobre o nosso continente e resto do mundo! Sempre escuto vcs quando vou correr perto do prédio e me racho de rir!
    Queria pedir um salve pra galera do meu grupo de watts, chama a Marcha dos pinguins, sempre temos boas discussões sobre política, e estou tentando fazer o povo escutar o xadrez verbal!
    Queria saber qual o clube de futebol mais antigo do Brasil? Estava escutando o fronteiras invisíveis do futebol sobre o 13 de maio e a dúvida surgiu!
    Abraço pra vcs!

  • Natália Aika Horie

    Boa alvorada, queridos Filipe e Matias!
    Eu sou uma das 5 pessoas que os ama, sem dúvida. Fui colega de FFLCH, pelo que dizem acho que cursamos a graduação no mesmo período (2005 a 2010), fiz Letras – Linguística e fui estagiária na Florestan por 1 ano e meio, certeza que já atendi vocês no balcão.

    Filipe, toma chá de gengibre com casca de limão e alho que sua garganta melhora. Própolis concentrado também é certeiro.

    Bom, meu chefe, diretor do IB-USP, me enviou um vídeo muito interessante sobre a Democracia e eu fiquei muito orgulhosa por não ficar boiando com os exemplos dos governos internacionais citados, graças ao Xadrez.

    Gratidão pelo trabalho impecável que vocês desenvolvem e muita luz para nosso país, que segue ladeira abaixo.

    Beijos

    Natália Aika Horie

    #elenão

  • Luis Carlos Borghetti

    Ola, tambem mando um abraço da linha Trento-Bolzano, nao sabia que outros brasileiros aqui na italia seguiam esse podcast maravilhoso, que me salva durante as horas de trabalho, e felipe eu sei que voce fala italiano poque eu ja ouvi voce falando cazzo varias vezes ahahah.
    Um abraço.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.