Xadrez Verbal Podcast #158 – Coreia, Venezuela e Oriente Médio

Mais uma edição da sua revista semanal de política internacional em formato podcastal chegando no seu feed! Matias Pinto e Filipe Figueiredo giram pela vizinhança, falando principalmente sobre a Venezuela. Relatórios da Anistia Internacional, possibilidades de TPI, defesa aberta de intervenção, tudo isso enquanto Maduro come as carnes do restaurante de Salt Bae. O país nessa situação e o cara jantando, já diria o meme.

Passamos pelo Oriente Médio, com notícias do abate do avião russo na Síria e o acordo para a província de Idlib; também passamos pelo Líbano e pela proibição de barbas na polícia egípcia. Fomos até a península coreana, com uma nova cúpula entre Moon e Kim, que deixou muitos otimistas, mas sejamos céticos. Giramos pelo mundo, a semana na História, economia com a professora Vivian Almeida, peões da semana e dicas culturais fecham mais um podcast do Xadrez Verbal!

Você nem sempre tem tempo, mas precisa entender o que acontece no Mundo, ainda mais porque o planeta está uma zona. Toda semana, Matias Pinto e Filipe Figueiredo trazem pra você as principais notícias da política internacional, com análises, críticas, convidados e espaço para debate. Toda sexta-feira você se atualiza e se informa.

Dicas do Sétimo Selo e links

Site da Editora Contexto

Livro 1964 – História do Regime Militar Brasileiro, de Marcos Napolitano

Livro Los cuatro peronismos, de Alejandro Horowicz

Site da 12ª Primavera dos Museus

Lançamento do livro O Brasil mudou mais do que você pensa

Música All Apologies, de Nirvana

Playlist das músicas de encerramento do Xadrez Verbal no Spotify

Minutagem dos blocos, cortesia dos financiadores do Xadrez Verbal

Ouça o podcast aqui ou baixe o programa. (clique com o botão direito do mouse e use a opção “Salvar como” para baixar)

Você também pode assinar o podcast via RSS ou no iTunes, além, é claro, de acompanhar o blog.

A revista de política internacional do Xadrez Verbal é feita na Central 3, que está no Apoia-se

Filipe Figueiredo é tradutor, estudante, leciona e (ir)responsável pelo Xadrez Verbal. Graduado em História pela Universidade de São Paulo, sem a pretensão de se rotular como historiador. Interessado em política, atualidades, esportes, comida, música e Batman.
Como sempre, comentários são bem vindos. Leitor, não esqueça de visitar o canal do XadrezVerbal no Youtube e se inscrever.

Caso tenha gostado, que tal compartilhar o link ou seguir o blog?

Acompanhe o blog no Twitter ou assine as atualizações por email do blog, na barra lateral direita (sem spam!)

E veja esse importante aviso sobre as redes sociais.

Caros leitores, a participação de vocês é muito importante na nova empreitada: Xadrez Verbal Cursos, deem uma olhada na página.

Anúncios

23 Comentários

  • Saara é o maior deserto quente do mundo com 9 milhões de quilômetros quadrados, ja que deserto tem haver com a umidade do local e sendo assim a Antártica é o maior deserto do mundo com 14 milhões de quilômetros quadrados. Só como objeto de comparação a Russia tem 17 milhões de quilômetros quadrados.

  • Olá Filipe, os radares podem sim identificar “um avião brother” na tela, seja pela ” assinatura radar do alvo” ou pela identificação fornecida pelo IFF (Identification Friend or Foe – identificador amigo/inimigo) um tipo de transponder militar.

    Acho que desta vez faltou aos russos combinarem com alguém, deveriam ter avisado e passado as frequências IFF do IL-20 pros Sírios

  • Professora Selma, de biologia, com prova cheirando a cigarro.

    VOCÊ ESTUDOU NO SAGRADO, FILIPE????

  • Marcelo Roberto da Silva

    Olá a todos!

    Gosto muito do programa, mas sobre essa questão do Maduro, é interessante apontar aquilo que NENHUM meio de comunicação noticiou:

    O Maduro foi convidado pelo tal chefe e por algumas autoridades turcas a comer no restaurante.

    Vcs tem toda razão, ficar noticiando a comida de um presidente beira o ridículo em uma semana no qual um enorme acordo foi assinado.Então mesmo que tivesse pago pela comida,isso sequer deveria ser motivo de nota. Bem estilo Vasco e Roberto Dinamite mesmo.

    Como se os demais países mandassem seus líderes comer no prato feito da esquina quando viajam pelo exterior não é verdade?

    Me espanta como as pessoas são mobilizadas a se indignar com algo tão banal e corriqueiro, só por ser a Venezuela. Será que se fosse o chefe de estado, sei lá, da Guatemala, país com inúmeros imigrantes espalhados ao redor do continente ou da Colômbia, país com mais refugiados internos aqui na região, inclusive com alguns de seus refugiados na própria Venezuela, ou mesmo a Argentina, em meio a uma enorme crise, veríamos esse auê todo? O que não faltam são mazelas sociais em nosso continente, no entanto não é todo almoço caro de uma liderança que vira notícia como este virou.

    E é algo tão previsível(que teríamos muito barulho por nada a esse respeito),que não duvido que aceitar o convite e se deixar fotografar e filmar tenha sido uma cartada do próprio líder Venezuelano para encherem o saco com isso e ignorarem a questão chinesa. Se foi este o caso, palmas para o Maduro, fez muito bem a jogada da cortina de fumaça e todos caíram direitinho.

    E com a notícia da provável intervenção externa para um golpe na Venezuela, essa aproximação com a China é essencial para entendermos o que esta em jogo, mas a galera quer mesmo é falar da comida cara rs

    Mas sobre a Venezuela é sempre assim, qualquer notícia tem que ser procurada, questionada e pensada 10 x mais do que em qualquer lugar, pq o que tem de sensacionalismo, cortinas de fumaça, mentira e distorção é em outro nível.

    .

  • Na verdade Hectare [ha] e uma unidade métrica, não SI, porem com uso aceito pelo mesmo (ou seja, pode ser usado oficialmente), equivale a 10 000m², ou seja 1 hectômetro quadrado [hm²] (hecto e um prefixo métrico que significa 100x) ou 1/100 km², a origem do seu nome está em uma medida métrica antiga, chamada “are” usada para imóveis e equivalente a 100m², “are” caiu em desuso, mas como hectare e uma escala pratica, e mais fácil de dizer “hectômetro quadrado”, continuou-se o uso.

    Usamos hectare[ha] por ser pratico, assim como usamos centímetros [cm] e não metro[m] ou milímetros [mm], para muitas coisas no dia a dia.

    Inferno mesmo e a medida Alqueire, largamente utilizada no meio rural Brasileiro, além de ser uma medida não metrica, ela varia de acordo com o Estado, indo de 12 100 m² (SP e MS) até 193 600m² (MG, BA e GO) (Sendo que dentro de MG ele varia de 18 200m² a 193 600m², despendendo da região do estado)

    • Outro exemplo de unidade pratica, métrica, não SI, porem com uso aceito pelo mesmo, e Litro[l], para se referir a volumes, no SI teria-se que usar decímetros cúbicos [dm³], mas falar litro e mais pratico no dia a dia

  • Olá Filipe e Matias.
    Apenas uma curiosidade sobre o Avião russo abatido e o lançamento de misseis do Mediterrâneo pela França.
    O Brasil mantém desde 2011 uma fragata que lidera uma força naval da ONU na costa do Líbano, então é possível que eles tenham presenciado/detectado todas essas atividades.

  • Olá, ótimo programa!
    Novamente, fico impressionado de ver que ainda tem gente que acredita no (já muito refutado) mito da diferença salarial por gênero. Apesar de admitir que essa diferença só ocorre quando se avalia a média global, desaparecendo quando se olha caso a caso, a crítica agora foi dizer que as mulheres escolhem profissões de remuneração menor por pressão social. Até entendo que isso certamente deve acontecer em algumas tristes famílias de pais preconceituosos, mas dizer que isso representa a maioria dos casos é muita forçação de barra.

  • Mais um ouvinte do Rio Grande do Norte.
    Sou de Carnaúba dos Dantas, cidade que fica próxima a Currais Novos.

    #QueremosUmFronteirasDoRN

  • Nirvana é uma banda legal, mas muito superestimada.

  • Por que você não estão atualizando o conteúdo no Spotify? Abs

  • Gostaria de deixar meus parabéns para a professora Viviam Almeida pela análise sobre discriminação e liberdades. A análise foi economicamente e socialmente embasada e a professor apresentou uma questão deveras complexa, importante e delicada de forma completamente acessível e palatável, porém, sem perder a profundidade necessária no tratamento do tema.

  • Aí Felipe e Mathias!,

    Incrível que vocês, há vários podcasts atrás, apenas faziam piada das tensões coreanas e todo mundo achava que estavam falando bobagem, esperavam comentários mais aprofundados e muitos até ficaram bravos com vocês. E aí quando começaram a falar sério, conseguiram praticamente prever todos os passos dados até agora por ambas as nações.

    Isso foi muito tipo “Eu sou muito badass em geopolítica, mas vamos fingir que somos engraçadinhos e pouco sabidos para que todo mundo depois veja o nosso Modo Ultimate Platinum Sapiens de consciência sobre geopolítica, humiliation nos veículos de mídia tradicionais e nos fanáticos ideológicos” lol.

    Agora falando sério, é muito importante frisar que uma hipotética interferência militar dos EUA na Venezuela e uma grande aproximação desta para com a China, não são necessariamente excludentes. Sobretudo, caso a China venha, com uma hipotética queda de Maduro, a estabelecer acordos para a reconstrução (Em caso de conflitos internos com danos materiais) e modernização do país. Pela via multilateral, EUA e China poderiam brigar pela influência sobre a Venezuela, mas a nível das relações bilaterais, não são fatores que se excluem (Pode um ou outro país se sobressair, mas nenhum perderá influência sobre o país), sobretudo considerando que mesmo uma hipotética queda de Maduro não fará com que todos apoiem uma aproximação com os EUA, enquanto que com a China, pela própria distância e pelo histórico chinês nas relações internacionais, a tendência é que as duas se coexistam nesse cenário.

    Saudações paulistanas! Sou baterista, quadrinista e também mais um ex-miçangueiro da FFLCH LOL

  • Como historiadora gostaria muito de elogiar a dica cultural do Filipe, o livro do professor Marcos Napolitano, que coincidentemente eu havia comprado com o desconto do Xadrez Verbal na editora Contexto, rs. São dois motivos para esse elogio: o primeiro é a necessidade de se revisitar constantemente esse tema em um país de feridas da ditadura muito abertas e sem previsão de cura próxima e o segundo é justamente pela linguagem não academicista do texto, que permite a leitura a um público mais amplo. Esse segundo aspecto deve ser muito valorizado no atual contexto em que vemos os relativismos, revisionismos e negacionismos absurdos acabarem por silenciar ou deslegitimar os resultados de pesquisas históricas sérias. Não nego que nesse distanciamento entre pesquisa histórica e público leigo haja uma parcela de responsabilidade dos próprios historiadores, mas fazer o caminho de volta é necessário e tem sido um esforço de muitos de nós. Gostaria de destacar especialmente os capítulos “O mito da ditabranda” e “A ditadura entre a memória e a história”. Obrigada Filipe e Matias pelo podcast sempre sensacional, vocês são foda.

  • Ola Filipe e Mathias.
    Alguns programas atras voces comentaram sobre a paternidade homoafetiva na Italia (152), inclusive deixei um comentario. Agora parece que descobriram uma ligaçao entre a Lega e um padre brasileiro, Vilmar Pavese. O artigo diz que ele era muito influente na politica da Lega na regiao de Verona, que benzia as sedes do partido e que lançava castigos divinos quando nao podia fazer as suas pregas. Ele é guia espiritual do Ministro das Familias, Fontana e tambem é amigo do Salvini.

    “As mulheres? Nao se sentem bem com um livro em maos. Os imigrantes? Na Italia, primeiro os italianos. O aborto? Um crime. Gays? Instigados pelo demonio.”

    http://espresso.repubblica.it/attualita/2018/09/24/news/le-sentenze-medievali-di-don-vilmar-pavesi-consigliere-spirituale-del-ministro-fontana-1.327286

  • Bom dia pessoal,

    Gostei muito da dica cultural do museu Lasar segall que o Matias deu semana retrasada, por favor continuem dando dicas de locais para visita (especialmente em SP), e uma duvida aflige meu coração de menino Latino-americano, o Felipe é Social-Democrata?

    Abraços, fiquem bem.

    PS: Mandem um salve pro meu professor de Economia do Setor Publico la na FMU, Profe. Rafael que é ouvinte enrustido de vocês, ele não assume que ouve mas eu já peguei as referencias, especialmente quando ele chama o Recep Erdoğan de “Erdogollum” e cita os textos do Felipe na Gazeta do Povo.

    • Fui descoberto!!! Sabia que o Erdogollun ia me trazer problemas…

      Enfim não só assumo que escuto os podcasts (tanto o fronteiras quanto o xadrez) como também sou fã do Nerdologia e das colunas do Felipe.E levo as discussões pra sala de aula pra manter os exemplos atuais.

  • Oi, pessoal! Não comentei na semana que saiu, mas eu realmente achei sensacional a coluna que vocês fizeram sobre o incêndio do Museu Nacional, inclusive o link que vocês fizeram ao final sobre a relevância do evento para relações internacionais. Costumo recomendar o Xadrez Verbal em geral para pessoas que se interessam por política internacional, mas aquela coluna eu recomendei pra todo mundo, porque foi de uma abrangência e relevância fora de série.
    Mas enfim, queria só passar pra deixar um pequeno comentário, com relação ao Brexit, que vocês mencionaram que em março de 2019 o UK está fora da EU, salvo novo referendo. Na realidade, não está muito claro se o Brexit pode ser revertido ou não, pois o Artigo 50 não é claro nesse sentido. Por um lado, há quem argumente que por não haver impedimento explícito no Artigo 50, a reversão do procedimento é possível; por outro, há quem diga que o fato de o Artigo 50 não prever reversão significa que não é possível voltar atrás uma vez entregue a notificação de saída.
    Abraço!

    • Só um adendo final, acho que de todo modo o que seria mais ou menos consenso é que o Reino Unido não poderia unilateralmente decidir ficar na UE. Mesmo que aconteça um segundo referendo e o resultado seja para desta vez permanecer, pelo que sei o entendimento geral é que ou a questão teria que passar pela CJUE ou, no mínimo, deveria haver acordo entre o UK e o Reino Unido, mas uma decisão unilateral está fora de questão.

  • Nao me lembro de vcs terem comentado o “this is a tough hurricane, one of the wettest we’ve ever seen from the standpoint of water”. E eu apoio começar a chamar o xi jing ping de ursinho ou xi jing pooh ou winnie the Ping.

  • Rogério Moreira Jr.

    Grandes Felipe e Matias (não é nem elogio. Tenho 1,62. Pra mim todos são grandes – mas vocês ainda mais).

    Queria que vocês mandassem um abraço para Silvana Silva, ouvinte de vocês e minha futura esposa. (música romântica de fundo) O podcast nos uniu (não só XV, mas o Bibotalk, antes), e hoje não só ouvimos como produzimos Podcasts lá com o Bibo.

    Ou seja: OS OUVINTES TEM QUE MANTER OS PODCASTS UNIDOS. ELES MUDAM VIDAS.

    Abraços!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.