Xadrez Verbal Podcast #133 – EUA, América Latina e relações Rússia-Europa

Podcast do Xadrez Verbal dessa semana no ar, com o que aconteceu pelo mundo nos últimos dias. Na nossa América latina, as eleições na Colômbia e em Cuba, prisões na Venezuela e no Peru e muitas notícias brasileiras. O pedido de suspensão das negociações entre UE e MERCOSUL devido ao assassinato de Marielle Franco, as relações astronômicas (literalmente) do Brasil, e viagem de Bolsonaro ao Oriente, dentre outras.

Na Secretaria de Estado dos EUA, sai Rex Tillerson, demitido pelo Twitter (é sério!), entra Mike Pompeo. Na CIA, sai Mike Pompeo, entra Gina Haspel. O que isso pode significar? De lá, vamos para a Europa, onde o Reino Unido acusa a Rússia de envenenamento, e a Rússia nega. Os fatos e cada uma das versões você vai ouvir aqui, além de um passeio pela Europa. Giramos pelo mundo, peões, a semana na História, Economia com a professora Vivian Almeida e dicas culturais fecham mais um podcast do Xadrez Verbal.

Você nem sempre tem tempo, mas precisa entender o que acontece no Mundo, ainda mais porque o planeta está uma zona. Toda semana, Matias Pinto e Filipe Figueiredo trazem pra você as principais notícias da política internacional, com análises, críticas, convidados e espaço para debate. Toda sexta-feira você se atualiza e se informa.

Dicas do Sétimo Selo e links

Série documental Into the Universe with Stephen Hawking

Documentário Narco Cultura

Música Run Run se fue pa’l norte, de Violeta Parra

Playlist das músicas de encerramento do Xadrez Verbal no Spotify

Ouça o podcast aqui ou baixe o programa. (clique com o botão direito do mouse e use a opção “Salvar como” para baixar)

Você também pode assinar o podcast via RSS ou no iTunes, além, é claro, de acompanhar o blog.

A revista de política internacional do Xadrez Verbal é feita na Central 3, que está no Apoia-se

Filipe Figueiredo é tradutor, estudante, leciona e (ir)responsável pelo Xadrez Verbal. Graduado em História pela Universidade de São Paulo, sem a pretensão de se rotular como historiador. Interessado em política, atualidades, esportes, comida, música e Batman.
Como sempre, comentários são bem vindos. Leitor, não esqueça de visitar o canal do XadrezVerbal no Youtube e se inscrever.

Caso tenha gostado, que tal compartilhar o link ou seguir o blog?

Acompanhe o blog no Twitter ou assine as atualizações por email do blog, na barra lateral direita (sem spam!)

E veja esse importante aviso sobre as redes sociais.

Caros leitores, a participação de vocês é muito importante na nova empreitada: Xadrez Verbal Cursos, deem uma olhada na página.

Anúncios

24 Comentários

  • Matias, te mandei mensagem inbox no Facebook VÁRIAS VEZES. Pelo menos visualiza lá, e se a sugestão interessar praquela pauta em particular me dê uma posição. Grato.

  • Coluna aberta está com o áudio bem alto.

  • Oii, vão relinkar com o volume mais baixo?

  • E ai dupla! Faltou uma coisa -> conta no chess.com e lichess! Cacete, voces jogam apenas com internacionais? Não aceitam convite não?? Abraço!

  • Tive que dar um stop no podcast, essa música de fundo e alta me deixou com TOC o resto do dia.

  • E eu achando que ‘matador de elefante’ era referência a “el Infante” Alfonso, irmão mais novo de Juan Carlos, que morreu em um acidente com o revólver do irmão quando tinha 14 anos. Uma versão do relato é que Juan Carlos estava brincando com a arma e apertou o gatilho, não sabendo que estava carregada…

  • Não consegui ouvir a coluna aberta 😦 a música encobriu completamente a fala de vocês

  • italo c reis costa

    Gal Gadot serviu nas IDF. Eeeeee???????
    Qual o problema????

  • Ótimo programa pessoal!
    Essa história do envenenamento do ex-espião russo realmente está deixando muito filme de espionagem no chinelo.

    Abraços!

  • Eu gostaria de conhecer mais sobre a observação de que o regime militar teria renegado em parte a História da FEB. Me causa certa estranheza porque o próprio Castelo foi um febiano, e cercou-se de vários ex-companheiros de FEB nos acontecimentos que levaram ao 64, estrangeiros inclusive, mantendo contato muito próximo com o Gen Vernon Walters.
    Também me causa estranheza por uma experiência pessoal. Minha carreira militar se inicia na década de 80, ainda no regime militar, e minha infância se passou na década de 70, sendo filho de militar. E em tudo que me recordo a memória da FEB era cultuada e repassada num tom heróico aos jovens militares. Mesmo militares que não foram bem vistos pelo regime militar, como o Brigadeiro Ruy Moreira Lima, que conheci pessoalmente, não passaram por um “apagamento” histórico. Salvo engano, seu livro “Senta a Pua” eh um dos mais vendidos, senão O mais vendido, até hoje, e editado pela Biblioteca do Exército.

    • Oi Marcos, quando você dá esses exemplos, estamos falando do oficialato, do “Exército de Caxias”, ou da FEB como um símbolo, um fenômeno amorfo no tempo. Não estamos falando dos soldados comuns, do conceito de soldado cidadão, do soldado democrático. Esses foram abandonados e essa imagem jogada ao léu. Tanto que pensões aos veteranos só foram estipuladas em 1988, com a constituinte democrática. O próprio termo “pracinha”, em contraste aos oficiais, é pejorativo!

      Quando citaste o Rui Moreira Lima, que já publiquei bastante coisa dele aqui, lembro que o livro foi publicado apenas em 1980, após a Lei de Anistia.

      Como recomendação geral sobre a História do papel social e político das nossas forças armadas, sugiro o essencial Celso Castro. Sobre a FEB, especificamente, os nomes César Campiani Maximiano e Francisco César Alves Ferraz. Um abraço

      • Muitissimo obrigado pela resposta Felipe. Essa informação da primeira publicação do Senta a Pua provavelmente confere com a minha lembrança, pois em 1980 era a era da distensão do regime e eu estava para entrar para o Colégio Militar do Rio de Janeiro e devorava literatura de história militar.
        Talvez minha impressão tambem venha por ter passado a infância dentro do pequeno circulo da FAB. Por toda a década de 70 as ocasiões históricas e festas de aviação tinham um componente de reverência muito forte ao 1o Grupo de Caça e sempre vi os veteranos prestigiados, mesmo pessoas como o citado e saudoso Brig. Rui e Nero Moura, que foi amigo pessoal de meu avô, diretor do então DAC.
        Obrigado novamente pela atenção a me responder, e mantenham o excelente trabalho.

        • O caso do 1º Grupo talvez seja mesmo mais específico, já que era um grupo mais reduzido e com uma associação de veteranos mais coesa, inclusive geograficamente.

          Chegou a conhecer o comandante Torres, único BR que afundou um u-boat?

          • Meu modelo 1:48 do Arará tinha a assinatura dele na asa. 🙂 Infelizmente quando fui para a Escola de Cadetes do Exército em Campinas meu irmão mais novo liquidou com ele. 😦 Conheci grande parte dos veteranos, na infância e depois na década de 90 como membro do Jambock Virtual, de que também fazia parte o Jovem Nerd.

  • Olá pessoal. Sobre a base de alcântara, há controvérsias a respeito dessa “importância geográfica”. Confesso que não conheço o suficiente sobre o assunto, mas sugiro darem uma lida nesse texto: http://meiobit.com/380649/spacex-nao-vai-vir-ao-brasil-ninguem-importante-quer-base-de-alcantara-para-lancar-foguete/

  • Na verdade o nome do canal do Sérgio Sacani é Space Today. Eu também recomendo

  • Gente, pelo amor de Deus. A edição tá muito ruim. Sempre tem momento em silêncio sem nada, me dá nervoso, e no 2o bloco do giro de notícias ficou tocando a trilha num volume mais baixo sem ninguém falar nada!!!! Cortem e ouçam antes de publicar por favor, isso tá rolando em vários programas faz tempo já.
    No mais, ótimo programa hehe adoro o Xadrez Verbal e é uma pena que o meu primeiro comentário seja pra dar bronca, mas essas coisas me incomodam muito (especialmente porque estudo e trabalho, entre outras coisas, com edição de som).
    O Xadrez me ajuda muito a me situar na situação geopolítica, acho que é um programa imprescindível e espero que inspire pra que surjam mais programas que debatam política em geral e política internacional em específico com a qualidade e descontração com a qual vocês debatem. Abraços.

  • O Alvaro Uribe era membro do partido liberal na Colombia. Não do conservador.

    Alias, vocês analizaram os resultados do legislativo na Colômbia mas esqueceram da falar das consultas internas das coalições dos movimentos de dereita (Iván Duque, o candidato de Uribe e Marta Ramirez, a candidata de Pastrana) e da izquerda (onde ganhou Gustavo Petro ex guerrilhero do M19) Que foram bastante importantes também.

  • Rapaz, a edição da Central3 tá muito ruim. Fico com pena do Felipe e do Matias, pois o Xadrez é um dos melhores podcasts em questão de conteúdo, mas é duramente prejudicado pela edição.

  • Rapazes, muito bom estar com vocês em minhas viagens de carro e na pia de louças.
    Quanto a história do espião, assassinado na Inglaterra, penso que o documentário Icarus (Netiflix) pode apontar bem do que o Sr. Putin é capaz. A não ser que eu não tenha “enxergado” algum tipo de manipulação por parte deste documentário americano, detonando o mandachuva russo. Suspeitei o tempo todo, mas não detectei.
    Solicito a vocês que indiquem novamente os filmes sobre a máfia russia, que foram citados neste programa, com mais detalhes sobre legendas e acesso.
    Como sou ouvinte novo (desde agosto do ano passado) gostaria que vocês me atualizassem sobre alguns trocadilhos: a) eleger o peão isolado e b) menino Neymar (peço desculpas antecipado caso eu seja um tapado por não entende-los).
    E por último…o camarada é fã do Chacaritas, mesmo?
    Abraços!

  • Obrigado pelo podcast de Boston, Massachusetts !

    Eu só queria fazer dois comentários depôs de ouvir a respeito da sua discussão sobre os acontecimentos recentes nos Estados Unidos:

    1. A importância da eleição do Conor Lamb do 18º Distrito não se acha no fato de que essa cadeira virou democrata e então os Democratas vão ter mais um voto – a cadeira só vai exister até as proximas midterms em Novembro. Neste momento, Conor Lamb vai ter que decidir em qual distrito ele vai fazer campanha. O importânte é que a eleição de um democrata significa uma grande reviravolta, considerando que Trump ganhou neste distrito (considerado o “coração de Trumpland”) por 20 pontos. Essa vitória e a vitória de Doug Jones (um democrata) em Alabama sugerem que a reviravolta em favor dos Democratas nos midterms pode ser maior do que foi anteriormente previsto.

    2. No assunto de Tillerson, é interessante notar que a sua demissão veio logo após ele contradizer a Casa Branca sobre o envenenamento no Reino Unido cometido pela Russia. Tillerson disse que o ataque foi cometido “com certeza” pela Russia e que haveriam represálias. Questionado sobre a demissão, a posição oficial da Casa Branca foi que Tillerson foi notificado na sexta-feira (9 março). Um assessor do Trump, ao contradizer essa história, dizendo que Tillerson so soube da demissão pelo Tweet na terça-feira (12 março), também foi demitido. Eu sei que vocês não gostam de especular – e é ainda mais importante não tentar especular sobre a mente de Trump -, mas visto no contexto das ações tomadas pelo Trump afim de eliminar os que não seguem exatamente o que diz a Casa Branca sobre a Rússia, não é muita especulação dizer que ele queria alguém mais como Pompeio, alguém que, como vocês disseram, é mais pro-Trump.

    3. Quanto as novas sanções contra a Rússia, apesar de finalmente implentá-las (elas foram aprovadas pelo congreso no dia 27 Julho 2017 quase por unanimidade – 419-3 na Câmara dos Representates e 98-2 no Senado), mas porém todavia entretanto as sanções implementadas pela administração Trump não foram tão fortes quanto as que passaram pelo Congresso. Especificamente, as novas sanções focaram numa lista pequena de indivíduos, e não na lista maior de indivíduos que teríam interferidos na eleição de 2016.. As novas sanções também não incluie seis provisões que são obrigatórias de acordo com a lei passado pelo Congresso, provisões contra, por exemplo, a indústria de defesa Rússa (e outras indústrias).

  • Venho por meio deste apenas comentar a seguinte frase motivacional: “Levanta a cabeça Peru, senão o PPK cai”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.