Xadrez Verbal Podcast #111 – Mianmar, América Latina e testes militares

Abrimos o programa com a Coluna Aberta, na qual Filipe Figueiredo apresenta um panorama dos últimos acontecimentos ao nordeste de Naypyidaw.

Região de Mianmar com diversas riquezas minerais, onde estaria ocorrendo limpeza étnica da minoria muçulmana rohingya. De lá, o “homem por trás do tabuleiro” se junta a Matias Pinto por mais uma banda pela nossa vizinhança, para repercutir os danos causados pelos furacões e terremotos na América Central, Caribe e México, a visita do Papa à Colômbia, as medidas desesperadas de Nicolás Maduro para conter a crise e a renúncia do vice-presidente uruguaio Raúl Sendic.

Também analisamos os exercícios balísticos norte-coreanos no Mar do Japão, acentuando a crise diplomática entre os dois países. No outro extremo da Eurásia, a Rússia também movimentou suas tropas, causando apreensão de Lituânia, Polônia e Ucrânia. Já a Professora Vivian Almeida comenta no Gambito da Dama sobre a entrada do Brasil na OCDE, enquanto que a nossa dupla de apresentadores ainda girou por Alemanha, Arábia Saudita, Espanha, França, Israel, Qatar, Reino Unido, República Centro-Africana e Tunísia.

Você nem sempre tem tempo, mas precisa entender o que acontece no Mundo, ainda mais porque o planeta está uma zona. Toda semana, Matias Pinto e Filipe Figueiredo trazem pra você as principais notícias da política internacional, com análises, críticas, convidados e espaço para debate. Toda sexta-feira você se atualiza e se informa.

Dicas do Sétimo Selo e links

Documentário The Propaganda Game

Documentário Arquitetura da Destruição

Livro A princesa que escolhia

Música Legalize it, de Peter Tosh

Playlist das músicas de encerramento do Xadrez Verbal no Spotify

Ouça o podcast aqui ou baixe o programa. (clique com o botão direito do mouse e use a opção “Salvar como” para baixar)

Você também pode assinar o podcast via RSS ou no iTunes, além, é claro, de acompanhar o blog.

A revista de política internacional do Xadrez Verbal é feita na Central 3, que está no Apoia-se

Filipe Figueiredo é tradutor, estudante, leciona e (ir)responsável pelo Xadrez Verbal. Graduado em História pela Universidade de São Paulo, sem a pretensão de se rotular como historiador. Interessado em política, atualidades, esportes, comida, música e Batman.

Como sempre, comentários são bem vindos. Leitor, não esqueça de visitar o canal do XadrezVerbal no Youtube e se inscrever.

Caso tenha gostado, que tal compartilhar o link ou seguir o blog?

Acompanhe o blog no Twitter ou assine as atualizações por email do blog, na barra lateral direita (sem spam!)

E veja esse importante aviso sobre as redes sociais.

Caros leitores, a participação de vocês é muito importante na nova empreitada: Xadrez Verbal Cursos, deem uma olhada na página.

Anúncios

12 Comentários

  • Na parte das efemérides, faltou o Bicentenário da Emancipação Política de Alagoas, 16 de setembro de 1817, que foi um dos desdobramentos da Revolução Pernambucana de 1817. A revolta dos pernambucanos contra o governo de D. João VI no Rio de Janeiro possuía caráter secessionista.

    Como os proprietários de terras da então comarca de Alagoas permaneceram fiéis à coroa, D. João VI desmembrou a comarca e a transformou em província.

    • Acho que faltou mencionar que o acidente com césio 137 em goiânia completou 30 anos no dia 13

      (A não ser que eu comi uma bola gigantesca porque me distrai com o meu sorvete e não prestei atenção rs)

      Grande abraço e continuem com o bom trabalho
      (olha que eu não faço nada relacionado a politica internacional, faço artes visuais, e gosto de ouvir vocês e suas vozes nas sexta feiras e fins de semana)

  • Olá! Gostaria de comentar, aos 91min diz que o míssil norte-coreano sobrevoou o Japão, sendo que o espaço aéreo de um pais termina na Linha de Kármán a 100km de altura, que e usada por convenção como sendo o início do espaço.

  • Infelizmente veremos o empobrecimento ainda maior do povo venezuelano, a história nos mostra e a economia nos explica que taxar grandes fortunas é o caminho mais rápido para a pobreza. Ninguém come dinheiro, mas sim alimentos produzidos por empresários, que agora com menos recursos terão menos meios para produzir, reduzindo a quantidade disponível no mercado, aumentando ainda mais a escassez. Lamentável que em pleno 2017 ainda vejamos esse tipo de política econômica. Roubar mais de quem produz, lembrando qe imposto é sempre roubo, nao torna a sociedade mais rica, e sim mais pobre.

  • Olá, pessoal do Xadrez Verbal. Aproveitando que um dos temas principais do podcast foi Mianmar, recomendo o especial do Top Gear, ainda quando era comandado por Jeremy Clarkson, na BBC UK, onde o tema é exatamente Mianmar (chamado Burma Special).

    No especial, dividido em duas partes, Clarkson e os outros dois apresentadores recebem o desafio de atravessar Mianmar com antigos caminhões de serviço, de uma ponta a outra, chegando até a Tailândia para reconstruir a famosa “Ponte do Rio Kwai”. Aliás, o Top Gear fez diversos episódios especiais na Ásia: Um na Índia, outro no Vietnã e outro onde eles passam por Iraque, Síria, Jordânia, Israel e Turquia, no especial do Oriente Médio.

    Abraços e continuem com o ótimo trabalho!

  • olá filipe. com relação ao comentário do Matias de que em países democráticos não há policia militar, venho dizer que não é verdade. aqui em nosso continente praticamente todos os países possuem policias militares. (Argentina, Gendarmería Nacional Argentina; chile, Carabineros de Chile; Colômbia, policia nacional colombiana; Venezuela, guarda nacional bolivariana). a lista pelo mundo seria grande, mas para ser sucinto e para citar países democráticos, cito na Europa a guarda Nacional Republicana de Portugal e a Gendarmerie Nationale Francesa; e mais famosa de todas os Carabinieri italianos.
    a diferencia entre nossas pólicas militares e a de outros países. é que aqui elas estão sob o controle dos estados, e nos outros países são órgãos federais. e também nos outros países são policias de ciclo completo, ou seja também podem fazer investigações.
    por fim deixo um link com a relação de das policias militares do mundo e um pequeno histórico das principais.
    https://blitzdigital.com.br/artigos/so-existe-policia-militar-no-brasil/

    • Italo, embora o comentário seja para o Matias, me darei o direito a responder, espero que não se importe.

      Gendarmerias e as PMs brasileiras são coisas distintas, não apenas por jurisdição ou hierarquia, mas também em funções. As gendarmerias são forças militares que possuem papel de auxílio policial; áreas remotas ou situações específicas.

      O policiamento cotidiano em Portugal é feito pela Polícia de Segurança Pública, uma instituição civil. Na Espanha, Cuerpo Nacional de Policía. Na França, a Police nationale. Na Itália, Polizia di Stato, também civil; os Carabinieri são uma força armada, tal qual o Exército e a Marinha, opera em missões de paz e realiza operações de policiamento em situações específicas. Além disso, os choques entre as gendarmerias e as polícias civis são comuns, assim como as mesmas críticas feitas em relação as polícias militares são feitas também às gendarmerias. Por isso que a Bélgica aboliu sua gendarmeria recentemente.

      Ou seja, mesmo nas condições mais propícias, a força policial militar é um complemento, não a regra. Também é preciso notar que essas forças, nesses países, ganharam atribuições de polícia devido, principalmente, aos impérios coloniais. Ou seja, territórios que precisavam tanto ser ocupados quanto policiados, fundindo as duas funções em apenas uma instituição. E, lembremos também, que todos esses países passaram por momentos autoritários no século XX.

      No Brasil, a mudança da característica das polícias possui dois momentos principais. Estado Novo de Vargas e a ditadura, com a criação da Inspetoria Geral das Polícias Militares em 1967; em determinados momentos e locais, a PM estadual era colocada sob comando de um oficial do exército, por questões de repressão interna.

      Hoje, Alemanha, Japão, Suécia, dentre vários países, não possuem polícias militares nem gendarmerias. EUA e Reino Unido sequer tiveram, em suas histórias, já que a Guarda Nacional dos EUA não possui autoridade de polícia, apenas em casos expressos autorizados pelos poderes. Mesmo a Coreia do Sul, violenta ditadura na Guerra Fria, não teve polícias militares.

      Dos vinte países no topo do Democracy Index, apenas três possuem gendarmerias. Eu não penso que isso seja uma coincidência.

      Um abraço

  • Vamos negociar essa participação em paçoquitas. hehehe
    Valeu, abçs.

  • “todo regime fracassado precisa encontrar um inimigo externo pra justificar seu fracasso e manter o povo unido” Autor desconhecido.

  • Olá, notei que não estou recebendo atualização do xadrez verbal do app Podcast Addict. Há algum problema com esse app? Era meu recurso para saber quando havia novos programas.

  • Luciana Caldas Gonçalves

    Queridos, aprecio demais o trabalho de vcs! Desde que comecei a acompanhar o Xadrez Verbal me sinto mais integrada (e intrigada) nos fatos mundiais.
    Somente uma pequena correção: a greve dos pms foi no Espírito Santo. Vivo em Vitória e posso dizer: foi um caos! Abraços e continuem sempre assim!

  • Luciana Caldas Gonçalves

    Só um esclarecimento: apesar de ter sido um caos no estado, entendo que os pms devam ter direito de greve. Os salários são baixos e as condições de trabalho péssimas. Abraços.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s