Xadrez Dominical (9) – Coréia

Caros leitores

Por razões pessoais, o Xadrez Dominical de hoje saiu meio atrasado. O tema de hoje é Coréia, pois nessa semana que passou “celebrou-se” o aniversário de 65 anos da divisão da Coréia em dois países separados pelo paralelo 38.

E não vou fingir aqui que conheço música ou literatura coreana, pois não conheço. Então, este post será apenas sobre filmes e documentários coreanos (ou, sobre a Coréia).

Filmes.

Crossing, de 2008, é um filme bonito, até um pouco piegas em alguns momentos, sobre a vida cotidiana de um norte-coreano que tenta achar tratamento para sua esposa. Não é uma alegoria política sobre comunistas comedores de criancinha, trata-se de um drama pessoal.

A Irmandade da Guerra, cujo título original é “Taegukgi hwinalrimyeo” (que seria melhor traduzido como A Irmandade da Bandeira; taegukgi é como os coreanos chamam a própria bandeira), é um bom filme de guerra, que se passa durante a Guerra da Coréia. É o único filme que conheço que conte uma perspectiva coreana. Vale a pena.

Outro filme sobre a Guerra da Coréia é a comédia de humor negro dos EUA, M.A.S.H., baseada na série homônima. Se você gosta de humor ácido e um pouco nonsense, é bem divertido. E fica como menção ao cinema fora da Coréia.

A Guerra das Flechas segue a típica fórmula blockbuster; é um filme de guerra focado ação que se passa no século XVII, com uma bela fotografia típica dos filmes de ação orientais mais recentes, como Herói e O tigre e o Dragão.

Agora, talvez o filme coreano mais famoso, Oldboy, que consagrou o diretor Chan-wook Park. Oldboy faz parte de uma trilogia coreana, junto com os filmes Mr Vingança (anterior) e Lady Vingança, que encerra a história. Sinceramente, apenas o Oldboy está de bom tamanho. Mas, tem que ter estômago, pois as cenas desse thriller são bem cruas em violência.

Mas, meu filme preferido do diretor, e preferido de toda essa lista, se chama Zona de Risco. É um drama com tons de thriller e uma pitada de comédia sobre a história de dois guardas, um norte-coreano e outro sul-coreano, que estão envolvidos em um incidente na zona desmilitarizada da fronteira, e como a história dos dois se cruza e mostra que…bem, assiste, vai valer a pena, bastante.

Documentários.

Sendo honesto, nunca assisti um documentário político sobre as situação coreana e gostei. Sempre achei um tanto quanto sensacionalista, ou piegas, produções baratas, etc. Então, minhas recomendações de documentários serão envolvendo um tema que acredito que transparece que é do meu interesse: esportes.

Primeiro, um documentário da série 30 for 30 da ESPN, chamado 9.79, sobre a final do atletismo nas Olimpíadas de Seul em 1988 e o caso de doping de Ben Johnson.

The Game of Their Lives é um documentário da BBC em parceria com a Coréia do Norte, com raro acesso da mídia ocidental ao país, sobre o time de futebol da Coréia Norte que chegou nas quartas-de-final da Copa do Mundo de 1966, com a famosa vitória sobre a Itália. Essa história foi bastante contada aqui no Brasil durante a Copa de 2010, quando a seleção da CBF enfrentou o time norte-coreano, que reestreava em mundiais. Infelizmente, só sei dele com legendas em inglês.

As dicas são essas. Espero que gostem e tenham vontade de assistir.

*****

Acompanhe o blog no Facebook e receba notificações de novos textos e posts, além de outra plataforma de interação, ou assine o blog com seu email, na barra à direita.

Anúncios

3 Comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s