Mulheres cientistas na História – Nerdologia de História 143

No Nerdologia de hoje conheça mais sobre mulheres cientistas na História.

Lembrando que, no vídeo no Youtube, vocês podem conferir fontes e dicas para aprofundamento no tema.

Créditos pelo Nerdologia ao Deive “Azaghal”, Alexandre “Jovem Nerd”, Átila Iamarino e todo o pessoal do Estúdio 42

Não esqueça de visitar o canal do XadrezVerbal no Youtube e se inscrever, ou clique no botão abaixo

E também não se esqueçam de se cadastrar para receber as novidades e recompensas sobre os futuros cursos do Xadrez Verbal!

Anúncios

3 Comentários

  • Andre Moritz Bufrem

    Não tem como disponibilizar este conteúdo em podcast?

  • Prezados,
    Como sempre, parabéns pelo trabalho, Filipe. Gostaria só de acrescentar uma curiosidade: mês passado (fevereiro/2019) estive em Amã, Jordânia, e visitei o Museu da Jordânia que tinha uma exposição contando a história e valorizando cientistas da civilização muçulmana, e fazia o contraponto quanto a “Idade das Trevas” (na Europa) dizendo que no Oriente Médio a ciência evoluía e deu bases para várias descobertas posteriores e tecnologias criadas (até usam a expressão “Idade de Ouro”). Na exposição, várias cientistas mulheres eram citadas, incluindo Hipátia de Alexandria e Fatima al-Fihri, que teria criado a primeira universidade em 859.
    Um pouco sobre a exposição no museu: https://jordanmuseum.jo/en/news/internationally-renowned-exhibition-celebrating-scientists-golden-age-muslim-civilisation-opens
    Grande abraço!

  • Muito interessante o vídeo. Gostaria de atentar também a uma brasileira referência mundial no seu campo que não aparece no vídeo, Nise da Silveira pela psiquiatria! Ao aplicar conceitos junguianos no hospital psiquiatrico D. Pedro II ela se tornou referencia mundial. Foi pioneira no uso de animais na terapia ocupacional além de ser ferrenha combatente ao uso da lobotomia e do eletrochoque. Hoje é alma Mater do Instituto de Medicina da UFBA onde se formou em 1926 e também do Instituto Carl Gustav Jung. Jung e ela tiveram intensos dialógos e hoje existem diversos museus que expõe os trabalhos realizados por seus clientes no hospital psiquiatrico.

    Ela vale bastante a pena ser lembrada. ❤

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.