Xadrez Dominical (11) – Bolívia

Caros Leitores

Depois de uma semana inteira discutindo o acontecido na Bolívia, as relações Brasil-Bolívia e as declarações de Maristela Basso sobre nosso vizinho sul-americano, o tema do Xadrez Dominical da semana não poderia ser outro: Bolívia.

Foto: Phil Whitehouse/RGB

Foto: Phil Whitehouse/RGB

Mas, esbarrei em um problema: não sou exatamente um perito em referências culturais bolivianas. Por isso, o post cumpre um dos aspectos mais legais e importantes de escrever regularmente, uma das intenções que declarei desde o início: tive que pesquisar bastante, e aprendi um bocado.

Para não correr o risco de falar apenas bobagens e ter um bom parâmetro, pedi ajuda ao meu grande amigo Matias Pinto, apresentador do programa Som das Torcidas e colaborador do Impedimento, um dos melhores sites sobre futebol que existem.

Primeiro, filmes bolivianos

Zona Sur foi a indicação boliviana ao Oscar de 2009, sobre o contraste social boliviano.

¿Quién mató a la llamita blanca? é um fenômeno local; é a maior bilheteria de um filme boliviano em seu país, e o filme mais pirateado (lembra o surgimento do Tropa de Elite). É exibido em ônibus e voos locais. O filme é uma grande sátira sobre a sociedade e política boliviana. Infelizmente, não achei em português, mas o link contém, além do áudio em espanhol, legendas em inglês.

Filmes estrangeiros. Um clássico é o filme da Disney Alô Amigos. Exemplo maior da “política de boa vizinhança” nos anos 1940, o desenho, financiado pelo governo dos EUA para gerar simpatia pelo país na América Latina, é mais conhecido no Brasil pela parte em Copacabana e, especialmente, por ser a primeira aparição do personagem brasileiro Zé Carioca. A primeira parte do desenho se passa no Lago Titicaca, e o Pato Donald faz “amizade” com uma lhama boliviana.

Outro filme é o espanhol También la lluvia (lançado no Brasil como Conflito das Águas), que conta com Gael García Bernal no elenco, sobre uma equipe espanhola que vai fazer um filme na Bolívia e se vê no meio de um conflito sobre a possível privatização da água.

Documentários.

¿Por Qué quebró Mc Donalds? trata do curioso fato da Bolívia ser o único país em que a famosa rede de fast food faliu.

The Devil’s Miner é um documentário premiado, que trata da situação das crianças bolivianas que trabalham nas minas e o sincretismo entre a fé católica da população mas a crença “pagã” que domina a região das minas, em que cada mina tem seu “Tio”, que controla aquela mina.

El Bolillo Fatal é um caso curioso que encontrei. Não é um documentário propriamente dito, a fita ainda está em restauro. É um filme de 1927, achado abandonado nos arquivos de um cinema, sobre a última execução em território boliviano (o homem executado foi, posteriormente, inocentado). Foi censurado imediatamente, é considerado uma das filmagens mais antigas feitas na Bolívia e a cópia achada é, provavelmente, única. Está em restauro, mas algumas imagens já foram digitalizadas.

Finalmente, Fighting Cholitas é um documentário curta-metragem sobre as mulheres da luta livre boliviana, que foi premiado no Festival de Sundance. O tema já foi abordado pela ESPN brasileira. E  ¡Si, yo puedo! e Nação Oculta são dois documentários sobre a comunidade boliviana em São Paulo, um aspecto que não poderia ser ignorado aqui.

Música e livro, infelizmente, serão no singular. Bolívia – política doméstica e inserção regional, é um artigo de Cesar Zucco Jr. sobre o cenário político boliviano de 2008. Não é uma leitura demorada e é bem abrangente. Música; sabe os clássicos dos anos 1980 Chorando se Foi de Márcia Ferreira ou Ivete Sangalo? Lambada, de Kaoma? Sabiam que ambos foram versões não autorizadas de Llorando se fue, do grupo boliviano Los Kjarkas, que venceram processos sobre os hits citados? Caso queira ouvir a original:

E um elemento que certamente não pode ser ignorado quando se trata da Bolívia é seu patrimônio cultural, histórico e natural. Patrimônios da Humanidade pela Unesco como a cidade histórica de Potosí, as missões jesuítas de Chiquitos, o parque nacional Noel Kempff, além do famoso lago Titicaca (lago navegável mais alto do mundo), o maior deserto de sal do mundo, o Salar de Uyuni, diversos sítios arqueológicos, como o de Incallajta, e o Carnaval de Oruro, maior festa popular do país.

Espero que tenham gostado das dicas e que tenham sido úteis, seja para assistir ou para viajar.

*****

Acompanhe o blog no Facebook e receba notificações de novos textos e posts, além de outra plataforma de interação, ou assine o blog com seu email, na barra à direita.

Anúncios

um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s