Xadrez Verbal Podcast #281 – Abertura Olímpica, giro pela Europa e Atila #51

Iniciando fevereiro de 2022, vamos até a abertura olímpica em Pequim, mencionando os boicotes, os líderes presentes e outras notícias do Pacífico. Damos uma volta pela Europa, com a vitória do Partido Socialista em Portugal e atualização sobre a Ucrânia. No noticiário da pandemia, Atila Iamarino fala sobre a situação da abertura na Dinamarca. Além disso tudo, giramos pelo mundo, a semana na História, peões da semana e dicas culturais abrindo mais um ano da sua revista de política internacional em formato podcastal!

Você nem sempre tem tempo, mas precisa entender o que acontece no Mundo, ainda mais porque o planeta está uma zona. Toda semana, Matias Pinto e Filipe Figueiredo trazem pra você as principais notícias da política internacional, com análises, críticas, convidados e espaço para debate. Toda sexta-feira você se atualiza e se informa.

Graphic Novel The Borgias, de Alejandro Jodorowsky

Filme Munique: no limite da guerra

Artigo Histórias e cosmologia indígenas no Popol vuh, livro maia-quiché, de Eduardo Natalino dos Santos

Entrevista com Eduardo Natalino dos Santos: “História indígena: desafios e perspectivas”

Coluna Desemprego em Portugal cai para 5,9%, o menor valor em 19 anos, por Giuliana Miranda

Matéria Espanha revoga reforma trabalhista para ‘resgatar direitos’, por Paulo Donizetti de Souza

Matéria Espanha aprova nova reforma trabalhista com votação apertada, por Michele de Mello

Matéria Entenda a revisão da reforma trabalhista na Espanha, inspiração para Lula e PT, por André Shalders e Davi Medeiros

Matéria Ministra da Espanha diz que vai discutir com Lula reforma trabalhista, por André Shalders

Fronteiras Invisíveis do Futebol #4 – Ucrânia – Parte 1

Fronteiras Invisíveis do Futebol #4 – Ucrânia – Parte 2

Nerdologia História A civilização maia

Matéria Nova crise política opõe peronistas na Argentina, por Sylvia Colombo

Matéria Incerteza a dias das eleições na Costa Rica, por Federico Ruiz

Declaração Presidencial Conjunta dos Presidentes da República Federativa do Brasil, Jair Messias Bolsonaro, e da República do Peru, José Pedro Castillo Terrones

Matéria Congoleses como Moïse estão entre imigrantes mais mal remunerados no Brasil, por Mayara Paixão

Música de Encerramento Monólogo ao Pé do Ouvido (Vinheta) / Banditismo por uma Questão de Classe (Vinheta), com Chico Science e Nação Zumbi

Playlist das músicas de encerramento do Xadrez Verbal no Spotify

Canal do Xadrez Verbal no Telegram

Minutagem dos blocos, cortesia dos financiadores do Xadrez Verbal

  • 00:01:30 – Giro de Notícias #01
  • 00:13:35 – Coluna Aberta: Velho Continente
  • 01:12:15 – Efemérides: A Semana na História
  • 01:22:35 – Match: Especial Coronavírus, com Atila Iamarino
  • 02:05:40 – Xeque: Bacia do Pacífico
  • 03:25:55 – Giro de Notícias #02
  • 03:37:05 – Peões da Semana
  • 03:40:00 – Sétimo Selo
  • 03:49:55 – Música de Encerramento

Ouça o podcast aqui ou baixe o programa (clique com o botão direito do mouse e use a opção “Salvar como” para baixar)

Você também pode assinar o podcast via RSS ou no iTunes, além, é claro, de acompanhar o blog.

A revista de política internacional do Xadrez Verbal é feita na Central 3, que está no Apoia-se

Filipe Figueiredo é tradutor, estudante, leciona e (ir)responsável pelo Xadrez Verbal. Graduado em História pela Universidade de São Paulo, sem a pretensão de se rotular como historiador. Interessado em política, atualidades, esportes, comida, música e Batman.
Como sempre, comentários são bem vindos. Leitor, não esqueça de visitar o canal do XadrezVerbal no Youtube e se inscrever.

Acompanhe o blog no Twitter ou assine as atualizações por email do blog, na barra lateral direita (sem spam!)

E veja esse importante aviso sobre as redes sociais.

Caros leitores, a participação de vocês é muito importante na nova empreitada: Xadrez Verbal Cursos, deem uma olhada na página.

14 Comentários

  • Diogo Maia de Carvalho

    Bom dia, boa tarde, boa noite pra todo mundo.

    Excelente programa, como sempre. Passando aqui só para comentar que essas efemérides sobre os maias sempre me lembram a época do colégio, pois nas aulas de História, quando a professora falava sobre o povo maia, sempre rolava alguma piadinha por conta do meu sobrenome. Então, a todos os maias do Brasil, a minha solidariedade por terem aguentado piadinhas no colégio.

  • Oi, Filipe.

    O senhor esqueceu da principal questão da abertura das olimpíadas, que foi o fato da atleta que pôs a tocha olímpica, a Dinigeer Yilamujiang, em conjunto com o chinês, pertence à etnia uigure.

  • Olá Matias e Filipe!

    Programa sensacional como sempre e, só sendo o beletrista chato, quando vocês citam o nome de Oswald de Andrade, a pronúncia correta é Oswáld, e não Ôswald, como a maioria das pessoas pressupõe.

  • Ainda vou ouvir o episódio. Mas eu fico espantado que o Brasil não seja uma potência no Curling. Um esporte que teria tudo pra ter nascido por aqui. E tem toda característica de brincadeira de rua.

  • João Vinícius Morais

    Ótima lembrança da semana de arte moderna. Daria um ótimo tema de programa.

  • Oi.
    Quero contribuir com o projeto da equipe.
    Como faço para apoiar financeiramente o Xadrez Verbal?

  • Olá, Filipe e Matias!
    Sou ouvinte nova, então não sei bem se isso entra como uma efeméride, mas caso seja, acredito que teria sido interessante comentar sobre os 70 anos da coroação da Rainha Elizabeth II do Reino Unido, que foram completados no dia 6 de fevereiro.

  • Bom crepúsculo, meus queridos Filipe e Mathias!

    Obrigado pelo grande resumo sobre as manifestações em Ottawa. Pra variar, muito tem sintetizado! Agora, dizer que não cabem 10.000 caminhões em Ottawa, aí não, né? ahahah. Essa foi a primeira discussão que tivemos quando soubemos que o comboio estava vindo pra cá.
    – O centro da cidade, na região próxima ao parlamento (onde estão os manifestantes) tem 60km de ruas.
    – O comprimento médio de um caminhão com a carreta é de 22m;
    – Se considerarmos somente o centro, tá certo. Não caberiam todos esses caminhões. Só que os limites municipais da cidade tem 2.700 km2, maior que a cidade de São Paulo

    Piadas a parte, no decorrer destas últimas duas semanas muita coisa tem acontecido. Pra resumir:
    – O prefeito de Ottawa, Jim Watson, declarou estado de emergência na cidade e
    – Policiais armados foram deslocados para remover instalações provisórias que tinham sido instaladas nas imediações do parlamento
    – O financiamento pelo GoFundMe (que já tinha atingido $10 mi) foi cancelado com o argumento de que o movimento havia tomado uma postura que vai contra os códigos de uso da plataforma
    – Um ação coletiva movida pelos moradores da região do centro de Ottawa contra a organização do movimento, no valor total de $9.8 milhões. As alegações são de que as buzinas dos caminhões que ficam incessantes durante o dia inteiro teriam causado danos à saúde mental dos moradores, envolvendo muitos idosos, crianças e animais de estimação

    Falamos bastante sobre a manifestação, sobre história das manifestações no Canadá e do direito de manifestação no episódio de #4 do nosso novo podcast (não vou postar o link aqui porque não tô fazendo spam).

    Como sempre, parabéns pelo programa e obrigado pelo excelente trabalho!

    Masaru e Paulo

    P.S.: Qannuck ser a versão canadense do QAnon me fez gargalhar

  • Olá, Filipe e Mathias!! Agradeço por sempre colocarem as notícias em cenários complexos que não encontramos nos noticiários convencionais. A parte da manifestação dos caminhoneiros (e NÃO caminhoneiros) no Canadá foi mais um exemplo.
    Gostaria de pedir, se possível, que diante do recente (absurdo) acontecido com um certo podcaster, vcs fizessem um apanhado geral sobre grupos no mundo que abertamente apoiam ideologias nazistas. Grata!!

  • Salve pessoal.
    Eu queria fazer um comentário bem pontual. Nas Efemérides, quando estavam falando sobre o calendário Maia, o Filipe disse que os Nórdicos não tinham o hábito da escrita. Nórdico é um termo que usamos para um grupo do Germânicos do norte da Europa que participaram da “terceira onda” das invasões “bárbaras”, quando Roma já tinha acabado. As vezes escutamos que Roma foi conquistada por povos que nem se quer conheciam a escrita, mas isso não é verdade. Como o Filipe mencionou, eles nâo tinham o hábito da escrita, mas eles não só sabiam que outros povos usavam escrita, como eles mesmos tinham seu sistema de escrita. O sistema de escrita Germânico chama-se Futhark e é as runas que vemos nas obras de J.R.R. Tolkien e comumente relacionoams a divinação. Acredita-se que o alfabeto rúnico, ou Futhark, tenha vindo dos alfabetos italianos (já vi dizerem que veio dos etruscos ou dos romanos, depois que César conquistou a Gália o mundo romano passou a ser mais próximo do mundo Germânico). Ao longo do tempo esse sistema passou por mudanças e também é importante notar que o mundo Germânico era bem diverso e não haviam instituições normatizadoras como hoje; cada grupo em cada região usava do seu próprio jeito. Aqueles Germânicos que faziam parte dos exércitos romanos na Crise do século III usavam o que hoje chamamos de Futhark Velho (ou Anitgo). Os Nórdicos da Era Viking, ou do interior de onde hoje é Alemanha/Polônia, como a Pomerânia, usavam o Futhark Jovem (ou Novo). Os Germânicos que migram para as Ilhas Britânicas no fim do Império Romano utilizavam as runas Anglo-Frisias (ou Anglo-Saxonicas. Se não me engano se translitera Futhorc). Além dessas, ainda têm as runas medievais, que são mais recentes e datam de uma época em que esses povos já usavam o alfabeto latino. Vale lembrar também que a maioria da população era iletrada, ou seja, as pessoas sabiam que existia, mas poucos sabiam usar. Em muitas sociedades antigas a comunicação se dava através de imagens, mesmo que tivessem algo escrito, como vemos nas paredes de templos e palácios Egípcios, ou moedas e mosaicos Romanos e, claro, as pedras rúnicas que os Germânicos erigiam. Outras culturas também são mal entendidas em relação a isso. Nos Comentários sobre a Guerra Gálica, de Júlio César, ele comenta que os Helvécios (se não estiver enganado) têm sua própria escrita, mas usam ela para fins religiosos/culturais, enquanto usavam a escrita grega para fins administrativos (lembrando que os Gregos fundaram colônias no sul da Gália e não eram desconhecidos dos Gauleses).

    Enfim, é um tema que tem muita coisa pra conversar. Resolvi escrever isso porque, apesar de não ser o foco do programa, acho interessante compartilharmos esse tipo de coisa. Para quem tiver interesse no Nórdico Antigo e nas Runas, eu recomendo o Professor Jackson Crawford, e Arith Harger. Sobre o Inglês Antigo, recomendo Simon Roper. Para Linguística Histórica em geral, incluindo memes, recomendo ABAlphaBeta. Todos tem canais no YouTube, não vou colocar link para evitar problemas com a publicação do comentário. É isso, obrigado pela atenção.

  • Olá Filipe e Matias!
    Uma dúvida: o Putin é acusado de fraudar eleições, inclusive a dos EUA. Será que o ‘jênio’ do nosso presidente tem interesse absurdo em encontrar o presidente russo com o intuito de pedir alguma colaboração para fraudar as eleições daqui?

Deixe uma resposta para Elizabeth Mariya Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.