Correção e recursos da prova de História mundial do CACD 2020/2021

Alunos e alunas, pessoas que me acompanham aqui. Sou professor de História Mundial para candidatos ao Concurso de Admissão à Carreira Diplomática. Seguem alguns comentários sobre a prova de hoje, item por item, com eventuais sugestões para recursos. Lembrando que cada prova possui uma ordem diferente de questões, então, por isso, faço um breve preâmbulo em cada item; confira a ordem da sua prova com cuidado para evitar sustos. 

Na avaliação geral: foi uma prova relativamente simples, mas muito mal formulada e redigida, com um surreal item feito no copia e cola. O meu número de discordâncias com o gabarito também foi habitual, em parte por itens com grafias ambíguas/confusas, em parte por preciosismo desse que vos escreve. 

A seguinte resolução segue a ordem do caderno de prova tipo D. Você pode baixar os cadernos de prova e os gabaritos no site da banca organizadora.

Estes são os primeiros comentários, mais rápidos, e esse post será atualizado e aprofundado progressivamente. Os meus comentários estão em itálico. 

Atualização: 23:02 do dia 13 de junho, estou com o gabarito em mãos e vou complementar, sempre introduzido em negrito. 

Atualização 2: 17:11 do dia 14 de junho, com mais uma sugestão de recurso.

Questão 55 – “Concerto europeu” é um termo genérico usado para designar a ordem multipolar de relações internacionais, estabelecida na Europa depois do Congresso de Viena (1814-1815), a qual passou por diferentes fases e modificações até colapsar completamente com o advento da Primeira Guerra Mundial.

A respeito dessa ordem, julgue (C ou E) os itens a seguir.

1 O Congresso de Viena foi fundamentado doutrinariamente em três princípios políticos: o de legitimidade, o de equilíbrio e o de intervenção. O primeiro se referia à restauração das fronteiras modificadas pelas guerras napoleônicas. O segundo dizia respeito ao direito de as casas reais derrocadas por Napoleão recuperarem os respectivos tronos nacionais. O terceiro tratava da prerrogativa das potências continentais de intervir unilateralmente em outras nações, desde que estas representassem uma ameaça a seus territórios.

Os três princípios consagrados em Viena foram de Legitimidade, Restauração e solidariedade; esse último pode ser interpretado como um eufemismo para “intervenção”. Ainda assim, a explicação de cada um dos princípios está errada. Item E

2 A Santa Aliança foi uma coligação política e econômica internacional, de caráter conservador e feudalista — fomentada pelos governantes das dinastias Hohenzorllern, Romanov e Habsburgo -, que combateu, ao longo do século 19, os ideais liberais com relativo sucesso, como no caso do movimento pela independência da Grécia.

A Santa Aliança não tinha caráter econômico e nem era “feudalista”. Além disso, a independência grega não tinha relação com o congresso de Viena. Finalmente, a dinastia prussiana Hohenzollern foi grafada de maneira errada e erros de grafia já justificaram recursos em provas anteriores. Item E 

3 Com os acontecimentos da Primavera dos Povos, o sistema acordado em Viena teve seu primeiro grande choque, representado especialmente por conflitos nacionalistas. Um exemplo disso foi a Primeira Guerra de Independência Italiana (também conhecida como Guerra Austro-Piemontesa ou Guerra Sardo-Austríaca), que colocou em causa o desenho das fronteiras estabelecidas em 1815.

O sistema de Viena teve seus primeiros desafios com a onda revolucionária da década de 1820, como em Portugal e a invasão da Espanha para encerrar o Triênio Liberal. Item E

Temos a primeira discordância: O grande problema dessa prova foi a ambiguidade e a falta de precisão. O que é um “primeiro grande choque”? Os choques anteriores foram menores? O Congresso de Verona, em 1822, e a questão do Triênio Liberal espanhol não foram um choque, um desafio ao acordado em Viena? E não faltam exemplos para o candidato que desejar recursos, como França e Bélgica em 1830, a repressão russa na Polônia no mesmo ano e a guerra civil lusa. Talvez pedir uma anulação tenha mais resultado do que uma reversão de gabarito.

4 Apesar do impacto nas relações internacionais causado pela unificação da Alemanha em 1871, Guilherme I e Otto von Bismarck lograram revitalizar o Concerto Europeu com sua Kontinentalpolitik, que objetivava manter a ordem multipolar e o equilíbrio continental. A despeito de tratarem de assuntos extracontinentais, o Congresso de Berlim (1878) — que tinha como tema os Bálcãs — e a Conferência de Berlim (1884-1885) — centrada na partilha da África — enquadram-se nesse esforço. Em contraste, a Weltpolitik de Guilherme II e Bernhard von Bulow foi um dos fatores fundamentais da crise terminal do Sistema de Viena.

Embora use o pouco comum termo Kontinentalpolitik, em contraste ao mais utilizado Realpolitik para se referir à Ordem Bismarckiana, o item está, em essência, correto, já que o engajamento de Bismarck nas conferências citadas era o de evitar que crises regionais ganhassem contornos de guerras deflagradas. Item C

Questão 56 – Acerca da bipolaridade nas relações internacionais no período posterior à Segunda Guerra Mundial. julgue (C ou E) os itens a seguir.

1 O chamado “longo telegrama” de George F. Kennan, remetido da embaixada norte-americana em Moscou ao Departamento de Estado em 1946, ajudou a fundamentar a estratégia dos Estados Unidos da América (EUA) com relação à União Soviética durante a primeira fase da Guerra Fria.

O item talvez cause confusão pois o documento foi publicado apenas em 1947, anonimamente, mas é datado de 1946. Item C

2 O Plano Marshall consistiu na doação de recursos financeiros, a fundo perdido, para a reconstrução da Europa devastada pela guerra. Para gerenciar tais recursos, foi criada a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico, da qual estavam excluídos os países que se mantiveram neutros durante o conflito, como Suécia, Turquia, Portugal e Grécia.

O Plano Marshall não era nem “a fundo perdido”, antes da OCDE tivemos a OCEE, e ela não excluiu os países citados. Item E

3 O antagonismo estratégico entre os EUA e a União Soviética durante a Guerra Fria levou a graves e inconciliáveis divergências entre os dois países no Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU), como foi o caso quando da criação do Estado de Israel e da crise no Canal do Suez.

As duas superpotências estiveram do mesmo lado nas crises citadas, item E

4 As conversações entre os EUA e a União Soviética que levaram ao Tratado de Não Proliferação Nuclear (TNP) ganharam especial impulso depois que a crise dos mísseis em Cuba foi superada. No entanto, somente em 1968, chegou-se a um termo definitivo de acordo, do qual alguns países ainda não são signatários, como a Índia e Israel, por exemplo. Entrada a década de 1970, a tendência do TNP foi reforçada com os acordos SALT e SALT II.

A origem do TNP não está nas duas superpotências, mas nos pequenos países europeus, como Irlanda e Países Baixos. Além disso, o SALT II nunca entrou em vigor. Item E

Temos a segunda discordância: O item veio como C, o que não faz sentido. Mesmo se quisermos ignorar o fato de que a origem do TNP não está nas superpotências e alegue-se que elas foram necessárias, o item cita um acordo que nunca entrou em vigor como parte de “reforço” de “tendência”.

Questão 57 – Considerando as realidades na África e na Ásia durante a Guerra Fria, julgue (C ou E) os itens a seguir. 

1 O movimento pan-africanista originou-se em ambiente anglófono no começo do século 20, tendo como líderes destacados o norte-americano William Du Bois e o jamaicano Marcus Garvey. O movimento Negritude, diferentemente, foi criado em ambiente francófono, tendo à frente personalidades como o haitiano Aimé Césaire e o senegalês Leopold Sédar Senghor. Apesar de suas diferenças e das origens afastadas, ambas as iniciativas foram inspiradoras do processo de descolonização da África subsaariana na segunda metade do século 20.

Item difícil e que pode gerar debate. A origem do pan-africanismo pode ser colocada como anglófona, já que a primeira conferência pan-africana foi em Londres, mas o componente francófono do movimento não era desprezível e é difícil fazer uma completa separação. Um dos primeiros congressos do movimento foi justamente em Paris. O Negritude foi, em essência, francófono e intelectual. Não há dúvidas da importância de ambos na descolonização. Item provavelmente C, mas, repito, pode dar debate.  

Recurso: Foi chamada a atenção no Facebook para o fato de que Aimé Césaire não era haitiano, mas martinicano, o que deixaria o item objetivamente errado.

2 A Conferência de Bandung (Indonésia, 1955), que fundou oficialmente o Movimento dos Países Não Alinhados, teve relativamente pouca importância para a luta anticolonial na África porque seu objetivo cera basicamente promover a descolonização dos países asiáticos. Somente com a Cúpula do Cairo (Egito, 1964), as questões africanas ganharam efetiva atenção do Movimento Não Alinhado.

O Movimento dos Não-alinhados é fundado em Belgrado, em 1961, item E.

3 O Partido do Congresso Indiano, fundado ainda no século 19, foi a principal força motriz da independência da Índia em 1947. Seu programa previa a constituição de uma nação multirreligiosa, o que não foi aceito pela Liga Muçulmana, promotora da cisão paquistanesa.

O item faz um apropriado resumo de questões ideológicas no processo de independência e partição do antigo Raj britânico, item C

4 A campanha do “Grande Salto Adiante” (1958-1960) foi uma das maiores iniciativas econômicas da República Popular da China, promovendo, em poucos anos, uma rápida industrialização do país, bem como sua relativa autossuficiência alimentar. Em função desse sucesso, Mao Tsé-tung lançou posteriormente a Revolução Cultural para aprofundar a cultura socialista no país.

O Grande Salto Adiante causou escassez de alimentos e insegurança alimentar, com estimativas de milhões de mortes em consequência. Item E

Questão 58 – Para os escritores românticos, confrontados com o sucesso público de seus escritos, a distinção entre a celebridade e a glória é um tema recorrente. Quando da morte de Byron, John Clare publica uma vibrante reflexão a respeito da “popularidade” dos escritores, fundada na convicção de que esta não é a glória verdadeira, de que o “clamor sonoro dos elogios públicos” nem sempre anuncia uma fama eterna.

LILTI, Antoine. 4 invenção da celebridade. Trad. Raquel Campos. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2018, p. 355, com adaptações.

Considerando o texto mencionado como referência inicial, julgue (C ou E) os itens a seguir

1 No movimento romântico, prosperou uma visão de mundo anti-idealista, cosmopolita e adversa ao gosto clássico, estruturando a filosofia que fez emergir uma cultura da celebridade artística e intelectual na Europa do século 19.

O Romantismo era, em essência, idealista e buscava referências no passado. Item E

2 A noção de sucesso literário era ambivalente entre escritores românticos, visto que um reconhecimento inicial calcado na popularidade podia ser associado ao temor de que não viesse acompanhado de glória póstuma. Goethe exemplifica bem essa ambivalência, pois, ainda jovem, tornou-se uma celebridade europeia, passando, desde então, a refletir acerca de sua imagem literária.

O item é, sob certa medida, respondido pelo texto introdutório, daí a importância de uma leitura cuidadosa da prova, mesmo que sob nervosismo. Item C

3 A celebridade feminina era frequentemente desabonada. No caso de mulheres letradas, a exposição pública ameaçava valores de honradez e de pudor, levando à adoção de pseudônimos, entre outras estratégias literárias. Apesar disso, era possível que uma autora conquistasse legitimidade.

Jane Austen e Mary Shelley são exemplos de escritoras mulheres que conquistaram legitimidade apesar dos percalços do período, corretamente apontados no item. Por exemplo, Jane Austen não assinava suas obras com seu nome. Item C

4 Do ponto de vista da música, o movimento romântico não alcançou significativa popularidade e permaneceu vinculado aos circuitos aristocráticos que valorizavam o modelo do recital individual, o virtuosismo instrumental e a discrição dos compositores a quem se atribuía reputação.

Item capcioso, já que essa resposta pode ser dada como correta ao pensarmos na França, e errada, ao pensarmos nos territórios alemães. Faltou um recorte mais apropriado e pode-se entrar com recurso. Acredito que o gabarito será E

Questão 59 – Acerca do liberalismo no século 19, julgue (C ou E) os itens a seguir.

1 No século 19, a ascensão de regimes políticos liberais deu-se de várias formas. Nos Países Baixos e na Inglaterra, as ideias liberais foram acolhidas por meio de reformas. Contudo, em outros territórios como a França, as transformações políticas e sociais por elas inspiradas ocorreram pela via revolucionária.

Item em essência C, fazendo referência às revoluções francesas de 1830 e de 1848. 

2 Na Áustria, os movimentos revolucionários de 1848 lograram uma série de vitórias consolidadas nos anos subsequentes. Entre elas, destacou-se a elaboração de uma nova Constituição, mas não a liberdade de imprensa, somente instituída em meados do século 20.

Embora os movimentos revolucionários do império austríaco tenham conseguido vitórias em 1848, como as citadas, é difícil falar que elas foram “consolidadas”. Na verdade, foram efêmeras. Além disso, a liberdade de imprensa não é instituída apenas em meados do século XX. Item E

3 Os defensores de regimes políticos liberais pressionavam pela abertura nas modalidades de participação política, o que levou a contestações do ideal restritivo do modelo representativo. No caso inglês, as décadas de 1840 e de 1860 sinalizaram para a instituição de uma vida política de abrangência nacional, testemunhada pelas campanhas que resultaram na aprovação de medidas antiprotecionistas e do sufrágio universal.

No Reino Unido, as campanhas públicas muitas vezes tinham caráter protecionista e o sufrágio universal chega apenas em 1918. Item E

4 Na Bélgica, a evolução do partido liberal foi acompanhada de uma intensificação do processo de laicização, o que se nota com a determinação da abertura obrigatória de escolas públicas, iniciativa do gabinete de Frére-Orban firmemente combatida pelo clero católico.

Item obscuro, a boa e velha “cota da banca”. Embora o candidato possa pensar que os partidos liberais eram, em geral, laicos, o que está correto e, no caso da Bélgica, leva à chamada Guerra Escolar, a citação específica de um gabinete belga gera dúvida e insegurança. O item, em geral, está C 

Questão 60 – Com relação à república de Weimar, julgue (C ou E) os itens a seguir.

1 O período foi caracterizado pelo recrudescimento do antiparlamentarismo, o que se explica, entre outros fatores, pela herança antiparlamentar do império, pela rigidez da disciplina partidária, pelo refluxo dos partidos fundadores da república e por denúncias das limitações do Parlamento perante as demandas sociais.

O item faz um resumo em princípio correto sobre a crise representativa de Weimar, item C

2 A Constituição de Weimar consagrou um modelo inovador, exemplificado pelos mecanismos de eleição direta do presidente, pela organização de referendos de iniciativa popular e pela possibilidade de que decisões do Parlamento fossem questionadas também por referendo. Contudo, o texto constitucional não envolveu temas considerados polêmicos no período, a exemplo do sufrágio feminino.

A Constituição de Weimar previa o voto feminino, item E

3 No plano partidário, os social-democratas defenderam o regime parlamentar e aceitaram que fosse instituída uma presidência eletiva. Por outro lado, os liberais mostraram-se abertamente contrários à constituição de uma forma de governo dualista, pois consideravam-na tão danosa quanto uma monarquia constitucional.

O item está redigido de forma ambígua, mas se refere a chamada Coalizão Weimar. Nesse processo, sociais-democratas e liberais não eram grupos coesos, com rachaduras. Provavelmente o item virá como C, mas, novamente, permite debate. 

Temos outra observação: O item veio como E, num item redigido de forma ambígua.

4 Os poderes presidenciais foram progressivamente ampliados, admitindo-se a possibilidade de que diversas matérias fossem regidas por decretos de urgência. O contexto de crise econômica contribuiu para justificar tais iniciativas, muito acentuadas entre 1928 e 1930, sob a atuação do chanceler Franz von Papen.

O item pode ter assustado algum candidato mais nervoso ou mais cansado, mas Franz von Papen é mais lembrado por seu papel na ascensão de Hitler e dos nazistas. Ele não era chanceler no período citado, da crise de 1929. Item E. 

Questão 61 – Considerando as ondas revolucionárias que marcaram o século 19 europeu, julgue (C ou E) os itens a seguir.

1 Evitar uma segunda Revolução Francesa ou, ainda, a catástrofe pior de uma revolução europeia generalizada, tendo como modelo a francesa, foi o objetivo das potências que gastaram mais de 20 anos para derrotar a primeira. E, mesmo assim, nunca, na história da Europa e poucas vezes em qualquer outro lugar. o revolucionarismo foi tão endêmico, tão geral, tão capaz de se espalhar por propaganda deliberada como por contágio espontâneo.

Item surreal! É literalmente um copia e cola de Hobsbawm, sem alteração alguma! Página 127 do A Era das Revoluções: Europa 1789-1848. Item C

2 Os movimentos revolucionários iniciados em 1830 não se limitaram à França e à Polônia, tendo desempenhado papel relevante na emancipação belga frente aos Países Baixos.

A católica Bélgica se separa do protestante Reino Unido dos Países Baixos em 1830, item C.

3 As revoluções de 1848 assinalam o ponto culminante dos movimentos liberais e nacionais, produzindo não só os levantes de fevereiro na França, mas também grandes surtos revolucionários nos territórios que futuramente vieram a compor os Estados nacionais italiano e alemão.

Item faz um resumo apropriado, C. 

4 A última grande revolução burguesa do século 19 europeu foi a Comuna de Paris. Esse marco político radical francês, ocorrido na esteira da guerra franco-prussiana, selou a derrota das forças reacionárias e consolidou a hegemonia da burguesia liberal na França.

É difícil falar da Comuna de Paris de 1871 como uma revolução burguesa e ainda mais difícil falar em derrota de forças reacionárias, já que a comuna foi esmagada. Item E

Questão 62 – Acerca da história política, econômica e social dos Estados Unidos da América (EUA) no século 19, julgue (C ou E) os itens a seguir.

1 A doutrina do Destino Manifesto pode ser definida como a ideologia nacional que justificava interna e externamente a expansão em larga escala dos EUA.

Item, em resumo, C

2 O Homestead Act (1862), que autorizou a distribuição de terras a estrangeiros, contribuiu significativamente para a atração de imigrantes europeus e para a ocupação do território a oeste das antigas 13 colônias britânicas.

Homestead Act beneficiava cidadãos dos EUA, mesmo que nascidos no estrangeiro mas, ainda assim, cidadãos. Item E

Temos nova discordância: Nesse caso bem objetiva. O candidato que desejar entrar com recurso pode citar o próprio texto do Homestead Act, que deixa explícito que o documento se aplicava aos cidadãos dos EUA, não a estrangeiros. No site do Arquivo Nacional dos EUA ou no Our Documents.

3 A Guerra de Secessão marcou o encerramento de um ciclo longo da história dos EUA. A partir de 1865, o país vivenciou uma nova fase de desenvolvimento, calcado na superação dos antagonismos sociais e raciais, no trabalho livre e na democracia liberal.

O item pode gerar controvérsia, já que repete um discurso oficialista. É muito difícil falar em superação de antagonismos raciais, ao menos até o Movimento dos Direitos Civis, em 1964. Provavelmente o item virá como C

Mais uma vez: Prova muito mal redigida, permitindo ambiguidades numa fase que deveria ser objetiva, de certo ou errado, não permite argumentação. O item veio como E.

4 A economia dos EUA após a Guerra de Secessão fundamentava-se na exploração de recursos naturais de um país de dimensões continentais, na consecução de uma moderna infraestrutura produtiva, na expansão da produção agrícola e na implementação de uma política comercial protecionista.

Resumo apropriado do período do Billion Dollar Country, item C

Questão 63 – O período delimitado entre as duas guerras mundiais foi fortemente marcado, entre outros elementos, pela crise econômica eclodida em 1929. A esse respeito, julgue (C ou E) os itens a seguir.

1 A Grande Depressão determinou a retração do liberalismo econômico por cerca de meio século. 

Item extremamente vago. Onde? “Cerca de”? Por exemplo, o Nixon shock, que encerra as políticas de Bretton Woods nos EUA, é de 1971. Isso é “cerca de” meio século numa conversa informal, não numa alternativa de certo ou errado. O item provavelmente virá como C, mas deveria ser anulado.

2 Uma das principais consequências econômicas da Grande Depressão foi o abandono do padrão-ouro pelos países ocidentais.

Item C.

3 No contexto latino-americano, a Grande Depressão estimulou a ampliação da produção industrial, com vistas a substituir as importações fortemente afetadas pela crise internacional. Esse processo. contudo. enfrentou limitações decorrentes da retração do fluxo de capitais estrangeiros.

Item, em suma, C.

4 O trauma da Grande Depressão foi realçado pelo fato de que um país que rompera clamorosamente com o capitalismo não ficou imune à crise: a União Soviética, embora em níveis menos dramáticos, também experimentou retração da própria economia.

Item E, já que a URSS teve crescimento econômico no período. 

Questão 64 – A respeito dos processos de unificação da Itália e da Alemanha, julgue (C ou E) os itens a seguir.

1 A unidade italiana, tentada pela sublevação popular, fracassou com os levantes de 1848, os quais sedimentaram, na península italiana, a centralidade da participação operária verificada na estratégia de unificação conduzida pelo Conde de Cavour nas duas décadas seguintes.

Item E, já que a centralidade do protagonismo da unificação foi das forças estatais, especialmente do reino do Piemonte-Sardenha. 

2 Em contraste com o processo de unificação alemão, a unidade italiana destaca-se por ter resultado de um processo eminentemente pacífico, derivado de uma atuação diplomática alicerçada no apoio das potências europeias.

A unificação italiana envolveu três guerras, item E. 

3 A Alemanha unificada surgiu como a maior potência da Europa continental, dispondo de elevado poderio militar e econômico. A emergência desse novo ator representou a ruptura definitiva com o equilíbrio de poder alinhavado no Congresso de Viena.

As unificações tardias significaram o principal desafio ao Concerto Europeu, item provavelmente C

4 Os processos de unificação italiana e alemã foram fortemente influenciados pelas ideias liberais típicas do século 19.

Item dúbio já que, embora as ideias liberais tenham influenciado os processos de unificação, não foram as forças protagonistas desses processos. Item E, mas cabe debate

Questão 65 – A história da Revolução Francesa deve seu status particular ao fato de ser a narrativa de um acontecimento: afirmação do tempo curto, de uma subversão total, em menos de 10 anos, de todo um edifício político, institucional e social de longa data.

VOLELLE, Michel. 4 Revolução Francesa, 1789-1799. São Paulo: Editora Unesp, 2012, p. 1, com adaptações.

Considerando a radical ruptura mencionada no trecho apresentado, julgue (C ou E) os itens a seguir.

1 A Revolução Francesa representou a cisão política, social e cultural com as bases do Antigo Regime e muitos de seus líderes foram inspirados pelo pensamento iluminista.

Antes de tratar dos itens especificamente, gostaria de frisar que a questão errou a grafia do nome de Michel Vovelle, caso alguém queira forçar a barra e pedir anulação. O item está, em essência, C.  

2 Ao longo do processo revolucionário, nota-se a sucessão de diferentes lideranças sociais e políticas, com especial destaque para os jacobinos, responsáveis pela abolição dos privilégios feudais em 1789.

A abolição do feudalismo veio com os Decretos de Agosto, durante a constituinte, antes do domínio jacobino, item E. 

3 As consequências da Revolução Francesa fizeram-se sentir não apenas no continente europeu. Foram importantes também, por exemplo, nos processos de independência da América Latina, que, a despeito de suas peculiaridades sociais, políticas e econômicas, foram fortemente impactados pelos acontecimentos franceses.

Item, em essência, C. 

4 A Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, de agosto de 1789, expressa preocupações universais, visto que é aos homens de todos os tempos e de todos os países que se dirige essa proclamação de direitos naturais e inalienáveis. Seu impacto se fez sentir nas primeiras cartas constitucionais da América Latina e dos Estados Unidos da América.

Item com pegadinha pois, embora esteja conceitualmente correto, está cronologicamente errado, já que a constituição dos EUA precede a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão. Item E. 

Filipe Figueiredo é professor de História, fundador do site Xadrez Verbal e de seus podcasts, integrante do canal Nerdologia e colunista do jornal Gazeta do Povo, além de ter passado por outros veículos.

um comentário

  • Boa tarde, professor. Quanto ao item 63, 2, que afirma que uma das principais consequências econômicas da Grande Depressão foi o abando do padrão-ouro pelos países ocidentais, não seria correto dizer que o tal padrão foi abandonando já com a deflagração da Primeira Guerra Mundial. Foi nesta linha que realizei meu raciocínio…creio já ter lido isso em mais de uma fonte. Abraços!

Deixe uma resposta para Gabriel Chelis Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.