Sobre o autor e contato

gravatarChamo-me Filipe Figueiredo, sou graduado em História pela Universidade de São Paulo, sem a pretensão de me rotular como historiador. Interessado em política, atualidades, esportes, comida, música e Batman, com tendências groucho-marxistas.

Este site, inaugurado em 2013 como um blog, não tem intenção outra além de servir como uma forma de publicar o que escrevo. Não que o que eu pense vá ter alguma grande importância. Escrever pra si, porém, é quase um ato de covardia.

Além disso, pragmaticamente, me incentiva a escrever, ler, interagir. O tipo de coisa que nunca é demais.

A maioria dos posts serão sobre política ou atualidades, domésticas e internacionais. Outros podem ser sobre cultura, esportes, receita de bolo, o que der na telha.

Caso queira saber mais, você pode ler o que já foi publicado na categoria de textos sobre o autor e sobre o blog. Um ou outro texto é pessoal, até. Além disso, aqui estão os colaboradores, que contam com minha gratidão, que já escreveram aqui no Xadrez Verbal.

Fui também colaborador do site de política internacional Opera Mundi e possuo um blog na seção brasileira do jornal Huffington Post. Atualmente escrevo colunas de política internacional na Gazeta do Povo. Também faço os roteiros e a locução dos vídeos de História no canal Nerdologia, um dos maiores canais educativos e científicos do YouTube.

E deixo claro que essa página não tem vínculo nem expressam a opinião ou a postura de quaisquer pessoas ou instituições com as quais eu tenha, ou venha a ter, relação.

Como entrar em contato, seja pessoal, seja profissional, com o blog?

Email: contato@xadrezverbal.com

No Facebook: Xadrez Verbal

No Twitter: Xadrez Verbal

Além, é claro, dos comentários, que são sempre bem-vindos.

Filipe Figueiredo

107 Comentários

  • João Paulo Augusto Serinoli

    Olá Felipe, boa noite.
    Já escrevi sobre o que vou escrever agora, mas me sinto na obrigação de escrever novamente, pois não sei se chegou a receber a mensagem anterior.
    Apenas quero AGRADECER você e o Mathias por terem me ajudado a quebrar meu preconceito com a esquerda. Depois que descobri esse podcast e passei a ouvi-lo comecei a analisar de maneira mais madura ad relações políticas nacionais e internacionais. Hoje percebo que nenhum dos lados tem a fórmula mágica, pois o ser humano é ganancioso por dinheiro e poder, enfim.
    Hoje tenho como paradigma de idéias autores que são tão de esquerda que devem ter nascido com dois braços canhotos..rs
    Foucault, Baumam, Hobsbawn, dentre outros autores são minhas leituras obrigatórias, apesar de continuar discordando das ideias políticas e sociais da esquerda, pois acredito que seriam impraticáveis em qualquer sociedade. Enfim. Não vou me estender para não passar vergonha.
    Obrigado novamente.
    Um abraço.

    • qual preconceito eles quebraram com a esquerda? achei q era um podcast imparcial

      • imparcialidade não existe, exceto a do Bonner nos debates das eleições.
        PS: Dúvido que tu encontre a piada

      • Eu também. Apesar de ter feito o download de todos os programas do número 1 ao 174, últimamente tenho sentido uma parcialidade e a maneira com a qual o Mathias anunciou “João Messias Bolsonaro eleito presidente do Brasil em tom de gracejo” foi realmente de profundo mal gosto.
        Continuarei ouvindo e admirando o trabalho deles mas com ressalvas.

        • O Jõao Messias foi escorraçado de Nova York e o cidadão ainda não descobriu que elegeu uma vergonha mundial para representar o nosso país.

    • olá bom dia, sou o José, Brasília, comecei a ouvir o podcast, desde a semana passada, gostei muito, estava procurando de uma fonte de noticias como essa… obrigado….detalhe, enquanto escreve texto estou escutando….

    • ola amigos do xadrez verbal!
      queria deixar meu comentario em relacao ao XV 204, sobre o comentario a respeito das eleicoes na noruega. Moro na noruega ha um ano e meio, e acompanhei de perto as eleições locais e o debate popular a respeito das propostas, e apesar do comentario ter sido muito interessante, acho que as conclusão e a tese a respeito da influência da UE podem ser melhor elaboradas pra gente entender qual foi a tendencia na noruega e o que isso significa

      O primeiro ponto a ser considerado é o quanto as eleiçoes locais são um bom indicativo da tendencia para as eleiçoes nacionais, que irá compor o parlamento. Nas propostas eleitorais a discussão girou em torno de transporte público, educação, meio ambiente – mas, obviamente, num escopo local, delimitado pela politica nacional de cada tema.

      Veja, por exemplo, este novo partido chamado FNB ou “não a mais pedagios” (ver https://no.wikipedia.org/wiki/Folkeaksjonen_nei_til_mer_bompenger), um partido mono proposta que não tinha nada a dizer
      sobre nenhuma outra questão. Ele foi criado como protesto, pois nas eleicoes passadas praticamente todos os partidos se posicionaram contra os pedagios urbanos, mas não fizeram muita coisa a respeito depois de eleitos.
      Este partido obteve 17% dos votos em Bergen e expressiva votação tambem em outras grandes cidades onde há a questão do pedágio urbano.
      A ascensão do partido verde deve-se muito em parte a proposta bastante pragmáticas em relaçao a transporte publico, coleta e reciclagem de lixo – pautas em alta atualmente em especial entre os jovens
      A questão que eu levanto aqui é como os votos podem ter sido ganhos por causa de questoes pontuais e sem forte relação com a “big picture” politico-economica nacional, portanto talvez não um forte indicativo do que esperar nas eleicoes nacionais

      Outro ponto é como o xadrez verbal classificou os partidos com base em seus nomes. Temos varios partidos que mudaram de orientaçao ao longo da história mas mantiveram seus nomes.
      Temos, por exemplo, o partido Venstre (esquerda, em noruegues) que apesar do nome não é muito esquerdista. O proprio partido se classifica como centrista.
      O partido Høyre (direita, em noruegues) tambem tem um nome um tanto enganador do ponto de vista brasileiro. conservador na economia (mas nem tanto, por ser defensor do welfare state) e muito liberal nos costumes.
      O partido Senter (centro) talvez seja o mais direitista destes. Tem um espírito “brexit” contrário a acordos comerciais e de migração com a UE.
      Como voces podem ver, definir a tendencia com base nos nomes dos partidos não é muito esclarecedor.

      E pra finalizar, questiono a tese do xadrez verbal de que a noruega possa ser vista como um grupo-controle de fora da EU provando o ponto de que as tendencias nacionalistas em outros países são uma reação ao EU. Na verdade, a noruega é para todo efeito praticamente um membro da EU.
      Por ser signatária de acordos de comércio (ainda que restrito até certa medida) e principalmente de migração, por fazer parte do acordo de Shengen, tendo sido muito afetada pela crise de refugiados – pelo menos do ponto de vista de percepção social. O que explica a ascensão de partidos de direita no auge da crise, mas agora que a questão migratoria ja não monopoliza mais o debate nacional há um retorno ao estado eleitoral anterior

      Enfim, se acharam interessante e quiserem fazer algum adendo no programa que vem, fiquem a vontade – e por favor mandem um abraço pros meus amigos do “vartão | grep” de são carlos!

  • Gabriel Arthur Militzer

    Olá. 🙂

    Se for possível mande um parabéns pra minha irmã Maria Anita (Nina <3), a quem eu recentemente apresentei o Xadrez Verbal.

    A equipe dela ficou em primeiro lugar na estadual de SC da IV Olimpíada Brasileira de Geografia e vão agora p/ a fase nacional em Brasília. Ano que vem ela faz o 3 ano e está decidida a cursar RI em Brasília.

    Ela se esforça muito e estamos todos muito orgulhosos, vai atrás do seus sonhos que tu é f*** (legal pacas) Nina.

    (Essa parte n precisa falar mas ela nem completou 17 anos e é fluente em inglês e espanhol, e está estudando alemão, ainda convenço ela a fazer prova pra diplomata, sonho.)

    Gosto muito do progama, abração Felipe e Matias ❤

  • Oi Filipe e Mathias,
    comecei recentemente a ouvir o podcast e estou gostando bastante! Os temas são relevantes e o papo muito bem embasado 🙂
    Se for possível deixar uma dica… pelo amor de Deus não comecem com agradecimentos e comentários dos posts passados. Essa fórmula pode funcionar para seus ouvintes assíduos, mas é um saco para quem está querendo conhecer o podcast pela primeira vez ou ainda pra quem ouve fora de ordem. Se não tivessem elogiado e recomendado o podcast para mim tantas vezes eu sinceramente teria desistido de ouvir. Tentei passar pra frente, pois essa parte é chata e longa, mas é difícil de saber em que momento colocar para iniciar… acho que uma mudança ajudaria a conquistar novos ouvintes…
    Um beijo e muito sucesso sempre,
    Carol

  • Caro, Filipe e Mathias., bom dia, boa tarde ou boa noite….

    Meu nome é Eder Daré, tenho 41 anos. Moro em Barreiras na Bahia, conheci O Xadrez Verbal e fiquei viciado.

    Gosto muito de correr ou me exercitar ouvindo o programa.

    Parabéns, e obrigado pelo excelente trabalho.

    Forte abraço!!

  • Buenas ao dois nobres fidalgos cavaleiros, Matias e Filipe

    Sou o João Paulo Diniz, natural de São José dos Campos São Paulo. Há 8 anos moro em Canoas, RS.
    Queria contar uma pequena história da minha vida.
    Sou um Sísifo a lá brasileiro. Muitos anos atrás não usava a cabeça pra pensar políticamente. Votava no Alckmin e Serra bem como votei no Tiririca em seu primeiro mandato para ‘protesto’. Tem a noção do que é isso? Bom, com certeza vocês têm noção pois hoje, teremos o Bolsonaro como presidente em um pouco mais de um mês. Enfim. Fiz a metade do curso de administração. Trabalhei desde fazer escavações na terra para fazer fundação para concreto, à banco e até consultoria tributária. Descobri Schopenhauer e ao mesmo tempo que comecei a ter uma epifania para minha depressão (que descobri muitos anos depois), em seguida entrei para Filosofia. Deu na louca, enfiei livros na mochila e vim para o RS, onde estou até hoje. No caso, ‘larguei‘ a filosofia (academicamente falando) e meses depois que cheguei aos pampas entrei para História na PUCRS. Constitui família e tive de trancar o curso. Quase dois anos depois dei continuidade no curso, mas fui para a UNISINOS em São Leopoldo. Onde o Karnal se formou. Faltando umas 15 disciplinas para concluir o curso, fiquei doente e tive que largar por não conseguir ler. Eu parei de estudar e trabalhar, ler e desenhar. Pois com meu quadro, as dores crônicas me impossibilita a concentração.
    Ler e desenhar são minhas paixões. Só perde pelo meu amor à minha filhinha Sofia de 6 anos 8 meses 9 dias e 5 horas e 40 minutos (que é o horário que estou escrevendo esse texto em relação ao horário que ela nasceu).
    Faz duas semanas que descobri vocês, junto do Fronteiras Invisíveis do Futebol. E queria adjetivá-los com toda palavra que tange ao conhecimento e pensamento crítico (político e social), pois como falei antes, não consigo mais ler meus livros. Faz quase 4 anos. E GRAÇAS À VOCÊS, esse pedaço que falta em mim da leitura, VOCÊS ESTÃO SUPRINDO E ME AUXILIANDO.
    De coração muito obrigado. E também gostaria de deixar um grande beijo pra minha luz que é minha Filha Sofia, minha amada amiga Vitória Pfeifer e à vocês. PS: Estou deixando de ouvir até Pink Floyd, Kansas e Raul Seixas pra ouvir vocês.
    Obrigado mesmo por vocês fazerem esse trabalho.
    Obrigado e Obrigado.

  • Caríssimos…
    Sensacional o Fronteiras Invisíveis do Futebol sobre a Finlândia.
    Se acaso ajuda tardiamente, gostaria de indicar um livro de um Nobel da Literatura que é da Finlândia, Frans Eemil Sillanpaa, sua obra é Santa Miséria.
    Acho válido essa informação e indicação.
    Grande abraço com a minha mão alcançando vossas escápulas.

  • Breno Assis de Andrade

    Olá Jovens Filipe (com I) e Matias,

    Sou ouvinte do Xadrez Verbal já tem um tempo, e acredito ter encontrado uma “barrigada” da imprensa brasileira, forte candidata ao Menino Neymar… Ei-la: .

    O pior problema está na manchete, que dá a entender que Brasil “deixará” (ou seja, denunciará) uma convenção internacional que o Brasil ainda não ratificou. Meu côté jurídico se coçou com esse grave erro de terminologia, até porquê, as implicações jurídicas de denunciar um tratado internacional de direitos humanos (algo que o Brasil nunca fez) são bem maiores do que aqueles de simplesmente não os ratificar (algo que já fizemos aos montes).

    Como recompensa pelo meu achado, gostaria que vocês pedissem a nossa internacionalista favorita (Ana Luísa Demorais Campos) que respondesse ao email que mandei em 26 de Julho deste ano, intitulado “Help Me, @ONULULU, you’re my only hope”. O email é antigo, mas o conteúdo permanece atual.

    With love,
    Breno Assis de Andrade

  • Olá Matias e Filipe.
    Não sei se esse comentário será lido, tampouco se no ano de 2018 (mas também ficaria feliz se lessem em 2019). De qualquer forma, gostaria de pedir um salve a toda torcida atleticana do grande Athletico paranaense/Furacão pelo seu inédito título da Sul-americana. Não apenas o primeiro título do do CAP, como também o primeiro título internacional de renome conquistado por um clube do Paraná.
    Sei que não é o programa certo para pedir o salve, mas como já estou acostumado com o “clubismo” são-paulino e palmeirense de vocês, (essa parte é brincadeira, eheh), e por ser um ouvinte assíduo e não ser o único atleticano que escuta o programa de vocês, achei que seria válido essa lembrança para a nossa grande nação rubro-negra.
    Quero também agradecer vocês que estão me ajudando nas redações dos concursos que estou prestando.
    Grande abraço, e parabéns pelo trabalho!

  • Olá. Primeiramente, parabéns pelo podcast, que conheci recentemente e adorei. Estou ouvindo todos os episódios retrospectivamente, e no último episódio, onde falam de beisebol e críquete, mencionam um filme no qual jogadores afegãos são convidados para jogar beisebol (se entendi bem). Não consegui pegar o nome do filme, vocês poderiam informar de novo, por gentileza? Obrigado, e parabéns mais uma vez pelo excelente trabalho. Boas festas!

  • Ola Filipe. Me chamo Gil (lê-se Guil) Mildar, sou um israelense que nasceu e viveu muito tempo no Brasil. Foi uma surpresa positiva muito grande encontrar o podcast de vocês e tenho usado o mesmo para minhas idas e vindas de trem entre Haifa e Tel Aviv. Minha formação é marketing, mas sempre fui fascinado por política e história. Encontrei os dois por aqui. Vejo em algumas posições suas sobre os conflitos no Oriente Médio algumas posições que discordo. Entendo que sua visão pode estar sendo distorcida muito mais pela incapacidade de Israel saber apresentar os fatos. Somos um país focado na modernidade e nas StartUps, mas definitivamente perdemos a guerra da informação.
    Hoje estava escutando sua visão quanto à Arabia Saudita x Brasil posicionando que o motivo do embargo é político. Não concordo. O Príncipe da Arábia Saudita (Mohammed bin Salman – frio assassino e ditador) já afirmou que Israel têm direito ao seu próprio Estado. Este aceno ocorre porque ambos os países temem a influência regional de um inimigo em comum: o Irã. O dito árabe de que o inimigo do seu inimigo é seu amigo, nunca foi tão verdade. Aqui em Israel se vai mais longe, não se duvida de uma coalizão entre Israel e Arábia Saudita em uma eventual guerra contra o Irã.
    A algum tempo atrás o chefe do IDF (Exercito de Defesa de Israel), Gadi Eisenkot, deu uma entrevista para a imprensa da Arábia Saudita. Convenhamos que este não é um país que exista liberdade de expressão, sendo assim, alguém (MBS) determinou isso. Uso este exemplo para dizer que sua afirmação me parece equivocada. Infelizmente o Brasil é um país adjacente na política internacional (para ser polido), nossa visão de política internacional é sempre de curto alcance. Veja que no mesmo momento a China fecha um acordo de encerrar uma briga de dumping e os exportadores de frango brasileiros formalizaram uma proposta de estabelecer preços mínimos de exportação para as vendas para a China. Acho muito simplista a visão de “boicote”por causa da questão de Jerusalém.
    De qualquer forma, é um grande prazer ouvi-los!
    Um grande abraço
    Gil Mildar גיל מילדר

  • Olá, Felipe, Mathias…
    Sou ouvinte assiduo aqui na China de todos seus Podcasts (Xadrez e Fronteiras desde o número 1) e admiro o trabalho de vocês apesar de muitas das vezes tendenciosos mas ninguém é perfeito. Porém, eu estou sugerindo mais uma vez que vocês reavaliem o Cambito da Dama…. Realmente muito fraca…. Talvez minha inteligência não seja suficiente para acompanhar, quem sabe ? Claro que resolvo a questão, imediatamente após o anuncio do quadro, pulando 10, 12 minutos e quando ainda ouço a voz dela, acelero para ir ao Giro de Noticias. Nada pessoal, ok ? Apenas expresso minha opinião apesar de não solicitada.

    Em tempo, aqui na China eu sou consumidor voraz de paçoca Chinesa que é muito gostosa e diferente da nossa já que é folheada. Mesmo assim ainda compro a Brasileira, importada de uma emprêsa de Ribeirão Preto. Se eu tiver oportunidade, quando for ao Brasil levo e remeto a vocês.
    Abraços

  • Olá, Filipe, você viu o novo vídeo do SmarterEveryDay? Segue o link: https://www.youtube.com/watch?v=qOTYgcdNrXE&t=3s
    Um general americano falando sobre as guerras do futuro. Achei bastante interessante as informações, e o fato de o general afirmar que o próprio vídeo é uma forma de arma.

  • Olá Filipe e Mathias,
    Sou ouvinte tanto do xadrez quanto do fronteiras, faço doutorado em Eng. Civil na Universidade do Porto, Portugal. Quando fui fazer um período de 5 meses em Madrid vocês me salvavam as viagens intermináveis de Cercanias até onde eu fazia meus experimentos, demorava todos os dias 1h e 15 min de ida e o mesmo de volta. Como bom cearense, gostaria de pontuar que no último programa, o 180, vocês aquecerem de comentar que o Ceara em 25 de março de 1884 foi o primeiro estado do Brasil a abolir a escravatura, 4 anos antes da data oficial, Ceará sempre na vanguarda de muitas coisas, como a primeira mulher na academia brasileira de letras, Raquel de Queiroz e a Política Nacional de Recursos Hídricos brasileira é uma cópia das politicas que eram adotadas no estado. Atualmente estou fazendo minha mãe maratonar o Fronteiras e tentando convencer minha esposa a ouvir o xadrez. Gostaria de saber quando vocês vão fazer um Fronteiras do Ceará, já que temos os dois principais times na série A do brasileiro, Ceará e Fortaleza, o Fortaleza é o atual campeão da série B e o Ferroviario, 3º principal força do futebol cearense, é o atual campeão da série D, tirando que Fortaleza é a principal capital do nordeste e temos os caras mais inteligentes do pais, sem bairrismo é claro. Abraços continuem assim.

  • DANIEL RODRIGUES PINTO

    Olá Filipe, como vai?

    Acabo de me tornar financiador na categoria Bobby Fischer e queria saber como e onde rolam esses tais sorteios de livros e brindes. To perdido.
    Abs!

  • Apenas estou testando essa aba de comentários. or algum motivo acho que eles estão indo para Spam.

  • Olá Filipe!
    Primeiramente gostaria de lhe parabenizar pelo podcast!
    Comecei a ouvir no início do ano desde os primeiros e atualmente estou no #54, desde lá foram alguns kilos a menos, risadas e muito aprendizado.
    Agradeço pelo conteúdo.
    Sou de Pavão/MG e tento divulgar seu conteúdo por aqui.
    Abraço.

  • Prof. Rafael Sardá

    teste. fiz um comentario longo e nao sei se foi. rs

  • Prof. Rafael Sardá

    Prezado, Filipe.

    Primeiramente gostaria de agradecer a vocês pelo excelente conteúdo disponibilizado no XV e no Fronteiras. Sou ouvinte de vocês de antes do Panamá Paper pelo que me lembro. Sou trenador de Squash em Brasília-DF e os assuntos prestados em ambos os podcasts me ajudam a sempre ter assunto com meus alunos e amigos e sem contar que é sempre bom saber um pouco da história dos nossos Estados e dos mais diversos países.

    Escrevo pra trazer uma observação sobre o aumento do soft power (expressão que aprendi com voces) Chinês. Naquele serviço de streaming tem dois filmes chineses interessantes. O primeiro é o Terra à Deriva, que pelo que li foi uma das melhores bilheterias da história da China. O outro é o Sequestro no Mar Vermelho, o qual assisti por recomendação sua. Deste destaco a citação do Djibouti para onde foi enviado um soldado ferido no filme, ressaltando a factual presença chinesa na região africana como alertado há um bom tempo por vocês. Destaco, por fim, a cena final do filme que traz embarcações no Mar do Sul da China repetindo os seguintes dizeres: “Aqui é a Marinha Chinesa. Você está entrando em águas chinesas. Por favor, retorne imediatamente.” e por fim, encerrando o filme sobe um letreiro escrito: “Conquer fear, conquer all.” Se isso não é um recado pros atores no Mar do Sul da China, não sei o que mais poderia ser.

    Novamente muito obrigado e vida longa a vocês e ao XV.

  • Isabella Cavalcanti

    Olá , Filipe (com i) e Matias ( sem H), rs.
    Brincadeiras a parte, venho parabenizá-los pelo programa, comecei a ouvir o xadrez verbal no inicio do ano por indicação de um colega de trabalho e desde então troquei o spotify por vocês, que me acompanham no trânsito durante meu percusso ao trabalho.
    Há muito tempo não me mantinha tão bem informada e com tantos assuntos inteligentes, relevantes e atuais para puxar com os crush’s, rs. Um abraço e muito sucesso para vocês!
    Isabella , Brasília – DF

  • Olá Filipe! Queria deixar uma sugestão de pauta pro fronteiras invisíveis: países que têm mais de uma federação filiada à FIFA (tipo Reino Unido, França, Dinamarca, Holanda, e acho que os EUA tb)

    Abraços!

  • Olá!!!! Eu mandei na semana passada um email pra vcs. escrevi uma pequena crônica (não só mas também) em homenagem ao programa. admiro demais o trabalho de vcs e espero muito que gostem

  • Miguel de Magalhães Dauster Sette

    Prezado Filipe,
    primeiramente gostaria de parabenizá-lo pelo programa. Estudo para o Cacd, e ouvi-lo é um jeito de sempre continuar estudando, e descontrair também, mesmo quando tenho de fazer as tarefas domésticas. Sobre a Ode à Alegria de Beethoven, hino da União Euorpeia, a música, possui, na verdade, uma letra. É o poema Ode à Alegria do poeta romântico Schiller. De fato, a grande inovação de Beethoven na nona sinfonia foi colocar a voz humana em uma sinfonia, algo até então nunca realizado. A Ode à Alegria tem, ao que me parece, uma utilização política no contexto europeu mais antiga. Digo isso, pois, em 1989, um concerto da nona de Beethoven foi usado como forma de celebração da queda do muro de Berlim, quando trocou-se a palavra original do poema, ‘alegria’ (Freud), por ‘liberdade’ (Freiheit), de modo que a canção ficou algo como ‘Ode à Liberdade’ (pode ser visto nesse link: https://www.youtube.com/watch?v=IciKr8NUmKs). Aliás, o podcast ‘La banda presidencial’ recomendado pelo Mathis é muito bom; é interessante notar como é melhor do que o podcast que o inspirou, o ‘Presidential’ do Washington post. Há algum motivo específico para a historiografia argentina ser tão melhor que a americana? Por fim, gostaría de mandar um beijo para minha amada Beatriz, que também escuta o programa comigo e gosta de repetir sempre as vinhetas dos blocos.
    Um abraço,
    Miguel

  • Olá, Felipe!

    Gostaria de deixar aqui meu agradecimento a você, ao Matias e aos colaboradores pelo conteúdo de excelente qualidade. Sou repórter de economia internacional em São Paulo e ouvinte assíduo do podcast há alguns meses, e tenho aprendido muito com o olhar crítico de vocês. Sempre indico o Xadrez Verbal para colegas de redação, em particular o especial sobre o acordo UE-Mercosul, que achei extremamente informativo. Parabéns pelo ótimo trabalho!

  • Marco Aurelio Vasconcellos

    Olá FF!!
    Não sei se irá ler meu comentário, mas dane-se vou fazê-lo assim mesmo.
    Me chamo Marco Aurélio , militar da reserva aqui em Recife, e conheci o Podcast atráves do meu filho Felipe que tambem é militar e mora em Brasilia. Ele me disse que tinha um Podcast excelente, usado por amigos na atualização de assuntos para o concurso da ECEME (Escola de Comando e Estado Maior do Exército). Comecei a ouvir também e viciei.
    Hoje me considero um Podcastal fiel do Xadrez Verbal. Se possível mande um beijo pra minha esposa Ana e minha netinha Sofia lá em Brasilia.
    Abço
    Marco Aurélio

  • Olá, Filipe e Matias!
    escrevo para agradecer o conteúdo de vocês. Começo a achar que podcast como o de vocês são um prego no caixão do jornalismo vigente, que se mostra cada vez mais partidário e sensacionalista, justamente numa época em que deveríamos estar lutando contra obscurantismo e inverdades. Sei que vocês devem achar um saco quando vem um pedido dessas, mas gostaria que mandassem um beijo para minha namorada Adriana Ortiz, a quem apresentei o Xadrez Verbal e ficou mais viciada que eu. Ela ouve as edições inteiras de uma vez só, mas depois não se lembra de nada! Espero que com esse recado os fatos fiquem na memória dela hahahaha. Eu e ela fazemos aniversário na mesma semana (12 e 15 de Set), então seria um presentinho para nós dois.
    .
    Abração e bom trabalho para vocês. Em breve viro apoiador!

  • Olá Matias e Filipe ( c i) ! Adoro o programa, gostaria muito que vocês mandassem um oi pro Victor Simões, meu ex/atual, que começou a ouvir o podcast ano passado, sob minha indicação, para tentar me impressionar e ter assunto nos primeiros dates e agora escuta até mais do que eu (ele era quase um bolsominion e hoje é quase sensato.. hahaha).
    Falei com ele que um dia iria mandar um recadinho através de vocês e ele duvidou.

  • Provavelmente você já recebeu alguma promoção no formulário de contato do seu site, porém você já se perguntou: Divulgar nos formulários de contato funciona?

    Xadrezverbal, vamos responder todas suas dúvidas sobre o tema, com uma matéria completa, e resultados dos testes dos melhores softwares.

    Acompanhe: https://www.tecnoticias.com.br

    E veja se você pode ter vantagem, aproveitando deste meio de divulgação de grande impacto.

  • RAFAEL MOREIRA MOTA

    Meus caros,
    Sou advogado em Brasília. Faz alguns meses passei a escutar o Xadrez Verbal. Parabéns!! Excepcional!! A única vez que escrevi para parabenizar um programa foi em 1984, com então 7 anos. O programa “Balão Mágico” me levava a um mundo que ficava bem mais divertido! Após 35 anos, volto a querer a viajar, mas agora nesse balão do Xadrez Verbal. Super Fantástico!!! O “Plunct Plact Zum” do Xadrez Verbal viajará sem problema algum!
    Um abraço do companheiro de viagem,
    Rafael Moreira Mota

  • Bom dia.
    Ouvi o programa a respeito da Croácia e fiquei com uma dúvida.
    Que país ficou com as taças da antiga Iugoslávia após a separação.
    Obrigado e parabéns pelo trabalho, sou ouvinte e divulgador.

  • Prezados, gostaria de fazer uma pequena correção a um tópico tratado no último podcast (208).
    Foi dito que a Ex presidente do Parlamento do Equador, a Sra. Gabriela Rivadeneira, pediu refúgio na embaixada do México. Contudo, não trata-se do instituto do refúgio, mas sim do Asilo. Mais especificamente do Asilo Diplomático. No Refúgio não esta possibilidade de solicitação diplomática, em embaixada estrangeira. O refúgio é apenas territorial.
    Abraços,
    Tiago Zanella.

  • Carlos Augusto Martins

    Saudações terráqueos. manda um abraço para os alunos do doutoramento em Relações Internacionais da Universidade autônoma de Lisboa.

    Carlos Augusto Martins.
    Paranaguá-Pr
    professor com formação em história e direito

  • Boa noite a todos, particularmente a vocês, Filipe e Matias. Sou ouvinte e divulgador do seu podcast e já trouxe muitos Lusófanos para o seu programa (vivo em Utah, e há muitos Brasileiros por aquí, além de muitos Americanos que como eu foram missionários Mórmons no Brasil). E gostaria de fazer um breve comentário a respeito do assassinato cruel que houve recentemente no México.
    Somente me foi possível ouvir o seu podcast 211 hoje a noite e muito provavelmente algum outro irmão de meinha fé já deva ter mandado alguma nota para você, mas de qualquer forma gostaria de por alguns pontos as claras.
    A família que foi brutalmente executada eram membros da Igreja Fundamentalista de JesusCristo dos Santos dos Últimos Dias (FLDS em Inglês). Eles são uma parcela que creem em quase todas as coisas que os Santos dos Últimos Dias (Mormons) creem, com algumas pequenas diferenças:
    1- Eles continuam a prática da poligamia. que minha religião extinguiu no final do século passado.
    2- Eles tem crenças segregacionistas (negros não podem ter cargos ou sacerdócio, seja autoridade eclesiástica).
    3- Estes Mornons daquela parte do México são cidadãos Americanos nascidos no México. Alguns até falam bem mal o inglês, e vivem fora dos Estados Unidos pelo fato do México ser mais leniente com respeito à poligamia.
    Espero que tenha esclarecido alguns pontos para vocês.
    Se tiverem alguma dúvida, ficarei feliz em auxiliar.

    Um forte abraço e um beijo no rádio digital esquerdo do ouvinte

    Zeca S. Sant’Anna

  • Viva. Quando vai fazer um programa do fronteiras sobre Portugal? Recordo o seu comentario sobre Cristiano ser da Madeira, como se a Madeira não fosse parte de Portugal. https://www.zerozero.pt/news.php?id=268534
    Ouça este comentario do CR7 hoje sibre o Brasil e Portugal.

    Um Fronteira sobre Portugal seria interessante pois na seleçao Portuguesa tem jogadores da ex colonias num conceito de Lusofonia. Tudo resultado de termos uma historia muito rica e universal.
    Dessa historia nunca esqueçemos os” primos ” Brasileiros que tanto gostamos e valorizamos o que por vezes nâo é reciproco esse sentimento.
    Um abraço de Portugal
    Miguel Canedo

Deixe uma resposta para Bruno Santana Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.