Xadrez Verbal Podcast #177 – Eleições na Estônia, EUA e América Latina

Voltamos ao Velho Mundo! Passeamos pela Europa, começando pela Estônia, onde os cidadãos elegeram a oposição como maior bancada do Parlamento. Embora Kaja Kallas tenha tudo para se tornar a primeira mulher Premiê do país, ela ainda precisa formar uma coalizão. Aproveitamos e passamos por notícias sobre antissemitismo, a França, a Santa Sé, o acordo nuclear com o Irã, dentre outros.

Claro que voltamos para a Venezuela, onde Guaidó e Maduro continuam sua queda de braço, agora convocando protestos para o mesmo dia, amanhã! Passamos pela América Latina e pelo Brasil, com tweets bizarros e anúncios de viagens ao exterior. Passamos pelos EUA, com notícias de sua política externa e de sua política interna. Além disso tudo nós giramos pelo mundo, a semana na História, economia com a professora Vivian Almeida, peões da semana e dicas culturais fecham mais o podcast do Xadrez Verbal gravado no Dia Internacional da Mulher!

Você nem sempre tem tempo, mas precisa entender o que acontece no Mundo, ainda mais porque o planeta está uma zona. Toda semana, Matias Pinto e Filipe Figueiredo trazem pra você as principais notícias da política internacional, com análises, críticas, convidados e espaço para debate. Toda sexta-feira você se atualiza e se informa.

Dicas do Sétimo Selo e links

Site da Editora Contexto

Filme Vice

Filme Estrelas Além do Tempo

Filme Frida

Filme Alien, o oitavo passageiro

Livro ¡Academia, carajo!: Pasión, locura y secretos del título 2001, de Alejandro Wall

Texto da BBC Abhinandan: Indians emulate pilot’s ‘hero moustache’

Canal no Youtube Em Dupla com Consulta

Música de Encerramento Breathe, The Prodigy

Playlist das músicas de encerramento do Xadrez Verbal no Spotify

Canal do Xadrez Verbal no Telegram

Minutagem dos blocos, cortesia dos financiadores do Xadrez Verbal

  • 00:18:23 – Giro de Notícias #1
  • 00:33:25 – Coluna Aberta: Europa
  • 01:01:00 – Efemérides: A Semana na História
  • 01:06:20 – Match: Política Interna e Externa dos EUA
  • 01:30:10 – Xeque: América Latina
  • 02:19:45 – Gambito da Dama: Gêneros e Escolhas
  • 02:34:20 – Giro de Notícias #2
  • 02:44:10 – Peões da Semana
  • 02:45:20 – Sétimo Selo
  • 02:52:30 – Música de Encerramento

Ouça o podcast aqui ou baixe o programa. (clique com o botão direito do mouse e use a opção “Salvar como” para baixar)

Você também pode assinar o podcast via RSS ou no iTunes, além, é claro, de acompanhar o blog.

A revista de política internacional do Xadrez Verbal é feita na Central 3, que está no Apoia-se

Filipe Figueiredo é tradutor, estudante, leciona e (ir)responsável pelo Xadrez Verbal. Graduado em História pela Universidade de São Paulo, sem a pretensão de se rotular como historiador. Interessado em política, atualidades, esportes, comida, música e Batman.
Como sempre, comentários são bem vindos. Leitor, não esqueça de visitar o canal do XadrezVerbal no Youtube e se inscrever.

Caso tenha gostado, que tal compartilhar o link ou seguir o blog?

Acompanhe o blog no Twitter ou assine as atualizações por email do blog, na barra lateral direita (sem spam!)

E veja esse importante aviso sobre as redes sociais.

Caros leitores, a participação de vocês é muito importante na nova empreitada: Xadrez Verbal Cursos, deem uma olhada na página.

Anúncios

75 Comentários

  • Rafael Marzall Zanotto

    Oi Filipe.

    Parlamentarismo x Fragmentação

    No parlamentarismo a fragmentação é um problema mais evidente do que no nosso sistema de “Presidencialismo de Coalizão” (onde o presidente vende cargos para conseguir apoio e fazer maioria).

    Claro que se um dia adotássemos o parlamentarismo… não poderíamos continuar com este sistema caótico que é o nosso processo eleitoral… que tem gerado os maior índices de fragmentação do mundo… como mostrado no livro de Jairo Nicolau (UFRJ) – Representantes de quem? (2017)… enquanto o Reino Unido tem 2,5 partidos representativos… o Brasil tem 16,4 no congresso…

    Partidos representativos é um cálculo que mostra quantos partidos reais existem… no Reino Unido tem mais de 130 partidos ativos e com direito de candidatura avulsa… e no entanto temos menos de 3 partidos… claro que não precisamos chegar no nível da Rússia com 1,6, pois daí já é ditadura…

    Se quiseres… tenho o material da minha palestra sobre sistemas eleitorais… que explica melhor este assunto…

    Qualquer coisa é só me chamar…

    Um abraço

  • Caros Filipe et Matias,

    Antes de tudo, muito obrigado pelo excelente trabalho de vocês! Sempre aprendo muito com o Xadrez e com o Fronteiras!

    Sou engenheiro de automação atuando em Lyon, França. Gostaria de comentar dois pontos do programa :

    1. Sobre o ceticismo do Filipe sobre um rato poder causar um apagão :

    Ratos, cobras e outros animais são responsáveis por inúmeros curto-circuitos em instalações de variadas dimensões. Desde pequenas industrias até enormes usinas de geração elétrica (a usina de fukushima já foi uma vítima por exemplo: http://g1.globo.com/mundo/noticia/2013/03/rato-e-acusado-por-grave-corte-de-energia-em-fukushima.html).

    O problema se dá pois geralmente há instalações transformadoras (aquela que diminui/aumenta a tensão para consumo/transmissão da energia) no nível do chão da fábrica. Por mais isolado que seja o ambiente de transformação, eles estão vulneráveis a estes animais que acabam encontrando pequenas aberturas ou roendo novos caminhos. O resultado é um animal encostando em dois fios geralmente de média tensão. Supondo uma fábrica média no brasil, imagine um um potência de 13.800 Volts sendo aplicado a um rato, ele entra em combustão, podendo danificar gravemente a instalação elétrica.

    2. Sobre o uso feminino em nomes de profissões na França :

    Quando cheguei na França em 2015, e comecei a aprender a língua, isso foi algo que me incomodou muito. Principalmente ter que chamar minhas professoras (na época do intercâmbio) de “professor”. É uma mudança que faz a diferença para maior igualdade de gênero no país.

  • Filipe e Matias,

    1. Vocês mencionaram a velocidade do programa, eu escuto em torno de 1,5x, no entanto, estou mais acostumado por ouvir muitos audiobooks nessa ou em maiores velocidades. Uma coisa engraçada é que acho estranho ouvir War Pigs na velocidade normal, acho muito lenta 😀

    2. Sou estudante de Ciência Politica e Relações Internacionais na UBI em Portugal (sou de Recife originalmente) e o podcast de vocês foi um dos grandes inspiradores pra eu seguir esse meu sonho (antes estudava Engenharia Civil).

    Um grande abraço pra vocês e mandem um abraço pra turma que temos outros ouvintes do Xadrez Verbal por aqui 😀

  • Olá pessoal,

    Sou engenheiro elétrico de formação e trabalho atualmente na Suécia com gestão de projetos ao redor do mundo. Tenho alguns indianos na equipe e o programa de vocês me ajudou a entender um pouco mais sobre os conflitos na região da Caxemira e assim poder conversar com eles sobre o tema.

    Vocês mencionaram que anos atrás o apagão em São Paulo foi atribuído a um rato que teria mordido os cabos e isso é verdade. Sempre buscamos colocar proteções contra animais nas subestações de energia exatamente para evitar riscos como esses mas as vezes acontece e pode gerar uma queda do sistema se for detectado um curto. Com certeza nesse caso o rato morreu eletrocutado!!

    Gosto muito do programa e acompanho semanalmente no persurso entre casa e trabalho, aproveitando para me informar e aprender com vocês.

    Quando teremos um Fronteiras Invisíveis sobre a Suécia ou os países nórdicos em geral?

    Grande abraço!

  • Henrique Oliveira da Mata

    https://spacepolicyonline.com/wp-content/uploads/2019/03/US-Brazil-Space-Summit-Draft-Agenda.pdf

    Eu sei que vcs gostam da questão espacial, talvez seja interessante para a pauta do próximo programa, falar sobre a questão espacial que deverá ser tratada semana que vem entre os governos brasileiro e americano, incluindo a questão da provável assinatura do Acordo de Salvaguardas Tecnológicas e futura exploração comercial do Centro Espacial de Alcântara.

    Gostaria de ouvir também a opinião de vcs da relação entre a política espacial e a política nuclear no contexto das relações internacionais.

    Se precisarem posso ajudar a elucidar o tópico, possuo mestrado em Ciências e Tecnologias Espaciais e trabalho na área.

    Forte abraço, grande admirador do trabalho de vcs!

  • Salve Filipe e Matias, aqui é o Alexandre Ferreira (padre). Sobre a Igreja Católica e o nazismo a coisa vai bem além do que só a posição de Pio 12. Lembro que, quando estudava na Universidade do Vaticano, um colega europeu especulava que talvez as denúncias feitas por religiosos e religiosas sobre o que estava acontecendo teria colocado os católicos na mira de Hitler. Dizia ele, por exemplo, que a filosofa judia, Edith Stein, que teve seu tapete acadêmico puxado por Heidegger (membro do partido nacional-socialista), teria se escondido como freira em um convento para escapar da perseguição e depois mandado cartas para o Sumo Pontífice e para o bispo de Münster denunciando as atrocidades contra seu povo. Em suma, Edith Stein foi parar em um campo de concentração por ser carmelita, não por causa da linhagem semita. Coincidentemente esses dias me deparei com o livro «O Pavilhão dos Padres» de Guillaume Zeller que conta a história do Campo de Concentração de Dachau, que se tornou o maior cemitério de padres católicos do mundo. Tomara que a abertura dos arquivos joguem luz sobre todos estes relatos. Um abraço!

  • Olá caros Filipe e Mathias, saudações desde a fria Helsinki!
    Acompanho o XV faz relativamente pouco tempo (uns 6meses), e menos ainda o Fronteiras. Achei os prog sobre Chile, Uruguai e Finlândia mto interessantes, descrevi o último pra um amigo daqui e a pergunta dele foi: pq alguém discutiria futebol finlandês?
    Uma curiosidade sobre o idioma do capeta: não há preposições no finlandês os substantivos são declinados dependendo do q se quer dizer, e isso complica muito a vida d quem tenta aprender qdo adulto.
    Sobre o XV 174, vcs acham q existe alguma possibilidade do grupo de Montevidéu passar a ser protagonista, ao invés do grupo de Lima, por conta do papel do gen. Mourão por ex?
    Abraço e mandem um salve pra minha esposa Caroline e meu filho Benjamim (q acha mto engraçado a vinheta do giro d notícias)

  • Boa tarde meus Nobres, acompanho o Xadrez e o Fronteiras à aproximadamente 2 anos, escuto o programa sempre no decorrer do final de semana, gostaria de mandar melhoras ao Matias que teve um ataque de tosse no último programa, parecia até um cachorro engasgado, hehehe, brincadeira, gostaria ainda de aproveitar para pedir um salve. Abraços

  • MENINO NEYMAR
    https://www.bbc.com/portuguese/internacional-47564034
    a notícia não é de política internacional, mas está relacionada ao maior softy power da Coreia do Sul, que é o K-pop, onde debaixo da primeira foto aparece: “Seungri foi acusado de fornecer investidores a empresários” e fala sobre a cafetinagem do cantor… eu que não queria ser “investidor” na Coreia do Sul… deve ser investidor na corretora XXXP…

  • André de Santa Gabriel

    Olá, Filipe e Matias. Vocês mencionaram no programa a eleição na cidade de Danzigue, na Polônia, o que me fez recordar uma curiosidade interessante sobre a cidade em que moro, a qual é Cambé, no Paraná. O nome dado originalmente à cidade de Cambé foi Nova Dantzig, devido ao fato de as primeiras famílias colonizadoras serem oriundas da Cidade Livre de Danzigue (a qual se tornaria Danzigue após a Conferência de Potsdam). O nome Cambé (que significa “passo do veado”, de origem Tupi), foi escolhido a partir da política da campanha de nacionalização do Brasil de Vargas, a qual buscou diminuir a influência das comunidades de imigrantes estrangeiros no nosso país. Um forte abraço para vocês!

  • Marcus Vinícius Félix

    Olá Filipe e Matias, grande abraço pra vocês.
    Sou de Arapiraca, e estudante de direito pela estadual de Alagoas. Tô concluindo o curso e admito que graças a vocês o direito internacional virou a minha grande paixão.
    Direito e política andam mais juntos do que muitos pensam, isso é óbvio. No âmbito internacional é mais “gostoso” ainda de se ver.
    Queria também mandar um beijo pra minha colega de turma Gabriela Oliveira, moradora de um povoado chamado Bananeiras (o xadrez verbal chega aos mais longínquos lugares haha), que foi quem me inseriu na podosfera e me apresentou vosso podcast.
    Abraço!

  • Olá Filipe e Matias, eu acompanho o podcast há bastante tempo, mas nunca comentei aqui, entretanto, diante do último atentando ocorrido na Nova Zelândia, não posso mais deixar de comentar sobre a utilização do termo “ocidente”. Eu percebi que ele já foi utilizado no podcast, e nesse episódio foi utilizado pela professora Vivian pra se referir ao Brasil como parte do ocidente, e o manifesto de um dos terroristas da Nova Zelândia, semelhante ao do Anders Breivik, contêm muito esse termo (obviamente eu não estou comparando vocês com esses criminosos, eles foram utilizados apenas como forma de exemplo). Acontece que, apesar de nos reconhecermos como ocidentais, a comunidade internacional não nos reconhece como, e principalmente, o ocidente não nos reconhece como ocidentais, e muito menos indivíduos extremistas, como estes que cometeram os atentados na Nova Zelândia e Noruega. Eu digo isso porque vejo muita gente no Brasil, principalmente conservadores, incluindo nosso chanceler e o atual governo, com esse papo de “defender o ocidente”, apesar de um dos responsáveis por difundir essa ideia de choque de civilizações, o conservador Samuel Huntington, não nos classificar como ocidentais. Portanto, eu acho que vocês poderiam abordar isso no podcast, principalmente porque nos últimos tempos muita gente acha que nossa política internacional deve se alinhar com a dos EUA de qualquer forma, mesmo que isso nos prejudique, pois nós deveríamos “ficar do lado do ocidente”. Como se tudo fosse uma dicotomia, uma luta do bem contra o mal, até mesmo nas relações internacionais, e infelizmente nosso chanceler pensa assim, ele fala constantemente em defender o ocidente, mas se nós não somos ocidentais, ele vai defender o interesse dos outros?

  • Meu amigo da Estonia comentou sobre a eleicoes, ele comparou o resultado da eleição com a o plebescito do Brexit. Ele comentou que ngm acreditava que esse seria o resultado, que algumas pessoas deixaram de votar pq nao acreditava num resultado assim.

    Alias ele nasceu no periodo da Uniao Sovietica, tem familia na Russia. ELe também falou que o sinal da tv filandesa chegava até Talin.

  • Marcelo Silva Lima

    Bom dia, pessoal!
    E não sei se alguém já comentou isto, Filipe e Matias, mas…

    Ratão do Banhado também é o significado da palavra CAXINGUI. (informação que só sei por conta de um outro podcast, o NBW – Nós Brigamos no War).

    Aliás, até achei estranho ninguém comentar isto viu.
    =P

    Um abraço a ambos, e ótimo final de semana!

  • João Pedro Cechinel

    Boa tarde. Queria apenas agradecer por ter me ajudado a conquistar um sonho. Conheço o Xadrez Verbal a algum tempo mas só comecei a ouvi-lo a partir do começo do ano passado quando comecei a estudar para o vestibular. Essa foi a minha primeira semana de aula na UFSC no curso de Ciências Biológicas e tenho só a agradecer a vocês por me terem feito companhia durante as minhas caminhadas diárias entre o cursinho e a minha casa no ano passado. Espero que esse ano consiga continuar acompanhando enquanto pego o ônibus para a faculdade. Minha primeira opção era RI, mas acabei me apaixonando por biologia na metade do ano
    Queria aproveitar a oportunidade e deixar um abraço para os professores Josemir e Borret do curso pré vestibular Gaia de Florianópolis (eu cursei em Criciúma) e um abraço e um beijo para o professor Café de biologia que foi crucial para minha escolha de curso.

  • eu queria saber o link dos estudos sobre a coluna de gêneros e escolhas, achei muito interessante

  • Oi, meninos. Eu adoro vocês, se der mandem um beijo na orelha do meu namorado João (Juba) que tô convencendo a ouvir o podcast semanalmente, como eu faço. Eu queria fazer um pedido pro próximo podcast: por favor deem atenção a essa tal de OCDE porque ainda tô pra entender a relevância de se entrar pra esse grupo dos ricos… me soa mais como um preciosismo desse ocidentalismo alucinante do que algo realmente importante pra economia. Obrigada, beijos!!!

  • Pingback: Xadrez Verbal Podcast #185 – EUA, Venezuela e eleições na Espanha | Xadrez Verbal

Deixe uma resposta para Lauro Auler Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.